sexta-feira, 31 de agosto de 2007

Bastidores do GMail

Com os agradecimentos a ASF@Web, aqui vai o criativo vídeo feito por amadores para ilustrar o caminho de uma mensagem no GMail.

O vídeo de cunho colaborativo ganhou cenas feitas pelos próprios usuários do serviço e foi aprovado pela equipe do Google.

A peça também pode ser acessada pelos usuários do Gmail clicando aqui.

quinta-feira, 30 de agosto de 2007

Muito por quase nada

Os serviços de acesso à internet disponibilizados com alarde pelas operadoras de celular, no estilo GPRS, precisam ser analisados com muita cautela pelos usuários, em especial aqueles pouco informados sobre as tecnologias existentes e tarifas cobradas por megabyte utilizado.
No atual perfil, trata-se de uma boa porcaria. Longe atingir os prometidos 300 kbps, (na melhor das hipóteses consegue-se taxas de acesso semelhante a linha discada de 56 kbps), tudo é muito caro.
Talvez para consultas ocasionais a e-mails (sem permitir anexos), ele ainda se justifique. Isto se o consumidor manter rígido controle sobre sua taxa de uso mensal, não deixando em nenhuma hipótese o consumo em megabytes suplantar a franquia de 1 megabyte/mês contratada com a operadora.
Lembrando que 1 megabyte representa 1024 kbytes, vamos às contas:
Cada e-mail de texto (sem anexos), em média tem tamanho que pode oscilar em torno de 17 a 32 kbytes podendo chegar a um pouco mais, dependendo da extensão do texto. Já as páginas web, dependendo da quantidade de imagens associadas a elas, podem atingir valores bem maiores, esgotando em pouco tempo a franquia mensal contratada com operadora, chegando a mais de 100 kbytes por página visitada. É o caso certamente, dos grandes portais de notícias.
Além do mais, a navegação nas telinhas dos celulares não é nada animadora.
Mas aqueles que desejam utilizar a linha de celular GPRS associada a seu computador portátil, utilizando para isso os chamados minimodems, poderão usufruir uma visualização normal das páginas web, mas a um custo estratosférico.
Sendo assim, esqueça este serviço ainda muito caro e ineficiente.
Caso contrário, poderá vivenciar o que a consumidora Virgínia da Silva experimentou, segundo a ótima coluna Voz do Consumidor do Diário do Pará.

Valor da fatura assusta cliente

A estudante Virgínia da Silva adquiriu linha da Amazônia Celular que incluía modem para acesso ilimitado à Internet com custo mensal de R$ 110. “Só que pouco tempo depois disseram que eu teria limite de acesso de 1G no valor de R$ 99. Eu aceitei mesmo sem saber quanto isso representava no mês, pois a operadora não soube explicar”, diz. Desde então ela vem tomando sustos com os valores das faturas. “A primeira ficou em mais de R$ 6.500”, afirma. No mês seguinte, com apenas dez dias de uso, a conta estava em R$ 900. “Pedi para cancelarem, mas nada fizeram. Acabei recebendo outra conta, sem ter acessado, de R$ 1.700”, afirma. A consultora jurídica do Procon, Regina Vaz, informa que modificações antes do prazo de vigência do contrato são irregulares. A desistência do consumidor é cabível, “pois não tinha capacidade técnica para avaliar a capacidade de transmissão de dados. Por ser um acesso limitado ela deveria ser informada quando o limite era completado”, diz.

ESCLARECIMENTO - Em nota, a operadora esclarece que “o serviço de Pacote Internet GPRS/Edge Max foi cancelado em 03/07/2007, conforme solicitação da Sra. Gisele Luciene Oliveira da Silva. Por este serviço, ocorria a cobrança mensal de R$ 99,90. A operadora esclarece que a fatura para o pagamento foi gerada proporcionalmente aos dias utilizados no mês de julho, com vencimento em agosto de 2007. A Amazônia Celular informa que não houve irregularidade na cobrança, uma vez que o pacote foi cancelado por solicitação da cliente, e, apesar de haver solicitado o cancelamento, a cliente continuou utilizando o serviço. A operadora esclarece, ainda, que a Sra. Virgínia da Silva - usuária do serviço - foi contactada e informada sobre os procedimentos que geraram as faturas. Na oportunidade, foi orientada sobre a possibilidade de um parcelamento de seus débitos”.

quarta-feira, 29 de agosto de 2007

Menos pobres somos

Descansem os cansados, confessos e inconfessos, de não lutarem por coisa nenhuma. A probreza brasileira encolheu escancarada. Conforme relatório das Nações Unidas, o número de cidadãos brasileiros com renda inferior a U$ 1 reduziu-se de 8,8 (1990) para 4,1% (2005). Esse e outros dados do desempenho do Governo Lula no cumprimento dos Objetivos do Milênio lêem-se n' O Globo.

Terçeira-feira


Branca

é a lua

lumiar

de alma

no écran

medida

dos olhos

traídos

desanda
ioda

terça-feira, 28 de agosto de 2007

Mapas de satélite em seu website


Exibir mapa ampliado
Belém, como aparece no Google Maps.

Aqui um novíssimo recurso do Google Maps (a versão web do Google Earth).
Agora, você pode postar uma imagem de satélite totalmente manipulável em seu website ou blog sem necessidade de capturar telas, reduzir imagens e alocar coordenadas geográficas.
Experimente clicar nas setas e zooms da imagem acima. Simplesmente funciona!
Para aprender como fazer isso, conheça este tutorial do Google Lat Long Blog.

SKY: mais no Google Earth


Imagem do Hubble no Sky (Google Earth).

Já disponível na última versão do Google Earth (4.2), a ferramenta Sky abre os olhos do usuário sobre o universo, suas estrelas, planetas e galáxias. Estabelecendo parcerias com a NASA/Space Telescope Institute, Sloan Digital Sky Survey e o Digital Sky Survey Consortium, o Google Earth oferece imagens de alta qualidade dos mais importantes elementos do espaço sideral.
Mas para obtê-la, é necessário baixar a última versão do Google Earth clicando aqui.
Para assitir um vídeo com um rápido tutorial de como utilizar a ferramenta, melhor passar antes no Skyedu.
Aproveitando o post, não posso deixar de sugerir a visita regular ao Google Earth Gallery, onde você vai sempre encontrar boas sugestões de lugares para visitar utilizando o software.
As sugestões são feitas de maneira a praticamente conduzir o usuário até elas. Basta fazer o download dos arquivos .kml. Uma vez abertos, o sofwtare é automaticamente executado, levando o usuário direto a sugestão.

segunda-feira, 27 de agosto de 2007

Apenas uma é o bastante


Foto: G1

Esqueçam as duas luas e atenham-se ao que realmente pode acontecer.
Quem se dispor a acordar amanhã por volta de 5:50, poderá ver o início do eclipse total da lua.
Apenas o início pois, logo em seguida, o sol nasce e o belo e verdadeiro fenômeno não será mais visível.
Para checar a informação é só clicar no G1.

Duas luas: pura bobagem

Astrônomo amador fornece a argumentação básica que derruba definitivamente o boato das duas luas.
Por favor, não dê mais prosseguimento a esta corrente boba e infantil, que na verdade está recirculando na internet desde 27 de agosto de 2003! Ao receber esta bobagem, apague de imediato.
E não mande correntes a ninguém. Trata-se de um péssimo hábito e fornece ao destinatário um traço indesejável de sua personalidade: acredito facilmente em boatos.

