sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

A última mordida de 2010


Imagem: Toby Melville (REUTERS)

Fatiando o Tempo

“Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.
Industrializou a esperança
fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano
se cansar e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez
com outro número e outra vontade de acreditar
que daqui pra adiante vai ser diferente…

… para você, desejo o sonho realizado.
O amor esperado.
A esperança renovada...

Para você, desejo todas as cores desta vida.
Todas as alegrias que puder sorrir.
Todas as músicas que puder emocionar.

Para você neste novo ano,
desejo que os amigos sejam mais cúmplices,
que sua família esteja mais unida,
que sua vida seja mais bem vivida.

Gostaria de lhe desejar tantas coisas
mas nada seria suficiente…
Então, desejo apenas que você tenha muitos desejos.
Desejos grandes e que eles possam te mover a cada minuto,
Rumo a sua felicidade!!!”

Carlos Drummond de Andrade

No último dia do ano, exatamente como fiz no primeiro, compartilho com vocês as palavras do poeta mineiro, desejando muitos desejos a todos.
Feliz 2011!

Paz para todos em 2011

Salve, garotos do Flanar! Será que em 2011 haverá uma garota entre nós?
Recebam todos o meu abraço e melhores votos para o novo ano que começa.
E para os nossos comentaristas, tudo de bom, sobretudo paciência, para que continuem nos aturando!!!
Que 2011 chegue com ótimo humor para todos nós. Saúde!

A posse

Desde as seis horas da manhã. A entourage que fará a complexa tarefa de dar a segurança necessária ao evento de posse da 1ª presidenta eleita democraticamente numa das maiores democracias do Mundo, fechará todos os acessos comuns a Esplanada dos Ministérios.

A decoração está à moda do 7 de Setembro. Sóbria.

No entanto, a expectativa para a posse de Dilma Roussef, pupila de Leonel Brizola e, recentemente, de Luis Inácio Lula da Silva -- o presidente dos presidentes --, reunirá, com chuva ou não, uma multidão cheia de prosa e altamente politizada.

Representantes de todos os quadrantes do Globo estarão presentes, e o must é a recepção (jantar), às 18h30 nos belíssimos salões do Itamaraty.

A partir de agora, descançarei para a dura jornada de curtir um mega Réveillon com minha amada e meus amigos, na beira do Lago Paranoá. Exatamente na sede da Ascade, cuja presidenta, coordenei a campanha vitoriosa.

Não tenho que me queixar de 2010.

Aguardo um 2011, cheio de desafios, dado a quantidade de traíras que sucedem-se, após as eleições gerais de 2011.

Fiquem certos. Vai ter plebiscito para criar o Estado do Carajás.

Antes de alguns madarem eu tomar naquele lugar!

– Reflita.

Mas pode mandar eu tomar no...!

Tem nada não!!! Rssss.

E que cor Dilma Rousef vai?

Branco
Amarelo
Vermelho
Verde
Azul ou
Preto?

The way with John Lennon



Completo apanhado da discografia de Mr. John Lennon em carreira solo, em dois volumes

João foi parceiro de Pedro, assim como Jesus.

Nós. Somos parceiros de Jesus.

Um pequeno apanhado musical de um jovem, consagrado, e que a loucura humana sacrificou, assim como Jesus.

Seu martírio não pode ter sido em vão.

Não antes de compor, o que é para mim, a mais bela música de todos os tempos.

The way with Jonh Lennon.

Feliz 2011!

Set List aqui

Renove-se
















Não vou facilitar.

É um, é dois, vem pra cá. Dois três. Vai pra lá.

Dance.

Minha receita é simples: dance. Dance muito. Se você, comilão, fez o óbvio. Comeu muito nesse final de ano,

-- Agora. Dance.

-- Levanta a bunda da poltrona e... Dance.

Dance.

E...

Dance.

Tendências pop by DJ VAMP, num especial para dançar.

-- Dance.

Set List
1 Nova June - "Baby Baby"
2 Nina Simone - "Black Is the Color of My True Love's Hair"
3 Nova June - "Baby Baby"
4 Mighty Bob - "Feeling Good"
5 Mighty Bob - "Feeling Good"
6 Charles Webster; Lisa Lindley-Jones - "The Gift of Freedo..00:1
7 Spiller - "Cry Baby [Royksopp's Målselves Memorabilia Mix]"
8 Nova June - "Baby Baby"
9 Nina Simone - "Black Is the Color of My True Love's Hair"
10 LTJ X-Perience - "Cocos"
11 Spiller - "Cry Baby [Royksopp's Målselves Memorabilia Mix]"
12 Mighty Bob - "Feeling Good"
13 Charles Webster; Lisa Lindley-Jones - "The Gift of Freedo..05:1
14 Gillespie - "Hometown"
15 The Funky Lowlives - "Irreplaceable [The Aphratec Rework]"
16 JT Donaldson - "Leave Your World [Hydro's Disco Dub in ti...
17 Dez; Jurriaan Hakkert; Zoë Noa - "Life Remains the Same"
18 Water - "My Computer"
19 Moodorama - "Nakonda"
20 Earl Zinger; Tosca - "Wonderful"
21 Bugge Wesseltoft - "Yellow Is the Colour"

Não sabe dançar?

-- Na miséria. Toca.

-- Não sabe tocar?

-- Canta.

Não sabe nada disso?

-- Então dá logo a conta da parceira (o). Não te merece.

-- Deleta logo.

La Cage Forever





Vamos relembrar alguns sons?


Os trabalhos começavam, invarialvelmente às 21h00.
Nunca me atrasei, durante três anos.

Um dos set list's mais apreciados era esse:

1 Viena - Ultravox -- sempre, como abertura.
2 She's in Party's - Bauhaus
3 April Skies - The Jesus and Mary Chain
4 Money's too Tight to Mention - Simple Red
5 Let's Dance - David Bowie
6 Don't You Forget About Me - Simple Minds
7 The Look Of Love - ABC
8 Alive and Kicking (Extended Remix) - Simple Minds
9 Unfinished Sympathy (Paul Oakenfold Remix) - Massive Attack
10 Siouxsie & The Banshees - Cities in Dust (Extended Remix)
11 Yazoo - Situation (12" Mix)
12 New Order - Blue Monday
13 Together in Electric Dreams - Giorgio Moroder
14 This Time - INXs
15 Lenny Kravitz - Mr. Cab Driver
16 Pretenders - "Back On The Chain Gang"
17 Lenny Kravitz - "Mr. Cab Driver"
18 Pretenders - "Back On The Chain Gang"
19 "The Smiths - The Boy With the Thorn in his Side"
20 The Cure - "Boy's Don't Cry"
21 A-Ha - "Take on Me"
22 Don't Get Me Wrong - "The Pretenders"
23 Sique Sique Sputnik - "Love Missiles"
24 Dire Straits - "Sultans of Swing"

É apenas uma das sequências da noite daquela que foi uma Casa Noturna: Mágica!

No suporte ao Vivo: Maria Lídia, Marco Monteiro e Walter Bandeira.

