domingo, 28 de fevereiro de 2010

Fujitsu UH900 - Netbook ou UMPC?


UH900 perto de um Vaio P. Imagem: Pocketables.net
A Fujitsu não é exatamente uma empresa de apelo popular nas plagas latino-americanas. Mas é uma renomada fabricante de equipamentos de informática há alguns anos. E acaba de lançar um produto interessante. Trata-se do UH900, um ultraportátil de menos de 500 gramas (!!!!), com uma diminuta tela de 5,6 polegadas, contudo com resolução de 1280 x 800 pyxels touch screen (!!!) . Veja este unboxing feito pelo Conics.net.

A configuração é desafiadora: equipado com o novíssimo processador Intel Atom Z550 de 2 GHZ, drive SSD de até 62 gbytes, 2 gbytes de RAM, webcam de 0,7 mpyxels e conectividade sem fio Bluetooth, WiFi (a/b/g/n) e WiMax. Com o uso de um estranho acessório (com entrada proprietária), o equipamento ganha de uma só tacada uma porta VGA (para conectar a um monitor adicional) e uma porta RJ-45 para redes cabeadas convencionais. Este acessório, apesar de útil, é conectado a parte frontal do portátil, o que me pareceu uma má idéia. Pode vir equipado com o Windows 7 ou XP e não possui drive de CD/DVD.
O UH900, possui algumas alternativas de configuração que podem reduzir-lhe o preço final. Contudo, na configuração top que mostramos aqui, ele sai por 1500 dólares sem impostos. Um absurdo, levando em conta que por este preço...
Ah! Vocês já sabem o que provavelmente direi.
[Via Engadget]

6 comentários:

ASF disse...

Só mesmo se for para passar raiva!

Windows 7 com apenas 2GB de RAM e com processador Atom? Ainda por cima em uma tela de 5" com resolução de 1280x800? E por esse precinho?

Esse UH900 não passa de uma curiosidade, quem sabe até mesmo uma prova de conceito.

Cabe registrar que a Fujitsu é uma empresa envolvida com o desenvolvimento de inovações tecnológicas em especial nas áreas de miniaturização, armazenamento e na construção de supercomputadores.

Val-André Mutran disse...

Concordo com o Antonio e não vejo a hora de março chegar para colocar as mão no iPad.

Val-André Mutran disse...

Concordo com o Antonio e não vejo a hora de março chegar para colocar as mão no iPad.

Itajaí de Albuquerque disse...

Antonio matou a charada. Miniaturizacao é sedutora e meta sempre a ser perseguida. Para executivos soluciona e muito um computador pequeno, veloz, leve e que permita o uso de editores de texto, planilha etc.Lembro ao Val-André que o i-Pad ficará devendo acesso a esses programas, no início. Depois, veremos.

Carlos Barretto disse...

Itajaí.
Não adianta botar no "condicional".
A suite iWork já está sendo portada para o iPad. Já na Keynote, isso estava claro.
Esqueça os netbooks.
Anote!

Itajaí de Albuquerque disse...

Não encare isto como disputa de posição, pois nem sequer sou acionista de nenhuma empresa no Vale do Silício. Aliás quero desde logo deixar claro que também não sou fã de coisa alguma. Nem de marca de cerveja, nem de carro, nem de clube de futebol para ser sincero.
Também não chegarei a radicalidade de um Fagundes Varella e dizer que amores só dediquei aos meus charutos. Seria mentir demais, inclusive aos meus charutos, coitados de tão esquecidos que andam.
Mas, infelizmente, meu caro Carlos, não há jeito: na dúvida usarei sempre do condicional que a gramática recomenda, neste ou em outros assuntos. Os céticos ou os gauches irão ao Nirvana, mas não posso deixar de reconhecer que são as dúvidas e não as certezas que movem o mundo até então. Ave!
Mas suas palavras não são em vão. Se você garante o iWork - e o condicional decorre de que no lançamento alguém escreveu em contrário - desde logo dou crédito à veemência do amigo e lhe afianço que desse modo estou mais perto do i-Pad do que você pensa...
A propósito, neste final de semana, Belém estava um forno e o trânsito em pleno sábado uma balbúrdia. No domingo pela manhã enfim consegui ver e apreciar a cidade, que continua bonita, embora muito maltratada.
Abs.