O diâmetro de Marte é 6786 km.O diâmetro da Lua é 3475 km.Só por isso já percebemos que Marte tem o dobro do diâmetro da Lua.Mas a idéia deste famigerado email que circula por aí é que o diâmetro aparente de Marte ficaria com o mesmo diâmetro aparente da Lua, isto é, Marte se aproximaria da Terra de tal forma que pareceria ter o mesmo diâmetro da Lua.Ora, como o diâmetro de Marte é o dobro do da Lua, então Marte teria que ficar no dobro da distância da Lua para que aparentemente tivesse o mesmo diâmetro. Como a Lua está em média 380 mil km da Terra, Marte teria que ficar a 760 mil km da Terra para que isso acontecesse.A menor distância que Marte chega da Terra foi 55,9 milhões de km em 27 de agosto de 2003. Prestem atenção:Lua >> 380 MIL kmMarte >> 55,9 MILHÕES de kmEsta boataria começou após passagem de Marte pelo ponto mais próximo da Terra em 27 de agosto de 2003. Naquela data Marte esteve cerca de 0,5 milhões de km mais próximo que outras passagens próximas (em média nestas ocasiões Marte passa a 56 ou 57 milhões de km). Isso chamou muito a atenção da mídia e quem não entende de astronomia logo começou a imaginar catástrofes e sinais apocalípticos. Tudo bobagem, as órbitas dos planetas são mito bem conhecidas e podem ser previstas com altíssima precisão por milhares de anos.Mas alguém ignorante ou mal intencionado resolveu criar esta mensagem sobre Marte, alterando alguns dados. Disse que Marte ficaria do tamanho da Lua sem explicar que seria necessário usar uma luneta com ampliação de 75x para observar Marte e comparar com a Lua a olho nu (sem ampliação). E ainda resolveu que este fenômeno aconteceria todo dia 27 de agosto de qualquer ano.Mas Marte só passa perto da Terra a cada 2 anos e 2 meses, não poderia ser todo anos na mesma data. Além disso, como falei acima, as distância variam e sempre para mais que estes 55 milhões de km indo até 100 milhões de km em outras passagens pois a órbita de Marte é bastante elíptica.Após a passagem de agosto de 2003, Marte passou peto da Terra em outubro de 2005 e voltará a passar, nem tão perto, em dezembro de 2007. Todos vocês poderão ver Marte no final deste ano como uma estrela avermelhada nascendo no leste logo após anoitecer. Vejam e comprovem que este email famigerado é bobagem pura.

Duas luas gera pico de tráfego

A mera menção ao boato das duas luas no post anterior, gerou um pico de tráfego no blog de 55% (a maior parte originada de ferramentas de busca). E deve ainda continuar gerando por algum tempo.
Isto confirma que as pessoas estão de fato sendo atacadas pelo boato e estão em busca de informações que esclareçam suas dúvidas.

domingo, 26 de agosto de 2007

Duas luas

Varre a internet, a exemplo de anos anteriores, mais um boato que muita gente tem acreditado. É a estória de que Marte vai ficar tão próxima da terra que nós seríamos presenteados com um espetáculo inimaginável: a visão de 2 luas.
E o Repórter Diário chama a atenção para os espertalhões que estão surgindo, na esteira do boato.

Balela cósmica
Tem gente vendendo gato por lebre, com base em informações traiçoeiras que a internet propaga. Ao contrário do que faz crer um certo e-mail, Marte não vai estar a menos de 20 milhões de quilômetros da Terra nesta segunda-feira. Teve jornal que repetiu até o mesmo boato do ano passado. No Informe JB (caderno Brasil Hoje) desta edição, o astrônomo Ronaldo Rogério de Freitas Mourão pulveriza a potoca cósmica. Afirma que, como ocorre há 73 mil anos, a distância é de 55 milhões de quilômetros. Marte ficará mais brilhante do que o normal, porém jamais parecendo uma segunda Lua.

Com efeito, a empresa e-Store, sediada em São Paulo e especializada em venda de quinquilharias eletrônicas online, manda e-mail abordando o fantástico fenômeno (inclusive citando artigo supostamente publicado na Folha de São Paulo), aproveitando para oferecer sua promoção de telescópios.
Pense, antes de acreditar em qualquer coisa na web!

sábado, 25 de agosto de 2007

Flanando pelo Charlatanismo



Finalizando a série, esse é o máximo! Tem superpoderes e até assistência internacional! E vai nos salvar a todos.

Corrupção - 1

Segundo Gershon Knispel, artista plástico que escreve na Revista Caros Amigos, garfaram a grana dos judeus israelenses sobreviventes de Auschwitz, pagas pelo governo alemão. O culpado é o ministro Mosche Hirschenson, que desfalcou em milhões de dólares a Caixa de Seguro Social de Israel. Agora, metade dessas vítimas do nazismo, 30 mil idosos, vive abaixo da linha de pobreza, sem medicamentos e muitos buscando no lixo a subsistência.

Corrupção - 2


Vista de Notre Dame - Doiseneau, 1930
Quando o Papa Benedictus XVI visitou o Brasil foi-lhe apresentado documento da Conferência - Geral do Episcopado da América Latina e Caribe, ocorrida em maio passado. O atual ocupante do trono de São Pedro chancelou o documento. É uma fraude, pois continha cerca de 200 emendas não incluídas no original votado pelos bispos. Mas, continuará valendo, pois está em jogo a infalibilidade papal. Segundo o presidente da CNBB Dom Geraldo Lira Rocha, em entrevista ao jornal Estado de São Paulo, não serão buscados os culpados.

Sin perder la ternura jamás

O Palácio do Planalto, sabedor da tendência do TSF em pegar pesado com os acusados do Mensalão, emitiu o seguinte sinal: O governo espera que se faça justiça sem paixões.

Blogosfera de guerra

A empresa FUSION Public Relations realizou pesquisa com 1100 jornalistas norte-americanos sobre o potencial de comunicação na rede mundial de computadores. Colheram o que segue:
78% lêem blogues, inclusive de jornalistas;
49% lêem e/ou acompanham de um a três blogues;
35% têm blogues próprios;
67% citam como fonte os blogues que lêem;
31% consideram os blogues como fontes confiáveis de notícias.
A maioria prefere obter informações por email e nas páginas de empresas. A maioria não valoriza podcasts e é neutra quanto ao potencial dos videocasts.

sexta-feira, 24 de agosto de 2007

Drummond volta


Publicado em nova edição pela Editora Globo o Dossiê Drummond. Trata-se da mais importante entrevista de Carlos Drummond de Andrade, conhecido pelo horror que tinha ao gênero. Foi concedida num momento delicado da vida do poeta, aos 85 anos, logo após a morte de sua única filha. Drummond abre ali com dolorosa simplicidade a sua vida, ou, como registrou Paulo Francis, descreve vividamente a morte. Para os que gostam de poesia e admiram o grande escritor mineiro o livro é imperdível. O autor é jornalista famoso, Geneton Moraes Neto, que possui uma homepage interessantíssima sobre jornalismo. Apenas um reparo: o livro não identifica as fotos das capas e encartadas. A mim parece que foram tiradas em 84 na ocasião da inauguração da Livraria Siciliano em Copacabana, quando além de Drummond compareceram Zelia Gattai, Jorge Amado e até Austregésilo de Athayde, então presidindo a Academia Brasileira de Letras.

A eterna vigilância

A Organização Mundial da Saúde advertiu nesta semana que hoje reunimos condições para a disseminação mais rápida de doenças, como antes não se tem registro na história. Vivemos definitivamente em uma aldeia global em que a cada ano cerca de 2 bilhões de seres humanos usam transporte aéreo, deslocando-se rapidamente dentro de um mesmo país, entre países ou mesmo continentes, levando consigo agentes patogênicos nem sempre conhecidos da ciência. Um exemplo dessa situação, é o caso da Síndrome Respiratória Aguda Severa - SARS -, que em 2003 se originou na China, disseminou-se rapidamente para 30 países e matou cerca de 800 pessoas.
Como reconhece a própria OMS: "nesse tempo apenas poucas horas separam o surgimento de uma epidemia regional de sua disseminação para outra parte do globo".

Flanando pelo Charlatanismo

quinta-feira, 23 de agosto de 2007

Fichário de cinéfilo

A página é enxutíssima e pretende cobrir 65 anos de cinema, disponibilizando aos cinéfilos da rede mundial de computadores os mais variados dados sobre filmes assistidos por alguém que mantem o anonimato. É hora de mão no mouse, clicando... A-ção!

Ao infinito, e além

Não basta a terra ao Google Earth. Agora, vamos também ao espaço sideral.
Os que fazem cara de paisagem, também podem temer o Google Heart. Não é seu Juvêncio?
Vem aí o Sky. A mais nova ferramenta do Google Earth.