Era dú caralho!

No decorrer das minhas férias, curtíssimas. Voltarei com mais algumas das sequências inimitáveis, da  La Cage.

Para relembrar.

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Dose dupla com Regina Spektor




















Minha musa, que é a cara de outra de minhas musas (Marisa Monte, com a diferença dos olhos). Comparece no Flanar com dois especiais abrangendo o essencial de sua carreira.

Mas, o que diabos é o anti folk, gênero musical do qual a russa, naturalizada americana, faz na cena musical underground novaiorquina?

-- Bem, a explicação, claro, não é fácil. Mas, vejamos alguns fundamentos.

O gênero que pretende -- nunca vai conseguir --, antepor-se ao Folk, pelo pouco que sei, adotou estilo despojado de interpretação, pontuando letras que falam sobre experiências muito pessoais do artista --e, sempre, de forma sarcástica e gozadora.

Digamos que é um exercício piscológico dos demônios que cercam seus protagonistas, e os nossos próprios demônios. Daí a identificação que eu e outros milhões de fãs tiveram com essa criatura doce e cheia de talento?

-- Emoção, diria.

O sub gênero rock, balanceia uma mistura de punk com acústico e tem temas corriqueiros. As letras são curtas e complexas, com pontos nilistas, misturado com sagacidade e esperança de dias melhores.

É algo muito positivo apesar do anti, na sua designação.

Notas do blog:

Nilismo = redução ao nada; descrença absoluta; doutrina política russa que recusava toda e qualquer imposição social e que defendia que o progresso da sociedade só seria possível após a destruição de tudo o que socialmente existe;

Filos = doutrina segundo a qual não existe nada de absoluto (inexistência de realidade substancial) nem possibilidade de conhecimento do real e que, por isso, se caracteriza por um pessimismo metafísico e por um ceticismo relativamente aos valores tradicionais (morais, teológicos, estéticos).

Esse caldeirão é o anti folk.

Set List

1 Regina Spektor - "Love Affair"
2 Regina Spektor - "Marry Ann"
3 Regina Spektor - "Rejazz"
4 Regina Spektor - "Back Of A Truck"
5 Regina Spektor - "Buildings"
6 Regina Spektor - "Flyin"
7 Regina Spektor - "Wasteside"
8 Regina Spektor - "Pavlov's Daughter"
9 Regina Spektor - "2.99c Blues"
10 Regina Spektor - "Braille"
11 Regina Spektor - "I Want To Sing"
12 Regina Spektor - "Sunshine"
13 Regina Spektor - "Oedipus"
14 Regina Spektor - "Prisoners"
15 Regina Spektor - "Reading Time With Pickle"
16 Regina Spektor - "Consequence Of Sounds"
17 Regina Spektor - "Daniel Cowman"
18 Regina Spektor - "Bon Idée"
19 Regina Spektor - "Aching To Pupate"
20 Regina Spektor - "Lounge"
21 Regina Spektor - "Lacrimosa"
22 Regina Spektor - "Lulliby"
23 Regina Spektor - "Ne Me Quitte Pas"

Enjoy!

2010, o ano do livro



"-...mas, quem é você, afinal? - Sou a parte da força que quer sempre o mal, mas sempre faz o bem."
(epígrafe de O Mestre e Margarida; retirada de Fausto, de Goethe)

Pense num ano espetacular para a leitura: assim eu defino 2010.
Li muitos livros excelentes, reli outros e tive poucas decepções.
Dos livros editados neste ano no Brasil, eu destaco e recomendo aos flâneurs
Solar, de escocês Ian McEwan (eu adoro anti-heróis!) e o incrível O Mestre e Margarida, do russo Mikhail Bulgákov.
Este último influenciou sobremaneira a cultura ocidental das últimas décadas, através de músicas como Sympathy for The Devil, dos Rolling Stones, Pilate, do Pearl Jam e até Love and Destroy, da banda Franz Ferdinand, além de ter servido de inspiração para livros importantes, como Os Versos Satânicos, de Salman Rushdie.
Satisfação garantida ou seus neurônios de volta...

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

David Bowie Special Vol.1 e 2
















David Bowie é um dos artistas mais fantásticos do showbusiness, e ainda mais relevante para a história do rock.

É um tanto constrangedor não termos espaço suficiente para abordarmos a tumultuada vida desse pop star essencial para se entender a verdadeira revolução que Bowie ajudou a construir na história do Rock e, um pouco depois, do Pop.

Ouvir seus discos (Lp's) originais é uma experiência que recomendo para qualquer músico iniciante ou para os leitores interessados em algo que é sinônimo de ungerground, experimentalismos e muito criatividade em cada uma de suas fases. Apelidada, de maneira bastante adequada pela crítica especializada de: "as fases do camaleão". Ou simplesmente DV: o Camaleão.

Em 1971, DV lança seu 4º álbum, intitulado Hunky Dory, era conceitual. Um ano depois, o pop star declarou: "Eu vou ser importante, e isso é, de certa forma, assustador."

A declaração refletia um pouco o passado recente do artista. de muito aperto e dificuldades.

A frase diz muito sobre a loucura de ter a vida virada de cabeça pra baixo, como com um "estalo" de dedos de um gênio da lâmpada, nas remotas histórias das mil e uma noites.

O álbum acima, retratava a vida de um travesti de cabeça raspada. Vendo que o negócio tava pegando. O então desconhecido músico, declara para editores de fanzines (um blog com conceito diferente, mas com repercussão como os blog's de hoje) e pequenas publicações do underground mais obscuro de Londres que era gay. Omitindo que era além de cantor, compositor, multinstrumentista e ator.

O encândalo catapultou sua insípida carreira. Ele diz que isso tudo o divertiu imensamente. Ocorre que ele resolve investir no trabalho sobre canções que relatavam um personagem em moda, naquela época: os astronautas.
O herói era descrito, assim como sua Odisséia em "The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars", de 1972.

David Bowie não parou e numa sequência alucinante de show's, filmes e discos. Lançou para o mundo:

1973 Aladdin Sane
1973 Pin Ups
1974 Diamond Dogs
1975 Young Americans
1976 Station to Station
1977 Low
1977 "Heroes"
1979 Lodger
1980 Scary Monsters (and Super Creeps)
1983 Let's Dance
1984 Tonight

Antes:
1966 David Bowie
1970 The Man Who Sold the World
1972 The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars

E depois:
1987 Never Let Me Down
1989 Tin Machine (com a banda Tin Machine)
1991 Tin Machine II (com a banda Tin Machine)
1993 Black Tie White Noise
1995 Outside
1997 Earthling
1999 'Hours...'
2002 Heathen
2003 Reality

E ainda:
1971 David Live
1978 Stage
1983 Ziggy Stardust: The Motion Picture
1992 Tin Machine Live: Oy Vey, Baby
1994 Santa Monica '72
2008 Glass Spider Live
2009 VH1 Storytellers
2010 A Reality Tour

Mais as trilhas sonoras de:

1981 Christiane F.
1986 Labyrinth (com Trevor Jones)
1993 The Buddha of Suburbia

Há a produção do Bowie como ator:

O primeiro grande papel de Bowie, em O homem que caiu na Terra, foi muito aclamado. Na década de 1960 fez aparições em filmes de vanguarda, principalmente em papéis secundários. Desde então, sua carreira foi bastante esporádica. O filme Furyo, em nome da honra (Merry Christmas, Mr. Lawrence), de Nagisa Oshima, baseado na novela de Laurens van der Post, foi lançado em 1983. Bowie interpretou o major Jack Celliers, um prisioneiro de guerra em um acampamento japonês. Outro músico famoso, Ryuichi Sakamoto, interpretou o comandante do acampamento. No mesmo ano interpretou um vampiro em The Hunger. Bowie também fez o papel de Pôncio Pilatos em A última tentação de Cristo (The last temptation of Christ), de Martin Scorsese e atuou em Zoolander (2001) ao lado de Ben Stiller

Furyo impressionou alguns críticos, mas o projeto seguinte, o musical de rock Absolute beginners (1986), decepcionou tanto a crítica quanto o público. No mesmo ano atuou em Labirinto, a magia do tempo, interpretando Jareth, o Rei dos Duendes.

Sua última atuação foi interpretando Nikola Tesla em O grande truque (The prestige), de 2006. Em 2007 cedeu sua voz para o personagem Maltazar na animação Arthur e os Minimoys (Arthur and the Mininoys / Arthur et les Minimoys). Seu próximo filme é 'August' onde atua ao lado do ator Josh Hartnet ainda sem data de estreia.

Em 2009 teve participação especial como ele mesmo no musical de rock independente chamado Bandslam. (Wikipédia).

O set list abaixo obedece a ordem da turnê mundial de 2003, batizada de: "A Reality Tour". Com mídia no formato dois cd's ou dvd do show. Mas, só lançado este ano.
O álbum traz as apresentações de 22 e 23 de novembro de 2003, em Dublin, durante o andamento da turnê. Esta é uma versão em áudio do vídeo show de mesmo nome, exceto que ele adiciona três faixas bônus. O download digital no iTunes acrescenta mais duas faixas bônus.

Mais uma exclusividade do Flanar, para os amantes da boa música.

Set List 1
  1. "Rebel Rebel" - 3:30
  2. "New Killer Star" - 4:59
  3. "Reality" - 5:08
  4. "Fame" (Bowie, John Lennon, Carlos Alomar) - 4:12
  5. "Cactus" (Black Francis) - 3:01
  6. "Sister Midnight" (Bowie, Alomar, Iggy Pop) - 4:37
  7. "Afraid" - 3:28
  8. "All the Young Dudes" - 3:48
  9. "Be My Wife" - 3:15
  10. "The Loneliest Guy" - 3:58
  11. "The Man Who Sold the World" - 4:18
  12. "Fantastic Voyage" (Bowie, Brian Eno) - 3:13
  13. "Hallo Spaceboy" (Bowie, Eno) - 5:28
  14. "Sunday" - 7:56
  15. "Under Pressure" (Bowie, Freddie Mercury, John Deacon, Brian May, Roger Taylor) - 4:18
  16. "Life on Mars?" - 4:40
  17. "Battle for Britain (The Letter)" (Bowie, Reeves Gabrels, Mark Plati) - 4:55

Set List 2

  1. "Ashes to Ashes" - 5:46
  2. "The Motel" - 5:44
  3. "Loving the Alien" - 5:17
  4. "Never Get Old" - 4:18
  5. "Changes" - 3:51
  6. "I'm Afraid of Americans" (Bowie, Eno) - 5:17
  7. "Heroes" (Bowie, Eno) - 6:58
  8. "Bring Me the Disco King" - 7:56
  9. "Slip Away" - 5:56
  10. "Heathen (The Rays)" - 6:24
  11. "Five Years" - 4:19
  12. "Hang on to Yourself" - 2:50
  13. "Ziggy Stardust" - 3:44
  14. "Fall Dog Bombs the Moon" - 4:11
  15. "Breaking Glass" (Bowie, Dennis Davis, George Murray) - 2:27
  16. "China Girl" (Bowie, Pop) - 4:18

As faixas 14–16 não estão incluídas no vídeo concerto.

Faixas bônus no download digital (iTunes)

  1. "5:15 The Angels Have Gone" - 5:22
  2. "Days" - 3:25
Ah! só mais uma pequena lembrança.

David Bowie foi o 1º artista a lançar sua produção e obra completa na bolsa de valores, de Londres e do Mundo.

Você sabia que você pode ser sócio dos lucros do Camaleão?

Uma era de escuridão

Tinha decidido não escrever uma só linha sobre o novo governo tucano, que começará em poucos dias. Afinal, seria perda de tempo. A uma, pela sensação de mais do mesmo causada pelo retorno ao poder de um grupo que o teve por 12 anos, com total soberba e sem qualquer oposição viável, entremeado por um hiato de inúteis 4 anos de gestão petista. A duas, porque criticar as decisões tomadas por um tucano me transforma numa vitrine para todo tipo de ódio. Tucanos não erram. Tucanos não se enganam. São sempre perfeitos e praticamente divinais.
Assim, tenho visto as notícias sobre a formação do secretariado com aquele ar de obviedade. Colocar nas funções gente para vagar suplências parlamentares, permitindo o retorno de amigos velhos na política, no mau sentido. Tudo permeado pelo já conhecido discurso jatenista de união, de mãos dadas, de isenção. Quem odiava meio mundo era o Almir. Ele não, é apenas um administrador cônscio de suas responsabilidades. Sei.
Ontem, todavia, estremeci quando vi o anúncio de que o arquiteto Paulo Chaves voltaria à pasta da cultura. Mesmo assim, não quis escrever sobre. Acabei me rendendo, sensibilizado por esta postagem do Edyr Proença, que vive no e para o teatro e sabe do que está falando. E por que, num Estado repleto de conflitos agrários, caos na saúde, isolamento geográfico e sub-desenvolvimento científico-tecnológico, o que me incomoda é justamente a cultura? Talvez por ter na família uma pessoa ligada a esse mundo e que, como Edyr, sabe o que se pode esperar do futuro que se desenha. Talvez por ter escrevido, mais de uma vez, sobre a falta de políticas culturais, em meu outro blog.
Acima de tudo, com certeza, por ver na presença de Paulo Chaves uma síntese do estilo PSDB de governar: elitista, preocupado com obras milionárias (mas projetadas sem ter, sequer, um fraldário), que caem no gosto da verborrágica classe média. Daí o sucesso. Ricos não se manifestam (os ricos de verdade, bem entendido), porque para eles tudo está sempre bom. Pobres até se manifestam, mas ninguém lhes dá ouvidos. Aí entra a classe média, com sua gana por funcionar como formadora de opinião, e define quem merece viver e quem não. Conheço uma cidadã que me proibiu de ir à Estação das Docas, porque é uma obra tucana. Que tal? Em sua cabecinha, ou eu me ajoelho perante seus deuses pagãos e os adoro, ou não posso exercitar a liberdade de ir e vir que uma tal de Constituição me deu. Porque antes do PSDB não tínhamos nem isso. Sei. Já conheço esse discurso.
Enfim, nada de novo no horizonte. Pelo contrário, apenas velharias que não valem um antiquário. Mas fica aqui o meu lamento, que nem protesto isto chega a ser, sempre esperando que sirva de advertência aos vivos. O futuro dirá quem errou. Se bem que, em se tratando de PSDB no Pará, nem essa esperança podemos ter.