"Cansado" cita o Piauí

O sociólogo Carlos Alberto Dória comenta na Trópico um dos inúmeros escorregões que os "cansados" vem cometendo.
Se é que "escorregões" é o termo mais adequado. "Ato falho" talvez fosse mais ilustrativo da cultura dos "cansados". E antes? Não cansavam não, é?

O momento Piauí

Estranha forma de vida a do Piauí. Um Estado sempre esquecido da nação, apesar de ser o terceiro maior do Nordeste em tamanho (só perde para Bahia e Maranhão) e possuir uma população de aproximadamente três milhões de pessoas, tendo seu território dividido entre o semi-árido e a pré-Amazônia. De repente, sem que haja feito nada em especial, o Estado envolve-se num bate-boca momentoso da política nacional.

Foi o presidente da Phillips, Paulo Zottolo, líder dos “cansados”, quem começou. Sem mais nem menos, disse: “Não se pode pensar que o país é um Piauí, no sentido de que tanto faz quanto tanto fez. Se o Piauí deixar de existir, ninguém vai ficar chateado" (...)

Leia a íntegra clicando aqui.

Flanando pelo Charlatanismo



E isso aqui? Como definir? O homem ressuscitou!!!
Esta é em homenagem ao meu querido amigo cirurgião torácico Dr. Geraldo Roger Normando, que estará lançando amanhã junto com o Dr. Luís Alberto Rodrigues de Moraes 0 livro Traumatismo Torácico - Visão Geral e Especializada.
Olha aí o que acontece com os pacientes que sobrevivem!

Roubando a banda alheia

Rouba-se de tudo.
Incluindo o sinal de WiFi de sua rede doméstica.
Em Londres um homem foi preso por utilizar a rede sem fio de terceiros para navegar na internet.
Quem a possuir, é bom começar a configurá-la direitinho para diminuir esta possibilidade. Afinal, com redes WiFi abertas, quem poderá garantir que seu vizinho não estará utilizando seu sinal para navegar grátis, na melhor das hipóteses.

Joio do trigo

Yúdice Andrade, advogado e blogueiro, dá uma importante contribuição ao Flanar, discorrendo sobre curandeirismo, charlatanismo e prática ilegal da medicina, nos comentários do post Definindo. Pela importância de suas considerações, aumentamos o foco sobre eles.

Senti-me em casa com esta postagem. Afinal, trata de matéria penal.
Genival Veloso de França é um médico bastante conhecido por sua atuação na Medicina Legal. Seu livro com esse título é um dos mais conhecidos. É uma fonte confiável. Para quem tiver curiosidade, examinar diretamente os arts. 282 a 284 do Código Penal permite conhecer a definição legal desses crimes que, nestes tempos apocalípticos, não são tão incomuns assim. Vejamos:
282 - Exercício ilegal da medicina, arte dentária ou farmacêutica: é assustador o número de pessoas presas no Estado, em tempos recentes, por essas práticas, segundo se pode perceber por freqüentes reportagens. Oficiosamente, tem-se recomendado a essas pessoas que se candidatem a prefeito, pois têm chances de se eleger.
283 - Charlatanismo: prática cotidiana em certas igrejas evangélicas (e mais recentemente também em algumas católicas). Você acredita e está curado. Se não se curar, é porque sua fé é pouca. Simples, assim.
284 - Curandeirismo: é o menos comum, mas ainda aparece nos interiores. Deve-se entretanto separar o joio do trigo. Na Amazônia, dada a forte influência indígena, não se deve confundir o crime com conhecimentos tradicionais, adotados de boa fé por pessoas que, desprovidas de acesso à saúde, agarram-se nessa esperança para viver melhor.

quarta-feira, 22 de agosto de 2007

Flanando pelo Curandeirismo

Definindo

Afinal, é curandeirismo ou charlatanismo? Ou sem-vergonhice mesmo?

Curandeirismo: crime advindo de anúncio de curas milagrosas, seja por meio de substâncias, gestos ou palavras;
Charlatanismo: exploração da credulidade pública, inculcando ou anunciando cura por meio secreto ou infalível.

Fonte: Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa

Mas Genival Veloso de França esclarece:

(...) O art. 283 do Código Penal brasileiro vê o charlatanismo como algo que gira em torno da cura inculcada ou anunciada, através de meios infalíveis e secretos, de terapêutica simulada, diagnóstico e prognóstico falsos, bem como de curas sensacionais e extraordinárias. O agente desse crime é, na maioria das vezes, o médico que, ao desviar-se dos caminhos científicos, envereda por processos de mistificação, fraudulentos e desonestos. (...)

(...) Já o curandeirismo caracteriza-se por uma situação de risco, assim, mesmo que nenhuma ameaça real de dano tenha existido, há de se considerar como consumado o crime de perigo abstrato, ou seja, de perigo presumido. Geralmente o termo é reservado para os não médicos, e difere do exercício ilegal da medicina. (...)

(...) O art. 282 considera infração "exercer, ainda que a título gratuito, a profissão de médico, dentista ou farmacêutico, sem autorização legal ou excendendo-lhe os limites", entende-se por exercício ilegal não apenas o tratamento por meios medicamentosos, mas todo ato que vise à prevenção ou à cura através de aparelhos médicos, elétricos, ou por meio de manobras e condutas cuja aribuição seja da profissão médica. (...)

Fonte: França, G.V. Noções de Jurisprudência Médica. 3ª ed., Editora Universitária, João Pessoa, 1981. ---. Medicina Legal, 4ª Edição, Editora Guanabara Koogan S/A, Rio de Janeiro, 1995.

Do sarcófago ele fala

Fernando Henrique Cardoso, antigo presidente do Brasil, diz que o atual governo se parece ao Cabo Canaveral-NASA, que lança, lança e lança, mas fica sem resposta de como aterrisar.O tucano certamente chora o leite derrado, porque nada do social que lançou efetivamente aterrisou. Em comparação entregou ao Lula um país falido, totalmente indefeso a qualquer traque da economia internacional. A propósito, hoje sobrevivemos a um terremoto econômico oito de escala Richter com epicentro no mercado de ações norte-americano. Aos cansados e medrosos livres de siso lembro que apenas 1 de cada 4 famílias brasileiras é sustentada pelo Bolsa Família - fato inimaginável naqueles tempos dos vales alguma coisa nos governos do príncipe dos socíólogos brasileiros e suas respectivas comanditas estaduais.

terça-feira, 21 de agosto de 2007

segunda-feira, 20 de agosto de 2007

Caguei!

O cantor sertanejo Luciano Camargo, em entrevista para o jornal Folha de São Paulo, publicada hoje, segunda-feira, na coluna de Mônica Bergamo:
Folha - Por que não aderiu ao "Cansei"?
Luciano Camargo: Como é que eu vou apoiar um movimento liderado por alguém que promove desfile de cachorros (o empresário João Dória)? Essas pessoas se cansaram de quê? Os artistas só estão aderindo porque foram convidados por amigos. A maioria não tem coragem de dizer não. Eu tenho. Este é mais um movimento oportunista. As pessoas que estão nesse movimento não cansaram de coisa nenhuma.
Folha - O Zezé aderiu.
Luciano - O Zezé é o Zezé, eu sou eu.
Folha - Você já disse que se arrepende de ter apoiado o candidato Lula na eleição.
Luciano - Eu não me arrependo. Eu me decepcionei. Mas nem acho que o "Cansei" é para derrubar o Lula. Aquilo ali (Lula) nem com reza brava cai. Mas o "Cansei" tem uma classe elitista por trás, que nunca pegou fila para entrar em avião. É um movimento político. Estavam só esperando um momento oportuno para lançar. Protesto é ir para a frente do prédio da TAM. Eu cansei desse "Cansei". Vou lançar o "Caguei". Caguei para o "Cansei".

O presso da kultura

Folha de S. Paulo - 19/8/2007 - por Leandro Fortino e Thiago Ney
Em São Paulo, paga-se mais caro por um livro de Harry Potter do que em Londres ou em Tóquio. Em compensação, assistir a um espetáculo musical na capital paulista sai mais em conta do que em Moscou, Nova York ou Paris. Esses são alguns dos dados levantados pela reportagem da Folha sobre o preço de itens culturais em dez das principais cidades do planeta. São Paulo está entre as 80 cidades mais caras do mundo, segundo a Economist Intelligence Unit, braço de pesquisas do grupo britânico que edita a revista "The Economist". Comprar livros e freqüentar clubes noturnos obriga os paulistanos a desembolsar uma boa grana.

Donde se conclui que: uma coisa é uma coisa; outra coisa é outra coisa.

Após o PAN, h/a paz?

Enquanto aguardamos a decisão da extradição ou não do narcotraficante que vivia no Brasil vamos dar uma olhada na notícia do Ricardo Noblat, do Globo- on line de 11 de agosto:

Direito dos lutadores cubanos foi ignorado

A decisão brasileira de mandar de volta para Cuba os boxeadores Guillermo Rigondeaux e Erislandy Lara “ignorou a relevância da questão dos direitos humanos” e deixou de lado uma longa tradição diplomática brasileira. E se os dois voltaram por vontade própria, como se informou, então o Brasil não aproveitou as relações especiais que tem com o governo de Fidel Castro, para cobrar daquele país garantias de que os repatriados e suas famílias teriam sua dignidade e seus direitos integralmente respeitados. Ao fazer essa avaliação, ontem, o ex-ministro das Relações Exteriores Celso Lafer enfatizou que, em vários momentos do caso, as autoridades brasileiras não levaram em consideração a Constituição do País.

domingo, 19 de agosto de 2007

Soho

Pegando um gancho do post "Campina", quem tem problemas também com sua vizinhança é Juvêncio, do Quinta. Uma turma da pesada. E tudo estaria acontecendo sob o olhar de paisagem de policiais presentes na área.
Vez por outra, ele dá uma estocada no assunto. Mas nada acontece.

Fora do ranking

Correndo por fora das 200 maiores empresas de tecnologia do pais da revista INFO, semana passada estive com outro Celso. Este, empresário de estilo "mineiro", proprietário da Hard Computadores, ao lado do mesmo arquiteto que projetou a extraordinária loja da Sol Informática, está planejando a mudança de sua loja na esquina da Gentil com a Alcindo Cacela para a Doca de Souza Franco. São planos audaciosos, boa concorrência e quem sempre ganha, são os clientes.

Haikais amazônicos


Noitinha na várzea
com a lua na garupa
búfalos regressam.
(Anibal Beça)

Cantar a palavra
no cigarro que apaga
a noite escurece.
(Ioda)

Um escândalo inaudito


O jornal O Globo traz na edição deste domingo matéria gravíssima sobre a situação da segurança pública no Rio de Janeiro. Se na ditadura militar (1964-1984) o Grupo Tortura Nunca Mais contabiliza 136 opositores políticos desaparecidos, na ditadura imposta pelo narcotrafico, milícias e polícia nos morros da cidade, as estatísticas apontam para 7.000 pessoas desaparecidas. Isto mesmo, leitor (a): meia lotação do Maracanãzinho está sumida por ordem dos meganhas e celerados, que do morro e do asfalto mandam na outrora Cidade Maravilhosa.
Para ilustrar, conto-lhes fato sucedido com um amigo meu, cientista renomado da Fundação Instituto Oswaldo Cruz. Saia ele do campus, localizado em região de Manguinhos, conhecida pelo sugestivo nome de Faixa de Gaza, quando de súbito uns sujeitos postaram-se na frente do carro, com metralhadora e AR-15 nas mãos. Certo que não lhe foram apontadas, apenas o gesto sinalizou para que parasse.
Meu amigo ficou incolor de fazer inveja a qualquer fantasma. Para surpresa dele, segundos depois da ordem, atravessaram a rua tres carros em velocidade normal: tratava-se da passagem do bonde de um traficante no melhor estilo da outrora mal afamada Medelin, na Colômbia.
Depois de um pode passar, doutor, vá desculpando aí qualquer incômodo a rua foi liberada, e o mais rápido que pode meu amigo sumiu dali, ainda que acompanhado da certeza de que não seria o primeiro, nem o último dos sustos que passaria naquelas ruas.

Sol do Pará brilha no Brasil

A revista INFO de agosto revela a extraordinária saúde financeira da Sol Informática, colocando-a entre as 200 maiores empresas de TI do Brasil.
Em 2005 ocupou a 174a. posição, passando para a 149a. posição em 2006 no ranking nacional, um pouquinho abaixo de outras empresas afamadas do mundo de tecnologia, como a D-Link do Brasil.
Com patrimônio líquido declarado em 5,64 milhões de dólares, 207 empregados e apenas 0,9% de endividamento financeiro, a Sol vendeu 25 milhões de dólares em 2006, com lucro líquido de cerca de 750 mil dólares. Suas vendas cresceram 14,6% em relação a 2005.
Roberto e Celso estão de parabéns pelo sucesso do empreendimento.

Uma artista amoral

The wonderful, horrible life of Leni Riefenstahl, com direção de Ray Muller é um portrayt da principal cineasta da Alemanha nazista, diretora de documentários políticos como O triunfo da vontade (1935) e Olympia (1938), até hoje considerados clássicos do gênero. Aos 101 anos, Riefenstahl talvez tenha sido a última dos condestáveis do regime de Hitler a morrer, já no século XXI.
Apesar do filme ser criticado como tentativa de reabilitação da cineasta, não o ví por esse ângulo. Tenho claro que a narrativa do diretor demonstrou uma artista obcecada pela técnica de cinema e fotografia; seduzida mais pela forma do que pelo tema em si, que trata sem preocupações de conteúdo antropológico.
Na verdade Riefenstahl revelou-se não uma cínica nas suas relações com o poder, mas sobretudo dona de amoralidade que a levou da glória nazista à danação no pós-guerra, e que a fez empedernida a qualquer mea culpa por sua notória contribuição ao nacional-socialismo alemão. Apesar do olhar estético sempre ariano, seu trabalho fotográfico sobre as tribos africanas dos Nuba e Kau, realizado nos anos 70, é de rara beleza.

Dalcídio da Amazônia

O Instituto Dalcídio Jurandir, em co-edição com o governo do Estado do Pará e a Fundação Casa de Rui Barbosa, lança Dalcídio Jurandir - Romancista da Amazônia. Além da biografia e ensaio de crítica literária, o volume de 264 páginas está recheado com documentos e correspondência do autor. Leitura obrigatória.

Também uso um Mac



John Dvorak é jornalista especializado na área de informática e colunista de várias publicações americanas. É também autor do blog Dvorak Uncensored. No Brasil, escreve regularmente para a revista INFO.
Veja o que ele diz sobre o Mac na INFO deste mês.

(...) Na verdade, não falo mal do Mac, mas entre os usuários deste micro há uma admiração quase religiosa, e qualquer um que faça a mais leve crítica é visto como uma figura do mal. Para fechar a história, escolhi um Mac e estou satisfeito. (...)

(...) a máquina não é assim tão diferente de um PC, excetuando-se o fato de que é mais bonita e a interface é ligeiramente melhor, com muitas funções legais. Mas a principal diferença é que você não perde performance com spyware, vírus e outras pragas que atacam o PC. (...)

(...) Com isso em mente, e com base na experiência de usar o micro recém-tirado da caixa, agora recomendo um Mac a qualquer um que esteja pensando em comprar um novo computador, desde que não tenha de usar programas que só rodam no Windows. (...)

(...) Há coisas de que não gosto. Por exemplo, os menus e certas funções, como queimar um CD. Mas para outras pessoas - não eu - é a máquina certa. (...)