PS - Para avisar os cidadãos ofendidos com este texto, eu não tenho nenhum cargo no governo petista. Minha vida pessoal não vai mudar após 1º de janeiro, ok?

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Parada estratégica

Este poster vai fazer uma parada nas postagens até o dia 4 de janeiro de 2011. Uma viagem com os filhos e a necessidade de merecido descanso é o motivo principal. Muito embora eu deva confessar que, com os recursos tecnológicos que dispomos hoje com internet móvel, seja mesmo uma tentação voltar aqui a qualquer momento, é improvável que eu o faça. 
Sendo assim, me antecipo e desejo aos nossos leitores e aos queridos parceiros do blog uma ótima passagem de ano e um ano de 2011 melhor.

Tim Tim!

Show de imagens no The Big Picture

Imagem: Alessandro Della Bella (AP Photo/Keystone)
Imagens espetaculares como esta, de Alessandro Della Bella (AP Photo/Keystone), você vai ver no tradicionalíssimo The Big Picture, associado ao The Boston Globe.  Um passeio pelo ano de 2010, em imagens de grande impacto.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Anotem esse nome: Regina Spektor
















A moça, Regina Spektor, é uma cantora, compositora e pianista russa radicada nos Estados Unidos. Sua música é associada ao cenário antifolk de Nova Iorque localizado no East Village.

É minha aposta para 2011.

Gostaria muito de vê-la ao vivo no Rock in Rio 4.

Minha lista dos melhores do rock em 2010

Você já devem saber que eu detesto listas. Mas, tenho que me render a esta.

É minha opinião pessoal sobre o que há de melhor que foi lançado nas Lojas este ano que se encerra daqui a poucos dias.

A exceção do Radiohead que não é mais considerado um banda indie e sim cult, os demais, ainda estão catalogados no gênero indie -- que vem a ser --, sinônimo de reveleção e aposta das gravadoras como ainda as conhecemos nesse mundo, onde o mercado, após o advento da internet, virou esse ramo do showbusiness de "pernas por ar", o que acho ótimo.

Alguns que se disporam a ler este artigo, podem imaginar que eu só penso em comprar Cd's e DVD's.

-- Eu diria, em resposta, que não como gostaria!

O que há de fato, é que bandas novas e mais conectadas com a velocidade desse mundo acelerado; estão conseguindo mandar mensagens em forma de música que muitos dos potenciais consumidores querem e estão dispostos a pagar.

A facilidade de se comprar todos os artistas abaixo listados, está conjugado na proporção direta de você ter um cartão de crédito internacional e acessar os sites especializados em venda on line de conteúdo multimédia.

Há os piratas, também, mas é claro. Ocorre que a qualidade do arquivo não chega perto da compra legalizada.

A melhor banda do ano, na minha opinião, foi os moleques novaiorquinos do The Strokes. Por sinal, o especial com o maior número de downsloads da história do Flanar.

Aproveito e reitero que nossos especiais são puramente indicativos de novidades e que, a indústria agradece, assim como, os músicos, produtores, técnicos e todo o pessoal envolvido na gestação e lançamento de uma novidade musical, que os internautas, comprem os discos ou se associem a clubes de trocas e empréstimos de multmédia, com o objetivo de uso doméstico.

Não esqueçam que a pirataria é que sobretaxa o atual preço cobrado por um álbum digital legal.

Eis a lista.

*1. The Strokes - Last Nite
* 2. Franz Ferdinand - The Dark of the Matinée
* 3. Baby Shambles - Fuck forever
* 4. The White Stripes - My Doorbell
* 5. Kings Of Leon - Red Morning Light
* 6. OutKast - Hey Ya!
* 7. The Killers - Mr Brightside
* 8. Amy Winehouse - Back to Black
* 9. Queens of the Stone Age - No one Knows
* 10. Kaiser Chiefs - Everyday I Love You Less and L
* 11. Franz Ferdinand - Take Me Out
* 12. Peter, Bjorn and John - Young Folks
* 13. Moldy Peaches - Anyone Else But You
* 14. The Cardigans - Carnival
* 15. Kings of Convenience - I’d Rather Dance With You
* 16. Regina Spektor - Hotel Song
* 17. Feist - I Feel It All
* 18. Mika - Love Today
* 19. Gossip - Standing in the Way of Control
* 20. The Raconteurs - Many Shades of Black
* 21. Duffy - Mercy
* 22. Amy Winehouse - You Know I’m No Good
* 24. Radiohead - Weird Fishes/Arpeggi

domingo, 26 de dezembro de 2010

Rock in Rio 4: confira as atrações confirmadas


Difícil de acreditar, mas, estou literalmente "pagando pra ver" a credibilidade dos responsáveis pela 4ª edição do Rock in Rio. Desta feita, novamente no Rio de Janeiro.

Começo a acreditar que algumas de minhas bandas prediletas, estarão na minha frente, na Arena da Cidade do Rock.

Para a turma que vai, o Flanar adivinhou e antecipou um especial completo com os endemoniados estadunidenses do Slipknot, que você pode conferir aqui e aqui.

Juro que não sabia, sequer, que a banda tinha retornado ao mainstream, uma vez que o baixista Paul Gray foi encontrado morto em um quarto de hotel por overdose de morfina, em 24 de maio de 2010, próximo passado.

Meu filho e sobrinho -- guitarrista e baixista de muito talento --, estamos radiantes ao ver, confirmados: Metallica, Motörhead, Sepultura, Angra, no Dia Metal e, ainda Coldplay, Red Hot Chili Peppers, Snow Patrol, Capital Inicial, NX Zero no Dia Rock e no Dia Rock Alternativo.
Segundo Roberto Medina -- boss da parada --, as negociações prosseguem de maneira alucinante.

Estamos numa torcida danada. Soltando e-mail's para os promotores e interagindo nas redes sociais para o lobby possa dar "uma força" para viabilizar a presença do Foo Fighters e do Iron Maiden.

Apostamos, ainda, na sugestão de outras bandas do underground e que, com a inacreditável visibilidade do megaevento, possa permitir a vinda dos: The Flaming Lips, Slash, Norah Jones, Stevie Wonder, Jack Johnson, La Roux, Phoenix, Muse, Scissor Sisters, Groove Armada, The Black Keys, Mumford & Sons, Ellie Goulding, Kele, Bombay Bicycle Club, Tegan and Sara, Miike Snow, De Staat, Detroit Social Club, George Clinton with Parliament / Funkadelic, Jerry Dammers Spatial AKA, Orchestra, Os Mutantes, Devendra Banhart, Bassekou Kouyate & Ngoni Ba, The Phenomenal Handclap Band, Brother Ali, Troy Ellis & The Longshots e Pet Shop Boys.

Posso está falando "grêgo" para a mioria dos leitores. Mas, garanto-lhes, que as bandas acima listadas, são o que há, no mundo do show business atual.

-- E por que não o U2?

Na Tenda Dance. Gostaria de pular e me acabar de dançar, curtindo: os paraneses DJ Tarrika & Fabio Yamada; globetrotters como: DJ Fatboy Slim, Live Chase and Status, DJ Zane Lowe, Live Plan B, DJ Rob da Bank, Live Example, DJ Roger Sanchez, DJ O Children, Live Bunny Come e Live Inko Dancers; – e, ainda, os cariocas do The Twelves.

Será ou não uma "onda bossa nova" isso tudo?

sábado, 25 de dezembro de 2010

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Elvis live!

 



Mais um "presentinho" de fim de ano, para os meus amados leitores e ouvintes.

Biscoito fino, todo remixado, do Rei do Rock, Elvis the Pelvis.

Happy Night!
Posted by Picasa

Happy holidays!

Gostaria de desejar Boas Festas e um ano novo maravilhoso a todos os amigos blogueiros. Este blog tem sido uma aventura maravilhosa.

Enquanto espero meu avião pra Australia, gostaria de erguer a taça em homenagem aos companheiros de Flanar.

Vou tentar upload vários posts da Australia e Nova Zelandia, onde estarei por três semanas. Um grande abraço a todos!


- Posted using BlogPress from my iPhone

Vanguarda Rock Special for Flanar by DJ VAMP




Várias tendências. Muitos talentos.

Alguns consagrados. Outros, monstros insuperáveis no mister de fazer a música -- essa rainha que não conhece distância --, para que não nos esqueçamos, jamais, que somos parte de um todo.

-- Grande.

-- Maior ainda..

-- Basta ter Fé.

Um Feliz Natal rockeiro para todos os nossos amados leitores.

-- Som na caixa DJ.

The tracklisting is as follows:
• Kings Of Leon – Crawl
• Glasvegas – Geraldine
• The Ting Tings – Shut Up And Let Me Go
• Razorlight – In The Morning
• The Kooks – Always Where I Need To Be
• The Fratellis – Mistress Mabel
• Ida Maria – I like You So Much Better When You’re Naked
• Manic Street Preachers – Your Love Alone Is Not Enough
• The View – Same Jeans
• Paul Weller – Have You Made Up Your Mind
• Primal Scream – Losing More Than I’ll Ever Have
• The Coral – In The Morning
• Young Knives – Up All Night
• Mystery Jets – Two Doors Down
• The Metros – Last Of The Lookers
• The Pigeon Detectives – This Is An Emergency
• Mark Ronson – Stop Me
• Bloc Party – Flux
• Santogold – L.E.S. Artistes
• Rage Against The Machine – Killing In The Name Of
• Newton Faulkner – Teardrop (Live Session)
• The Script – We Cry
• Scouting For Girls – Heartbeat
• MGMT – Electric Feel
• Keane – Is It Any Wonder
• The Enemy – We Live And Die In These Towns
• Editors – The Racing Rats
• Fleet Foxes – White Winter Hymnal
• Conor Oberst – Milk Thistle
• Rumble Strips – Alarm Clock
• The Stone Roses – Waterfall
• The Clash – Rock The Casbah (Live From Shea Stadium)
• Kasabian – L.S.F.
• The Feeling – Never Been Lonely
• Zutons – Valerie
• Jeff Buckley – Last Goodbye
• Bob Dylan – Thunder On The Mountain
• Leonard Cohen – Hallelujah
• The Futureheads – The Beginning Of The Twist
• Reverend And The Makers – Heavyweight Champion Of The World
• Oasis – Supersonic
• Calvin Harris – The Girls (Live Session)

Canto do Fotógrafo

Imagem: Paulo Santos
Inauguramos hoje esta nova seção que deverá ter alguma regularidade no blog a partir de hoje. Contamos para isso, com a participação do fotógrafo Paulo Santos, que reputo como um dos mais brilhantes fotojornalistas da região. As imagens, não devem decepcionar.
Iniciando a série, uma bela imagem feita no Pará, durante o último comício de Dilma, ainda candidata a Presidente da República.
Desejamos à todos os nossos leitores, parceiros e amigos, votos sinceros de um Feliz Natal.

O abraço que lhes deixo

É ótimo estar num espaço, mesmo que virtual, caracterizado pela diversidade mas, acima de tudo, pelo respeito. A convivência serena e produtiva que temos, ao longo do ano, permite que eu me sinta absolutamente à vontade, agora, para desejar um feliz e abençoado Natal para cada um dos meus diletos colegas de Flanar, como se fôssemos de fato uma família. E à vontade, também, para estender esse abraço a cada um dos nossos leitores, partes valiosas dessa aventura de dar a cara a tapa, escrevendo sobre tudo um pouco.
Sintam-se todos calorosamente envolvidos pelas minhas melhores vibrações de um Natal feliz.

Noite Feliz

´

E se Maria e José tivessem contas no Facebook? E os Reis Magos com iPhones? Pois, tudo isso vocês podem ver neste vídeo muito giro - para usar a expressão lusitana, pois é criação da Excentric - um empresa de soluções digitais portuguesa, com certeza.
E assim, desejo a vocês todos, leitores e posters do Flanar, que essa felicidade da noite natalina permaneça com cada ao longo dos 365 dias de 2011.

As listas

Vamos publicar todas as listas?

Aqui. Todas as listas dos melhores" na música.

Uma piada essas listas.

Listas para a... Stop!

-- Chega de palavrão.

Final de Ano = Listas

Há lista para tudo no final de Ano.

Tem muita gente por ai que não vive sem uma lista.

Lista de compras. Lista de promessas. Lista de nomes que foram anotadas no "Caderno Negro", -- vade retro!!!

Tem muita gente que lista muita coisa, mas, não faz nada.

-- E, a lista, acaba sendo: uma lista.

Foda-se as listas.

Viva e ame. E mande as lista para a put......!!!!

Feliz Natal!

Natal no Night Club



Para os leitores que de alguma forma, passarão o Natal num Night Club.

-- Não espalhem.

-- Pega ai, o meu presente de Natal.