Campina

Aqui onde moro, em uma casa térrea no limite da zona comercial e a do meretrício, muitas coisas estranhas acontecem. Uma delas é que vários de meus amigos da década de 80, acabaram também por montar residência na mesma região ou na mesma rua. Posso enumerar alguns como Mariano Klautau Filho e Valseli Sampaio, Armando Sobral, Makiko e seu Fotoativa, Walmir Santos, Pepê Conduru entre outros velhos amigos e conhecidos.
Trata-se de uma região estranha contudo relativamente interessante de viver. Próxima ao Teatro da Paz, de bancas de revistas, do shopping, de alguns cinemas, de farmácias, padarias, etc.
Mas também próxima do crime.
De fato, convivemos diariamente com um grande número de pedintes, e de realizadores de pequenos e constantes furtos.
Roubam de tudo, na base do descuido. Dos carros, roubam o que podem. Desde CD players, passando por limpadores de pára-brisa traseiros até espelhos retrovisores. Já perdi a conta de quantos limpadores de pára-brisa traseiros tive que comprar para repor. Trata-se de uma quadrilha especializada em roubá-los para revendê-los a terceiros, atuando já há bastante tempo na cidade. Interessante é depois vê-los sendo vendidos nas esquinas.
Já é uma das inúmeras indústrias de pequenos crimes.
Meu carro já não usa mais CD Player. Resolvi não alimentar mais os ladrões.
Agora inventaram a última. Roubar cadeados de portas que, por descuido, são deixados abertos.
Enfim, tudo o que for deixado à vista dos meliantes e que possa de alguma maneira ser convertido em grana, é subtraído.
Mas como reclamar destes pequenos furtos se o restante da cidade ferve com crimes gravíssimos?
Por enquanto, vamos convivendo bem com os amigos e os micromeliantes.
E vez por outra, você acaba recebendo um convite "daqueles", feito por uma "sereia", de maneira bastante "sutil".
Mas isso? Bem, isso já acontece na Estação das Docas, não é verdade?
Mas é verdade também que as "sereias" que lá gorjeiam, não gorjeiam como as daqui.

sexta-feira, 17 de agosto de 2007

Lotação

O turno noturno do Colégio Estadual Paes de Carvalho, o CEPC, será extinto. Informa a coluna Repórter 70 que a razão é o número de alunos por sala de aula. Vinte! Ou seja, nenhuma razão para encerrar, pois essa freqüência é o que melhor professores e alunos podem desejar para melhor aproveitamento escolar. Professor Mário, chegue perto porque essa conversa está pra lá de esquisita.

Temporão

A vacina contra a varicela (catapora) foi autorizada para uso em 1995 e a do sarampo, foi desenvolvida em 1963 e autorizada em 1973. Hoje em dia, a vacina do sarampo faz parte do calendário de vacinação de toda criança através da vacina chamada tríplice viral ou MMR (sarampo, rubéola e caxumba). A da varicela é opcional, se não me falha a memória.
Por força de minha atividade profissional de alto risco, vacinei-me contra hepatite B, influenza, tétano e esqueci a @$%#@ da varicela.
Sendo assim, antes deste tempo, todos estavam sujeitos a estas doenças, tidas como "doenças da quadra infantil".
A saudosa Maria Lúcia Medeiros, me contava uma história muito interessante.
A preocupação das mães com estas doenças era grande na época pré-vacinação. Não somente pelo fato de não haver tratamento específico bem como de alguns doentes desenvolverem em alguns casos, complicações graves. Além disso, sabiam as mães de outra característica interessante destas doenças: uma vez contaminado, o doente ganharia imunidade para o resto da vida.
Assim, corria a boca pequena entre as mães, uma estratégia que rezava o seguinte: já que é inevitável, vamos logo expor nossos filhos para que ganhem logo a imunidade de uma vez.
Era comum então, quando uma pobre criança sucumbia ao sarampo, catapora ou rubéola, sua mãe rapidamente ligava para as amigas. Elas, sabedoras do novo caso, rapidamente mandavam seus filhotes a casa do pequeno doente, a título de suposta solidariedade.
Uma semana depois, lá estava a garotada toda de cama.
Minha pobre mãe era desta época. Mas não assumia esta tese. Muito ao contrário, procurava me proteger do contato. Mesmo assim, em casa, todos tiveram estas doenças, menos eu, o filho temporão.
Fui então premiado com o sarampo aos 27 e a varicela aos 45 anos.
Deixa eu voltar pra cama que a febre já está voltando.

quinta-feira, 16 de agosto de 2007

@#$$&#@@%!!!!!

Tudo começou na última sexta-feira.
Minha mulher liga avisando que tinha batido o carro. Com ela, nem um arranhão. Mas o carro, bem, ele iria precisar de sérios reparos. E estava no seguro total.
Tudo bem!
No domingo, após chegarmos do almoço tradicional, comecei a sentir uma leve dor de cabeça. Tomei um analgésico e a dor se foi.
Tudo bem!
Na segunda, após o almoço, a dor de cabeça voltou e logo cessou novamente após nova dose do analgésico. Desta vez contudo, já sentia uma leve indisposição e náuseas.
Intrigado, deitei-me cedo e apeguei-me a um livro para ajudar a relaxar. Mal me deitei, vai-se a energia elétrica.
@#$$&#@@%!
Liga pra Celpa! Corro ao telefone e após uma série de menus de voz e duas quedas de ligação, consegui solicitar reparos. O calor da noite já se mostrava em todo seu esplendor. Por volta de meia-noite, chegam os rapazes da Celpa. Após várias verificações e já pelo início da madrugada, os dois concluem ser um problema de meu disjuntor de 60 ampéres.
@#$$&#@@%!
Já com dores musculares e totalmente incrédulo diante da longa noite que nos aguardava, anuncio à família que a situação era irremediável para o momento. Teríamos que dormir com janelas abertas, no escuro e sem o conforto dos condicionadores de ar.
Fazer o quê?
Amanhece o dia de terça-feira. Acordo molhado de suor e percebo o aumento das dores musculares. Coloco o termômetro. 36,5 graus celsius. Tomo outro analgésico. E vou ao banheiro. Logo na primeira olhada, percebo uma pequena pápula de cerca de 3 mm no nariz.
Os karapanãs devem ter feito a festa nesta @#$$&#@@& de noite.
Como me sinto melhor, parto para o trabalho. Já por volta de 10 h, começo a perceber que minha temperatura corporal está se elevando, a sensação de fraqueza é significativa e aquela pequena pápula agora tem companhia de mais 2, logo abaixo. Ponho mais uma vez o termômetro: 37,8 graus celsius! Agora é febre mesmo.
Vou ao laboratório de análise clínicas e colho um hemograma: 3400 leucócitos com linfocitose, plaquetas normais.
Graças a Deus! É só uma virose!
Resolvo então voltar para casa e repousar. Ao longo do dia, começo a perceber que as pápulas agora já aparecem pelo pescoço, tronco e membros superiores. Algumas já não são mais pápulas e sim vesículas, que coçam bastante. Volta a febre. Outro analgésico.
Sai o eletricista deixando o problema com o disjuntor resolvido.
Graças a Deus! Ao menos uma noite com conforto eu terei.
Amanhece o dia. Acordo com o corpo quente, ardendo em febre. Vou ao banheiro e caio para trás. Meu rosto estava transfigurado. Tomado por vesícula, pápulas e tudo o mais que se possa chamar. Agora até na planta dos pés tenho aquelas "pipoquinhas" intensamente dolorosas, dificultando meu caminhar.
Passo o dia em casa, tomando antitérmicos e vendo as pápulas tomarem conta de meu corpo. Nem adianta descrever o rosto neste momento. Melhor dizer que fui obrigado a tirar o cordão e o relógio de pulso, que definitivamente não conviviam bem ao atritar com as "pipoquinhas".
Recebo a visita de um infectologista amigo à noite que é taxativo: estás com uma febre exantemática. Tratamento: sintomáticos e muita, mas muuuuuiiitta paciencia.
Lembrei-me que tive sarampo aos 27 anos. E não foi nada fácil. Mas e agora?
Dengue?
Retirei-me então para meu quarto, voltando ao bom e velho livro, esgotado de TV a cabo, na tentativa de deixar o tempo passar. Amenizava os surtos de febre com analgésicos e banhos. Muitos banhos.
Acreditem. É o que terão vontade de fazer ao confrontarem-se com a radical alteração na aparência (que já não é lá grande coisa).
Amanhece o dia. As lesões se definem mais. E coçam bastante. Aquela primeira que apareceu no nariz é agora uma grande pápula. Passo as mãos no rosto e sinto toda aquela textura irregular. Aaaarrrgggh!
@#$$&#@@% Isto é uma p.. de uma catapora!
Mifu!
Corro então pro banho. Ao menos uma coisa prazeirosa ainda me resta.
Quem disse.
Faltou água! E a Cosanpa informa que a p... do serviço só termina por volta de meio-dia.
Mais uma mentira. Só voltou às 18 h.
Belém parece sempre estar cobrando um preço muito elevado aqueles que insistem em aqui permanecer.
@#$$&#@@%

domingo, 12 de agosto de 2007

Briga velha, briga boa



Do excelente blog Obvious, tiro esta imagem que é sinalizadora da boa briga que vem por aí, com o lançamento do Mac OS X Leopard.
A publicidade envolvendo as 2 gigantes de sistemas operacionais (Microsoft e Apple), sempre chama a atenção pela qualidade e bom humor.

sexta-feira, 10 de agosto de 2007

Floração do Ipê


Anualmente, no segundo semestre, os funcionários do Hospital Universitário João de Barros Barreto (HUJBB) recebem este incrível presente da natureza.