Art of Noise & Enigma

Art of Noise


Set List
1 Art of Noise - "A is for Beginning"
2 Art of Noise - "Moments in Love (7'' Mix)"
3 Art of Noise - "Beat Box (Diversion 10)"
4 Art of Noise - "Beat Box (Diversion 3.4, Extracted)"
5 Art of Noise - "Finale"
6 Art of Noise - "Metaforce"
7 Art of Noise - "Something is Missing"
8 Art of Noise - "The Holy Egoism of Genius"
9 Art of Noise - "Un Tendre Et Triste Regret"
10 Art of Noise - "Interlude One"
11 Art of Noise - "Beep Beep"
12 Art of Noise - "A Time for Fear (Jj's 12'' Remix)"
13 Art of Noise - "Dainty"
14 Art of Noise - "Moments in Love (Anne to Tears Mix)"
15 Art of Noise - "Moments in Love (Monitor Mix)"
16 Art of Noise - "Interlude Two"
17 Art of Noise - "This is Your Life (Take Six, TCH Vox)"
18 Art of Noise - "This is Your Life (Take Three, M Vox)"
19 Art of Noise - "I'm A Stranger Here Myself"
20 Art of Noise - "Cassandra"
21 Enigma - "Age of Loneliness (Radio Edit)"
22 Enigma - "Boum-Boum (Enigma Radio Edit)"
23 Art of Noise - "Dreaming in Colour (Via Way Out West)"
24 Art of Noise - "On Being Blue (New Vox)"
25 Art of Noise - "Beau Soir"
26 Art of Noise - "Balance Music for the Eye (I) Blue Murder”
27 Art of Noise - "Dr Gradus (Reprise)"
28 Art of Noise - "The Invention of Love"
29 Art of Noise - "Rutti Tutti Tutti"
30 Enigma - "Rivers of Belief"
31 Enigma - "Lost One (Instrumental)"
32 Enigma - "Lost Three (Instrumental)"
33 Enigma - "Lost Four (Instrumental)"
34 Enigma - "Lost Five (Instrumental)"
35 Enigma - "Lost Six (Instrumental)"

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Nu Methal - Slipknot Special Vol.2


O grito!

Será o a discórdia?



Não estou nú, não, tá!

Com vocês. Minha banda predileta.

-- Claro que, depois do Led Zeppelin.

Aviso!

Aumente o som e afaste qualquer sinal de caretice de perto, please!

-- Se você for careta. Não acesse, por favor, esse post.

Set List


1 Slipknot - "Duality"

2 Slipknot - "Me Inside"

3 Slipknot - "Duality"

4 Slipknot - "Execute"

5 Slipknot - "Gematria (The Killing Name)"

6 Slipknot - "Sulfur"

7 Slipknot - "Psychosocial"

8 Slipknot - "Dead Memories"

9 Slipknot - "Vendetta"

10 Slipknot - "Butcher's Hook"

11 Slipknot - "Gehenna"

12 Slipknot - "This Cold Black"

13 Slipknot - "Wherein Lies Continue"

14 Slipknot - "Snuff"

15 Slipknot - "All Hope Is Gone"

16 Slipknot - "Child Of Burning Time"

17 Slipknot - "Vermillion Pt.2 (Bloodstone Mix)"

18 Slipknot - "'Til We Die"

19 Slipknot - "Duality"

Uma série de presentes


















O caçador de sons




Flanando por ai, abro uma nova série com vários artistas e várias tendências musicais.

Três volumes encorpados com mais de duas horas de um passeio musical, cada um, por tendências do pop.

Para a produção desse especial, foram utilizados 95 Cd's. Todos originais.

O blog trata com carinho seus leitores, e destaca o caráter cultural da iniciativa de um "dj residente" aqui. Um assumido viciado em música.

-- A boa música. Seja ela de que ritmo for. Seja ela, de onde vier.

Apenas nessa série. O esforço de banda para o upload, requereu alguns gigas de espaço; uma vez que sei que o público do Flanar é muito exigente e adora abrir uma garrafa de malte, ou vinho, ou espumante, ou prosecco, ou sidra, ou pinga, ou perrier, ou água, ou gêlo, ou pina colada, ou campari, ou vodka, ou martini...!!!! Ou não abrir nada! Inclusive. Para baixar e ouvir o som.

-- Prestigiar a sugestão de artistas sensacionais. Outros, nem tanto. Mas, o que importa é descobrir o que está ai em cima. Nos três player's.

Artistas quase que exclusivos desse espaço. Músicas vindas de colaboradores de uma rede que cultivo e alimento há pelo menos 25 anos. E rede de gente de carne e osso. Espalhados pelos quatro cantos do planeta.

Se você tiver curiosidade do que está rolando por ai em termos de uma boa música para -- digamos --, apenas curtir. Ouça, --e, claro, comente, sugira.

-- Participe.

Flying Santa





O bem-humorado cartão de natal da Red Bull já é uma tradição na Fórmula 1.
Em 2010 o alvo da equipe campeã foi a rival Ferrari e o triste episódio do GP da Alemanha, quando Massa recebeu a mensagem de que Alonso estava mais rápido e permitiu a ultrapassagem que quase deu o título ao espanhol, manchando (talvez definitivamente) a carreira do piloto brasileiro.
De qualquer forma, como o Papai Noel aproxima-se rapidamente, eu desejo aos Flâneurs, comentaristas e leitores um Super Natal.

Preço

Quatro secretarias (das quais uma já confirmada, a SAGRI, para onde irá Hildegardo Nunes) e dez estatais: segundo dizem, este é o preço do apoio do PMDB - leia-se, Jader Barbalho - ao novo governo de Simão Jatene.

Tem gente achando muito caro. Imaginem como ficará se houver nova eleição para o Senado no Estado e Jader conseguir se candidatar e se eleger.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Wise Up, de Aimee Mann



No hoje cult movie Matrix, o agente Smith, um firewall bom de briga, adverte em determinado momento o herói Neo que ele não conseguiria fugir de seu destino – o de ser engolido pelo mundo virtual que dá nome ao filme. Ninguém escapa do sistema, a se utilizar uma expressão cara aos filmes com certo apelo social: o destino seria inevitável, segundo Smith.

Predestinação, conceito teológico decorrente da inevitabilidade, e livre-arbítrio se confrontam o tempo todo na trilogia (Matrix, Matrix Reloaded e Matrix Revolutions). Seja no mundo da Matrix, seja no mundo real, Neo tem uma missão a cumprir – que seus companheiros têm por certo ser seu destino –, mas sofre ao ser sempre apresentado a escolhas que podem fazê-lo fugir de sua rota.

Se Neo tivesse escapado de Matrix e pudesse ser personagem de outro filme – Magnolia, do americano Paul Thomas Anderson – ele teria desistido de lutar contra o futuro. Em poucos filmes do grande circuito há uma crença tão forte no determinismo, na predestinação, na inevitabilidade das situações. Em Magnolia, tudo converge para um final preanunciado, do qual os personagens, por mais que tentem fugir, não conseguem escapar.

A bela trilha sonora da película, quase toda composta pela americana Aimee Mann, reforça o sentimento de angústia que acomete o espectador: o futuro dos personagens está escrito e ninguém dele escapa, segundo Paul Thomas Anderson. O recado é claro: so just give up, como diz Aimee.

No vídeo acima, Wise Up, com Aimee Mann, como a canção é apresentada no inspiradíssimo Magnolia. Vale a pena assistir.

En garde!

O governador eleito do Pará divulgou, por seu mais poderoso porta-voz, que a transição não está sendo tão transparente e republicana quanto se esperava e que Simão Jatene, quando empossado, encontrará um Estado em péssimo estado financeiro.

As declarações de Sérgio Leão em jornais da terra receberam resposta do ex-todo-poderoso do governo que se encerra, o deputado federal eleito Cláudio Puty. Em seu blog, Puty lança mais que um repto; o post parece uma verdadeira declaração de guerra.

Jornalismo colaborativo

Para quem não conhece, o perfil @belemtransito, do Twitter, é um achado de uso inteligente e útil de rede social. Sobre sua atuação, o jornalista Pedro Loureiro faz comentários interessantes, em seu Bitácora do Pedrox.

Vale a leitura para entender como funciona o tal jornalismo 3.0.

Telecomunicações: fundos com fundo falso

Pela leitura do Hupomnemata, blog do professor Fábio Castro, matei uma curiosidade de longa data: saber para onde ia o dinheiro que os consumidores de serviços de telecomunicações no Brasil pagam aos fundos instituídos por lei para custear diversas atividades estatais ligadas ao setor.

Infelizmente, a destinação do arrecadado é (mais uma vez) decepcionante.

Como está sendo usado o dinheiro do Fust, Funttel e Fistel

Via Folha de S. Paulo, texto de Elvira Lobato.

O governo desviou R$ 43 bilhões da área de telecomunicações que deveriam custear a fiscalização do setor, o desenvolvimento de pesquisas e a oferta do serviço telefônico à população de baixa renda e em locais remotos.

Segundo dados do próprio governo, desde 97 foram arrecadados R$ 48 bilhões em três fundos públicos do setor: Fust (Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações), Funttel (Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações) e Fistel (Fundo de Fiscalização das Telecomunicações).

Apenas R$ 4,9 bilhões (cerca de 10% do arrecadado) teve a destinação prevista, e 90% estão retidos no Tesouro Nacional para financiar as contas públicas. A cifra equivale à soma dos Orçamentos previstos para 2011 dos Estados de Maranhão, Pernambuco e Piauí.

Segundo as companhias telefônicas, as taxas de contribuição para os fundos são repassadas ao consumidor, nos preços dos serviços.

O Fistel é o maior dos três fundos. A previsão é de que chegará ao final do ano com um saldo acumulado de R$ 36 bilhões.

Pela lei do Fistel, os recursos são para cobrir as despesas do governo federal na fiscalização do setor. A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) diz que desde sua criação, em 97, recebeu R$ 3,9 bilhões.

Cada telefone celular ativo contribui com R$ 13 por ano para o Fistel, além de R$ 26 pagos na habilitação do aparelho.

Como o Brasil tem 194,4 milhões de celulares, o fundo engorda R$ 2,5 bilhões por ano só com a contribuição anual sobre os celulares.

A taxa incide também sobre equipamentos de emissoras de rádio, de televisões abertas, de TVs pagas e até de radiotáxis.

O governo tentou abocanhar parte dos recursos do Fistel para a TV estatal EBC (Empresa Brasil de Comunicação). A lei que criou a emissora reservou para ela 10% do fundo, mas as teles fazem o depósito em juízo.

A Anatel queixa-se de falta de recursos para a fiscalização. Pela lei, o Fistel deveria custear as necessidades da agência, mas não é o que ocorre. Em 2009, enquanto o Fistel arrecadou R$ 4,9 bilhões, a Anatel teve seu orçamento reduzido de R$ 397,6 milhões para R$ 335 milhões.

O fenômeno se repetiu nos últimos 12 anos. O orçamento deste ano, segundo o superintendente de Administração da agência, Rodrigo Barbosa, foi reduzido de R$ 561 milhões para R$ 410 milhões, dos quais R$ 257 milhões para pagamento de pessoal. Só foram liberados R$ 20 milhões para investimentos.

As empresas avaliam que a fiscalização da Anatel é defasada. Há casos de fiscais precisarem de ajuda técnica das empresas para entenderem o funcionamento de equipamentos modernos.

Fundo para universalização da telefonia tem R$ 9 bi congelados

Após dez anos de existência, e com recursos acumulados de cerca de R$ 9 bilhões, o Fust (Fundo de Universalização de Serviços de Telecomunicações) praticamente, não teve outra destinação além do financiamento das contas públicas.

Segundo a Anatel, o único uso efetivo do Fust foi o gasto de R$ 10 mil em telefones públicos para deficientes auditivos. O programa não foi adiante porque as entidades indicadas para receber os aparelhos recusaram a oferta, já que já tinham equipamentos similares.

A lei do Fust limitou o uso do dinheiro a projetos de universalização de serviço público de telecomunicação e só o telefone fixo se enquadra nessa definição.

Em 2005, a Anatel tentou usar os recursos para levar a internet às escolas públicas. A licitação foi inviabilizada por ações judiciais e pelo conflito entre empresas.

O edital era restrito às concessionárias de telefonia fixa. As operadoras de TV a cabo e as teles celulares reivindicaram estar na licitação.

As empresas defendem mudança na lei do Fust, para permitir que seja usado na implantação de redes de banda larga. Pela legislação atual, banda larga é serviço privado e não se enquadra nas regras do Fust.

Dos três fundos públicos, o Funttel (Fundo para Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações) foi o mais aproveitado, embora tenha sido consumida menos da metade do dinheiro.

No mês passado, o Ministério das Comunicações, que administra o fundo, anunciou que, em dez anos de funcionamento do Funttel, foram liberados R$ 942 milhões para projetos de pesquisa. A arrecadação acumulada de 2001 a março deste ano, no entanto, foi de R$ 2,67 bilhões.

Raio de Lua



As belas fotos do eclipse lunar (post abaixo) me fizeram recordar esta bela canção de Harry Nilsson. Para quem se lembra do filme "Midnight Cowboy", com Dustin Hoffman e Jon Voight, Nilsson é o cantor que ficou famoso com a canção-tema do filme, "Everybody's Talking".

Contemporâneo dos Beatles e muito amigo de John Lennon, Nilsson acabou tendo um destino meio trágico, morrendo esquecido e na pobreza em 1994, apesar do grande talento musical. A música vai em homenagem ao nosso fotógrafo-mor, Carlos Barretto!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

New Song by "The Decemberists"



Bom, já que é dezembro, nada mais apropriado do que ouvir esta nova canção dos "Decemberists", chamada "Down by the Water". A música é linda, e mais folk do que o normal pra eles. O novo album será lançado só dia 17 de janeiro, mas este single já está tocando no rádio.

Eu ouvi pela primeira vez há umas duas semanas no talk show do Conan O'Brien, e baixei imediatamente pelo iTunes. A versão ao vivo no "Conan" foi maravilhosa, mas não consegui encontrar no YouTube.

Feliz Dezembro a todos!

Tempestade


Esta foi tirada agora há pouco, só para vocês entenderem que a noite de ontem, quando então pude registrar as imagens do eclipse lunar total, foi de fato um presente inesquecível para esta cidade.