Um, de seus três Ipês Amarelos explodem em flores. Já assistimos entusiasmados a floração simultânea das 3 árvores. Algo nada frequente. Mas em pelo menos uma oportunidade já testemunhei.

Este ano, contudo, o principal floresceu primeiro e nos deu um banho de alívio, em meio ao duro cotidiano daquela instituição.
Nada mais merecido, em meio aos esforços tremendos que são feitos para manter um hospital universitário.
Quem desejar conferir, é só dar uma passadinha lá. Mas só até segunda. Depois, todas as flores já estarão no chão. E o espetáculo passa para o solo, onde é criado um amplo tapete amarelo.

Leia mais sobre a série Floração do Ipê:

Pausa

Como estarei sem computador provavelmente até o fim de agosto, o ritmo de minhas postagens irá se reduzir, interrompendo temporariamente a série sobre o Circuito Mineiro.
Nada impede contudo que os demais posters do Flanar continuem contribuindo.
Mas quando chegar o novo Macfilho, tudo voltará a normalidade.

quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Beckmann

Com pesar li no Diário do Pará a notícia do falecimento do Professor Clodoaldo Beckmann, ontem, aos oitenta anos. Professor Emérito de Introdução à Cirurgia, fundador do Curso de Biblioteconomia da UFPA, Pro-reitor de Planejamento dessa Universidade, membro do Conselho Estadual de Cultura e do Colégio Brasileiro de Cirurgia, Beckmann era dono de uma personalidade especial, exercitada às vezes com inesperada irreverência conservadora. Os alunos a que ensinou e orientou certamente possuem elenco de episódios que comporiam uma crónica da Faculdade de Medicina e Cirurgia do Pará.
Por exemplo, estávamos no quinto ano de medicina, quando eu e mais uns quatro ex-alunos do professor o procuramos na Pro-reitoria para pedir-lhe orientação sobre internato (estágio de sexto-ano) em centros do sudeste. Rapidamente ele fez os contatos e providenciou cartas que nos garantiram internato nos hospitais do hoje extinto INAMPS em São Paulo e da Santa Casa de Misericórdia do RJ.
Já estávamos quase de saída, quando lembramos de pedir por um colega que militava no movimento estudantil e ex-vizinho dele no Edifício Gualo. Incontinenti Beckmann redarguiu com veemência: NÃO, ele é do PT! O PT que providencie estágio para ele! Iniciou-se um debate em que explicamos que o professor estava enganado, o colega não era do PT (na verdade simpatizante do PCB). Ao final, Beckmann aquiesceu, fez os telefonemas, redigiu a recomendação com igual alegria e satisfação que antes fizera para nós.
Passaram-se dezesseis anos e aquele colega agora dirigia a SESMA, representando o PPS no segundo governo Edmilson. Eis que encontro o Professor Beckmann no lançamento de um livro sobre medicina, que não guardei o nome. Cumprimentamo-nos e lá pelas tantas ele se sai com essa: Viu como ele era do PT!? É secretário de saúde do Edmilson!!! De nada adiantaria eu explicar que o Amaury nunca foi do PT, fora do PCB e agora militava do PPS. Se o fizesse, ele daria aquele tapinha no meu ombro e diria: Menino, é tudo a mesma coisa... não tem diferença.
Com tristeza e carinho sou obrigado a escrever-lhe essa última linha: Descanse em paz, Mestre.

terça-feira, 7 de agosto de 2007

Saiu o novo iMac




Steve Jobs anda impossível.
Nesta terça - como já é tradição na companhia de Cupertino - ele fez pessoalmente o lançamento do novo iMac.
Segundo o IDG Now!, o nôvo iMac está mais poderoso, mais fino e muito mais bonito.
Feito em vidro e alumínio, a configuração do modelo mais baratinho é de deixar na lona qualquer PC atual.
  • Processador Intel Core 2 Duo de 2 Ghz (até 2,8 Ghz)
  • 1 Gbyte de RAM DDR2 (até 4 Gbytes)
  • HD 250 gbytes Serial ATA 7200 rpm (até 1 terabyte)
  • DVD R/RW - CDR/RW (Superdrive)
  • Vídeo 20 polegadas (até 24 polegadas)
  • Placa de Vídeo off board ATI Radeon HD 2400 XT 128 mbytes de DDR3 RAM (até ATI Radeon HD 2600 PRO com 256 mbytes de DDR3 RAM)
  • Wireless (802.11 n), Bluetooth 2.0 e Gigabit Ethernet

O mais baratinho deve sair por 1199 dólares nos EUA. Já o mais caro, não sai da loja por menos de 1800 dólares.

Veja o sítio da Apple e confira a novidade de hoje em Cupertino.

domingo, 5 de agosto de 2007

Os tolos

O internacionalismo é página das mais bonitas na história das esquerdas. Mas, a iniciativa do Partido dos Trabalhadores de assinar termo de cooperação com o Partido Baath da Síria e, pior, as justificativas do por que o fez, iluminam a vesguice de quem a defende como estatégia anedótica de contraposição à hegemonia norte-americana na região.
Para entedermos a dimensão da estultice, a instituição política que sustentava as ações corruptas e assassinas de Sadam Husseim era exatamente a representação do Partido Baath no Iraque, pois tal agremiação é de vocação panárabe (Líbano, Iemen, Jordânia, Sudão, Autoridade Palestina), portanto fundamentado no advento do grande Islã, isto é: um só povo (islâmico), um só estado (o Islã: a unidade dos estados islâmicos, mas não necessariamente de povos árabes), reunidos sob um só Deus (Alá).
Orra, erra quem viu nessa confissão ideológica correspondência com outra; proclamada na Alemanha dos anos 30: ein Volk, ein Reich, ein Führer, conforme se lê no livro Minha Luta?
Certamente entre os que identificam semelhanças não encontramos os Berzoini e Pomar, que, na pressa de salvarem as respectivas idoneidades ideológicas díspares, chamam a Fundação Simon Wiesenthal de cínica, quando com justeza aquela demonstrou indignação com a assinatura de um acordo que não coopera com a inteligência exigida para abordar a questão do Oriente Médio.
Pois bem, dos tolos, eles tão diferentes dos simples e justos, a arrogância não garante o reino, esteja ele aqui na terra ou no céu.

sexta-feira, 3 de agosto de 2007

Circuito Mineiro - Pousadas sugeridas

Aqui um resumo das sugestões de pousadas deste roteiro, para aqueles que pretendem repetir a experiência. Garantimos que ninguém vai se sentir desconfortável em nenhuma destas pousadas de preços acessíveis.
A não ser que você esteja boiando em dinheiro, não existe motivo para declinar destas sugestões.
Mas se você estiver boiando em dinheiro, vai encontrar também opções com preços estratosféricos nas 3 localidades.
Como a ansiedade pelo detalhamento do roteiro foi grande, resolvemos antecipar as indicações antes de terminar a descrição do circuito.
Nos próximos posts, BH e Ouro Preto.

São João Del Rei
Pousada Estação do Trem - Média, bom preço, bom café-da-manhã, montada em um casarão antigo, com localização estratégica para quem pretende fazer o passeio da Maria Fumaça até Tiradentes. Bem em frente da estação do trem. Mas fica a mais de 5 quadras da praça central de SJDR, com a Igreja de São Francisco de Assis (onde está o cemitério de Tancredo Neves). Mas se você estiver de carro, não vai fazer diferença.
Há uma agência do Banco do Brasil quase na esquina.

Tiradentes
Pousada Mãe D'Água - Ampla, preço um pouquinho acima da média, muito confortável, quartos amplos e ventilados, 2 piscinas, internet, sala de jogos, caixa eletrônico do Banco do Brasil, mas de localização privilegiada, em pleno Largo das Forras, onde todos se encontram.

Ouro Preto
Pousada Nello Nuno - Pequena, bom preço, confortável, ambiente familiar, possibilitando trocas com outros viajantes, especialmente durante o café-da-manhã que é feito em uma grande mesa única. Possui área de convivência interna. Fica a uma quadra e meia (menos de 100 metros) do centro histórico com o Museu da Inconfidência, o Monumento à Tiradentes e Museu de Ciência e Tecnologia de Ouro Preto (com uma das mais competas coleções de gemas do mundo).
A agência do Banco do Brasil em Ouro Preto fica descendo a Rua Direita. Não é perto da pousada e exige preparo físico para a subida de volta ao centro histórico.

Circuito Mineiro - Bichinho, Congonhas e BH


Bichinho (MG) - Minha cunhada brinca com o artesanato local.

Após um excelente café-da-manhã na Pousada Mãe D'Água, saímos de Tiradentes por volta de 9 horas. Destino final: Belo Horizonte. Paradas em Bichinho e Congonhas do Campo.
De Tiradentes até Bichinho, pegamos o trecho mais difícil da Estrada Real, literalmente comendo poeira. Quebramos uma parte do pára-brisa dianteiro, e decidimos então aumentar o espaço entre os 2 carros. Assim evitávamos ficar comendo a poeira e as pedras liberadas pelo veículo líder.
Mas afinal, qual a razão para ir até o desconhecido lugarejo de Bichinho (é exatamente isso que ele é)? Primeira razão: percorrer este trecho virgem e demarcado da velha Estrada Real, com belas paisagens campestres entre montanhas e declives.
Segunda razão: Bichinho é onde é fabricada uma das cachaças mais especiais do país. A Tabaroa.
Terceira razão: o melhor e mais barato artesanato mineiro está distribuído ao longo da Estrada Real até Bichinho.
Quarta razão: comer no restaurante caseiro Tempero da Ângela.

De fato a estrada até Bichinho é ora de pedras assentadas toscamente ou de puro chão batido e poeira. Muito cuidado é aconselhável no trecho. Baixa velocidade e nunca ir no período chuvoso.
Fica tudo muito escorregadio. Existem também inúmeros "mata-burros" ao longo da Estrada Real, instalados por fazendeiros. Tratam-se de grandes valas no caminho dos carros, com apenas improvisadas pontes com espaço para cada um dos pneus.
O Tempero da Ângela merece uma descrição toda especial. Trata-se de um casebre, onde você pode chegar pedindo informações aos moradores. Por um módico preço fixo, você pega seu prato, vai até a cozinha da Ângela e se serve à vontade. Lá você encontra além de uma boa variedade de saladas, o tradicional tutu à mineira com leitão, feijão tropeiro, frango cozido com ora-pro-nobis (tempero silvestre, típico da região) e pode finalizar tudo com geléias e doce-de-leite.
As verduras utilizadas na cozinha são cultivadas no quintal da Ângela, à vista de todos no pátio do restaurante. Vi pessoas de todo o Brasil por lá. Inclusive alguns estrangeiros.
Altamente recomendável após sair de Tiradentes, sendo indicado mesmo como a parada perfeita para o almoço, rumo a BR 040, com destino a Belo Horizonte (BH).


Bichinho (MG) - Igreja simples da localidade.

Em Bichinho - que na verdade se chama Vitoriano Veloso - ainda perguntando aos nativos, você chega facilmente a uma digna casinha localizada bem em frente a igreja matriz da localidade (foto acima), onde uma bela mineira vai lhe vender um litro da cachaça Tabaroa (30 reais).
Posso dizer que é uma excelente cachaça e vale parte do passeio até Bichinho. Consulte o Google sobre a Tabaroa e você verá a boa reputação dela.
Na igreja matriz, a curiosidade é despertada pelos símbolos afixados no cruzeiro que fica bem em frente à Igreja Matriz. A foto aí está para quem desejar decifrá-los. Estes símbolos se repetiam em cruzeiros de várias igrejas mineiras: há o martelo, os pregos, o serrote, as mãos, ossos cruzados, enfim, uma grande variedade de símbolos afixados na cruz.
Pergunte a vendedora da cachaça que ela, de tanto perguntarem, já tem a resposta na ponta da língua.
Deixamos então, com o coração e o estômago apertados, o lugarejo de Bichinho, pegando os últimos trechos inteiramente virgens da Estrada Real, rumo novamente à perigosa BR 040, com destino a Congonhas do Campo. Neste trecho, a BR 040 é verdadeiramente muito perigosa, com intenso tráfego pesado e curvas acentuadas em declive. Cuidado!


Congonhas (MG) - Santuário do Senhor Bom Jesus de Matosinhos.

Por volta de 16:30 h, chegamos então à Congonhas do Campo, sede do maior conjunto de arte barroca do Brasil, obra mais significativa do mestre Aleijadinho.
A cidade em si não tem nada que justifique seu pernoite lá. Neste ponto, melhor é pernoitar em BH, a poucos quilômetros de distância.
Chegando a Congonhas, fomos direto ao conjunto arquitetônico do Santuário do Senhor Bom Jesus de Matosinhos. Uma esplêndida construção barroca no ponto mais elevado da cidade, com os famosos Profetas de Aleijadinho.
O conjunto se constitui pela Igreja, o adro com os profetas e abaixo, as capelas com as estações da paixão de Cristo, contendo maravilhosas esculturas em cedro do Líbano, feitas por Aleijadinho.
Difícil dizer o que é mais bonito. Mas as esculturas em madeira, são realmente impressionantes.
Alguma decepção ao constatar o vandalismo nas estátuas de pedra sabão dos profetas, um deles com 2 dedos decepados, e todos com inscrições feitas maldosamente.
A pedra sabão tem esta particularidade. É resistente a uma gota de água pingando-lhe por anos a fio. Mas não resiste a ponta de um estilete, ou mesmo de uma unha de dedo. É maleável e boa de esculpir. Mas não resiste a impactos ou marcações.


Congonhas (MG) - Jeremias aponta os céus.

Um belo final de tarde de inverno nos recebeu. Como tínhamos pouquíssimo tempo nesta parada, contratamos o guia local (sempre presentes e credenciados nos principais pontos turísticos do interior de Minas) que nos fez a descrição ponto-a-ponto de cada uma das obras do conjunto. Contrate-o sem pestanejar. Vai fazer muita diferença. São jovens bem formados, cumprindo um trabalho digno e honesto com maestria.


Congonhas (MG) - Capelas dos Passos da Paixão de Cristo.

As capelas da Paixão de Cristo estão dispostas simetricamente na descida da Igreja dos profetas.
Desça até a última e venha subindo com o guia em direção a apoteose do roteiro, que devem ser os profetas no adro da Igreja de Bom Jesus de Matosinhos.


Congonhas (MG) - Esculturas em cedro do Líbano.

É permitido fotografar as esculturas em madeira do interior das capelas e a luz é favorável exatamente neste horário, quando então, alguns personagens são iluminados diretamente.
Não se sabe se propositalmente.


Congonhas (MG) - Detalhes incríveis realçados com a luz natural.


Congonhas (MG) - Perfeição anatômica do sistema venoso.


Congonhas (MG) - A fantástica concepção da última ceia.

Na última ceia de Aleijadinho, podemos perceber algumas características que se repetem em suas esculturas: olhos esbugalhados, queixo afilado, costeletas saindo de trás das orelhas e os dedos médio e indicador unidos. Além disto, os apóstolos teriam sido feitos à imagem e semelhança dos inconfidentes. O Cristo e os dois apóstolos do centro da mesa (que é redonda na representação de Aleijadinho), são imagens que foram feitas apenas da cintura para cima. Aleijadinho teria optado por esta solução, por ter pouco tempo para concluir o conjunto todo.
Ele parecia ser um artista muito requisitado, com vários projetos paralelos na região.