Eclipse Lunar Total - O Presente de 2010 para Belém


Ontem, Belém recebeu um presente inesquecível para quem se dispôs a ficar acordado até por volta de  3:31, quando então se iniciou o eclipse lunar total. Lentamente, a sombra da terra foi ocultando a lua totalmente, até deixá-la numa penumbra que conferiu o aspecto alaranjado que se pode observar na imagem acima. O clima não poderia ter sido mais favorável. Temperatura de 25 graus, ventos em 5 km/h, umidade 83% e céu totalmente aberto. Sem nuvens. Foi assim que registramos esta sequência montada do fenômeno desde o seu início até o completo encobrimento da lua nova, já por volta das 5 h.


Ao final, da janela de meu apartamento no bairro do Umarizal, pude registrar duas visões panorâmicas de como ficou a cidade linda, com o eclipse total ao fundo.


São imagens para todos nunca mais esquecerem. Fiz o sacrifício pelos meus filhos e para os leitores do blog. Com um fenômeno destes, não dá para deixar de desejar os votos de que dias melhores venham junto com as boas energias de um fenômeno natural. Feliz 2011 para todos!

* Todas as imagens são do poster.

Eclipse Lunar


Imagem: EFE

A montagem acima corresponde a várias etapas do eclipse lunar (sombra provocada pela Terra na lua cheia), documentadas ontem à noite em El Salvador.
Em teoria poderíamos ver parcialmente o fenômeno aqui em Belém, mas, após vigília cuidadosa no início da noite, acabei desistindo de documentar o fenômeno.
Quem sabe hoje à noite...

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Mais uma comparação entre iPad e Galaxy Tab

iPad, Galaxy Tab e iPhone (Imagem: Mac+)
No mundo da tecnologia, quem adquire determinados produtos antes da maioria, além do prazer de curtir seu novo gadget, ganha a missão automática de explicar as características do produto aos demais, que ainda pensam em adquiri-lo. Trata-se de uma missão que vou cumprindo com prazer, seja pelo blog ou por conversas informais no cotidiano. 

Contudo há alguns desafios, que exigem paciência e uma certa determinação. Primeiro, pelo fato de que nem todos lêem o blog, ou tem paciência de acompanhar tudo o que já foi publicado aqui, detalhando as características de determinado produto, desde a época de seu lançamento (que acompanhamos em tempo real sempre que possível) até sobre seu impacto e aceitação pelo mercado e usuários. E também pela constatação óbvia que nem todos tem o mesmo nível de conhecimento básico exigido para compreender alguns termos vastamente utilizados na área. 

Tratam-se de desafios compreensíveis, até mesmo pelo simples fato de que este poster é médico e jamais se aventurou profissionalmente na área de tecnologia. Continuo sendo médico e tirando meu sustento da prática da medicina. Mas sou um intrometido de longa data, não exatamente na área de tecnologia, mas especificamente na área da microinformática e suas derivações da atualidade. E este simples fato, explica que eu também - a exemplo de meus leitores menos afeitos aos detalhes técnicos da microinformática - tenha algumas dificuldades em entender e tentar traduzir a importância, utilidade ou viabilidade de alguns lançamentos. Sendo assim, penso que dentro do saudável espírito colaborativo, de alguma maneira contribuo, dando apenas a visão particular de um usuário compulsivo de alguns tipos de produtos. Nem mais nem menos.

Para o apuro da informação aqui publicada, conto com a opinião abalizada de profissionais da área, muitas vezes em tempo real, como aconteceu no post sobre o lançamento da Mac App Store, que contou com uma bem vinda retificação de ASF@Web, meu frequente colaborador.

Não alimento a pretensão de analisar e recomendar todos os produtos que vão surgindo e que me despertam interesse. Até pelo fato de que não disponho de orçamento e nem vontade de adquirir todos eles para fornecer "avaliações" sólidas, como fazem blogs patrocinados e especializados.

Feitas estas ressalvas, devo chamar sua atenção para o iPad e ao menos para um suposto concorrente existente no mercado brasileiro. Seu nome é Galaxy Tab, produzido pela coreana Samsung, que traz embarcado o sistema operacional Google Android 2.2. 

O Flanar apresentou este produto no início de novembro a seus leitores, inclusive apontando-o como o mais importante concorrente ao iPad. As razões apontadas naquele momento, apontavam o hardware como principal motivação para adquiri-lo, caso o iPad continuasse indisponível no mercado brasileiro. E neste sentido, cheguei a afirmar que gostei do produto. Contudo, apesar de opinar desta forma, meu foco era exatamente na confusão que este tipo de análise costuma gerar nos usuários finais. Levando em conta que desde outubro eu já possuía o iPad (e portanto minha escolha já estava feita), levantei a lebre do Galaxy, mostrando que enquanto o iPad aqui não chegasse oficialmente, este poderia ser perfeitamente um tablet que poderia ocupar seu lugar, inclusive suportando a designação de "concorrente". Sacaram? 

Percebam que nesta época, no vácuo da chegada oficial do iPad ao Brasil, algumas operadoras, espertamente, apressavam-se em comercializar o Galaxy Tab. E o faziam, como estão acostumadas a fazê-lo: vendendo o produto como se fosse um telefone móvel superhiper bombado. Uma maneira irresponsável de vender um produto. Né não?

Como o iPad, o Galaxy também é um tablet. Possui metade de seu tamanho, é mais leve, instala aplicativos, tem conexão 3G/WiFi com a internet. Mas além disso, vem com câmera de 3 megapyxels, funciona como telefone celular, vem com TV Digital embarcada, entrada para cartões micro SD e ainda inclui no pacote o fone de ouvido e microfone bluetooth. Por estas razões, ele pode sim ser considerado como um produto com hardware melhor que o iPad. Não foi à toa que manifestei minha simpatia pelo produto.

Mas minha decisão é simples: hardware não é tudo. O melhor produto, em minha humilde opinião, além de estar bem situado no mercado, é aquele que combina um equilíbrio meio mágico entre hardware, software, modelo de negócios e principalmente atenda as suas reais necessidades com segurança e confiabilidade. Existem certamente, outras variáveis, que fogem a meu domínio, que alguns leitores poderão apontar. Mas as citadas, para mim, já servem para avaliar um bom produto. Não é a toa que escolhi o iPad. Mesmo sem câmera, sem telefone, sem leitor de cartões e sem TV digital.

A revista Mac+ em sua versão online, faz outra bem humorada comparação entre o iPad e seu suposto concorrente Galaxy Tab. Aquele que pretende escolher um tablet como seu companheiro fiel de acesso confortável a internet, deve passar obrigatoriamente pelo texto. Esclarece de maneira bem humorada algumas diferenças e situa alguns usuários que talvez possam se entusiasmar por um ou outro produto.

E pelo amor de Deus! É proibido citar a palavra netbook em qualquer discussão sobre tablets, certo? Tablet é tablet! Simplesmente outra categoria de produto. Netbook é netbook! Leia, avalie e veja se de fato você precisa deste tipo de produto.

By the way, ao menos para mim, os netbooks morreram!