Congonhas (MG) - Entardecer no adro de Bom Jesus de Matosinhos.

Ao final do passeio pelo santuário, uma última foto para registrar a beleza daquele fantástico santuário barroco.


Estrada Real (MG) - Muita Poeira...

Aqui se pode ter uma idéia de um dos trechos bons da Estrada Real de Tiradentes a Bichinho. No mais, são curvas acentuadas em declive com muita poeira. Mas as paisagens são indescritíveis.


Estrada Real (Bichinho) - ...com imagens surpreendentes...

Os latões de leite, dispostos aos pares ao longo da Estrada Real, fazem sobressair velhos costumes do povo daquela região e geram boas fotografias.


Estrada Real - ...de simplicidade interiorana (Foto: Adriana Barretto).

Alguma dia, eles já foram azuis e vistosos.


Estrada Real - Marcos distribuídos ao longo do trecho.



Estrada Real - Detalhe do Marco, com a localização de nosso trecho.

quinta-feira, 2 de agosto de 2007

Flanando pelo Google Earth


Tiradentes - Largo das Forras

Nesta foto de satélite, no centro e acima, bem arborizado por Burle Marx, aparece o alvo principal do agito turístico em Tiradentes: o Largo das Forras.
No centro e abaixo, uma das piscinas da Pousada Mãe D'Água, indicada pelo Flanar.

Latitude: 21° 6'37.39"S
Longitude: 44°10'25.99"O

Circuito Mineiro - Tiradentes


Tiradentes - Fachada da Pousada Mãe D'Água.

Naquela região montanhosa, de altitudes em torno de 1100 metros, normalmente as noites são frias o ano inteiro. Mas no inverno, são mais.
Pela manhã, ao nascer do sol, a temperatura vai subindo rapidamente até agradáveis 22 graus. Mas à sombra e dentro de edificações, o frio fica sempre retido.
À noite a coisa se complica, chegando nesta época do ano a 13 graus. Mas pode chegar a menos. Bem menos.
Há que se estar sempre preparado para quedas repentinas.
Mas o uso de boas jaquetas associado a uma camiseta básica como segunda pele costuma ser suficiente. De manhã, o calor acaba permitindo o uso de roupas quase normais.
Importante detalhe é que o ar além de frio é seco. Os lábios tem uma tendência enorme a rachar e abrir feridinhas desagradáveis. Necessário levar um protetor labial que deve andar no bolso.
As pousadas normalmente oferecem conforto com quartos equipados para as baixas temperaturas, chuveiros elétricos para o banho até piscinas aquecidas. Mas é indispensável levar suas roupas de frio.

Após apreciar o espetáculo dos maquinistas da Maria Fumaça que nos trouxe de São João Del Rei, retomamos nosso veículo e entramos na pequena e linda cidade de Tiradentes.
Optamos por uma pousada de boa localização, preços razoáveis e bem aparelhada. É o caso da Pousada Mãe D'Água, situada em plena praça central da cidade (local de alta concentração de turistas), também chamado de centro histórico e conhecido como Largo das Forras (segundo o
sítio Portal Ouro Preto, o Largo tem este nome pois muitas escravas alforriadas (chamadas de forras) tinham pequenas vendas por lá).
De fachada colonial, em total harmonia com o centro histórico, a pousada é uma falsa casa antiga. Por dentro, o hóspede se surpreende com suas instalações bem equipadas com 2 piscinas (uma aquecida e coberta), sala de jogos, internet, e um excelente café-da-manhã. As reservas antecipadas para a temporada de inverno são indispensáveis.
Mas existem muitas outras para todos os gostos e bicos. A pequena cidade vive do turismo.


Tiradentes - Largo das Forras e as charretes.

O Largo das Forras é mesmo onde todos se concentram para fazer os principais passeios pela cidade. E é também onde se localizam os principais e mais interessantes restaurantes de comida mineira, bares e lojas de artesanato.
Lá mesmo, pode-se alugar charretes e fazer o passeio pelos principais pontos turísticos da região, sendo que o guia autorizado pode ser o próprio condutor da charrete.


Tiradentes - Típico casario colonial da cidade.

As ruas de Tiradentes são todas em pedras grosseiramente ajustadas ao solo, bastante desalinhadas, de tal forma que o sacolejo nos carros, bicicletas e mesmo charretes é bem desconfortável. O calçamento é conhecido como capistrana. O melhor é deixar o carro no estacionamento e alugar a charrete. Ou então, encarar o passeio a pé enfrentando as íngremes ladeiras. Aí, depende da saúde e disposição de cada um.


Tiradentes - Igreja Matriz de Santo Antonio

A Matriz de Santo Antonio é a principal e mais importante igreja de Tiradentes. Concluída em 1752, teve o frontispício desenhado pelo Aleijadinho e tem um altar com a segunda maior quantidade em ouro. Situada em terreno alto, pode ser vista de quase todos os lugares da cidade.
Seu piso é de madeira e serviu de cemitério para nobres e até escravos da época.


Tiradentes - Altar mor da Matriz de Santo Antonio.

Aqui, inadvertidamente cometi uma incorreção da qual me penitencio de público: fotografei o altar-mor folheado a ouro.
Depois fui avisado mas já havia cometido o erro. Me desculpei pelo ímpeto e guardei a câmera.
Mas aí está o registro do maravilhoso altar. Entusiasmava-me precocemente pela beleza da obra. Não imaginava as maravilhas que ainda veria no decorrer da viagem. Principalmente em Ouro Preto.


Tiradentes - Chafariz de São José.

O Chafariz de São José é uma fonte pública de água potável de belo projeto. Datado de 1749, do chafariz três bicas em bronze jorram água para deleite dos visitantes. Segundo informam os guias locais, cada uma das bicas tem um significado de bom algúrio para quem delas sorver a água: riqueza, amor e saúde.


Tiradentes - Matriz de Santo Antonio vista do chafariz.

Do chafariz, aplicando-se um zoom na câmera pode-se tirar uma boa fotografia da principal igreja de Tiradentes. A Igreja Matriz de Santo Antonio.


Tiradentes - Igreja de N. Sra. do Rosário dos Homens Pretos.

Dedicada a a Irmandade dos Homens Pretos, louva São Benedito e foi construída em 1727.

De volta ao Largo das Forras para o almoço, escolhemos o Célio's, onde experimentamos o leitão, tutu à mineira, torresmo, couve, tudo isso por preço justo e excelente paladar.
Ninguém sobreviveu. Corremos à pousada do outro lado da praça, a princípio com a intenção de dormir um pouco. Mas o sono pesado nos desativou por cerca de 2 horas.
Em outras palavras, coma tudinho mas prepare-se para dormir logo em seguida.
É simplesmente inevitável.


Tiradentes - Vista do alto da colina ao entardecer.

Terminado o curto descanso, dedicamos o final da tarde para subir a colina da Capela de São Francisco de Paula, de onde assistimos o mais belo entardecer de Tiradentes, com o sol desaparecendo atrás das montanhas e trazendo o frio de volta.

Após a catarse provocada pelo entardecer, voltamos então ao Largo das Forras, em tempo de assistir a vitória do Brasil sobre a Argentina na Copa América, em um bar inteiramente lotado por turistas.
A missão Tiradentes, estava então cumprida com fecho de ouro.

Para mais informações sobre a cidade, uma boa sugestão é o sítio da Prefeitura de Tiradentes.
Ler um livro é sempre botar o dedo no gatilho
(Júlio Cortázar)

Importância

Dentre as várias inaugurações de obras de reforma e construção de prédios na Ufpa, previstas para o ano de 2007, em comemoração aos 50 anos da Instituição (www.ufpa.ufpa50anos.br) , não há nenhuma menção ao curso de medicina, ao seu casarão centenário e aos demais prédios que o integram. E pensar que o referido curso, a quando da criação da Universidade, "era o estabelecimento de maior número de funcionários professores e o que concorreu com maior patrimônio para a formação da Universidade" e que "arquitetonicamente, era também o mais importante, apresentando o conjunto edificado mais vistoso e de maior capacidade volumétrica" (Eidorfe Moreira)