sábado, 24 de junho de 2006

Ao pé da grande cordilheira


Refúgio Neumeyer. Daqui inicia-se um trekking
pela neve até o pico do Cerro Blanco.


De Land Rover se chega até ao refúgio


Para estar neste ambiente, tem que estar assim...


...e mesmo assim, pode acontecer isso.


Nosso heróico grupo mantém firme o ritmo rumo
ao Cerro Blanco.


No caminho do trekking, bosques sob a névoa.


Ao chegar ao topo, começa a nevar.


Após a longa caminhada, parada para o chá.

Bariloche, Sábado, 24 de Junho de 2006.
Altitude: 1000 metros
Temperatura: 5 graus
Humidade: 70%

Daqui deste lugar esotérico, à beira do lago Nahuel Huapi, de águas azuis, cristalinas e doces, com profundidade máxima de 400 metros, ventos de até 100 Km/h transformam a sensação térmica para além de 1 grau negativo, obrigando o uso ostensivo e necessário de roupas de goretex, que se vestem como macacões grossos e pesados. Botas térmicas com meias de lã mais uma camada de vestimenta térmica colada ao corpo para manter o calor (segunda pele).
Daqui, vejo as àguas azuis do lago refletindo os picos nevados da Cordilheira nesta regiao com altitude máxima de 2300 metros.
Lá em cima, ventos fortíssimos podem mesmo limitar a visitacao e até a sobrevivencia.
A neve é firme, paraíso dos esquiadores, e permite a nós, criados no calor equatorial, andar tranquilamente porém com atencao para nao ser pego por um dos muitos esquiadores iniciantes que em desbalada carreira (melhor seria dizer, "quase em queda livre"), com potencial de te levar ao chao feito um strike no boliche. Mas aqui todos se perdoam. A natureza é grandiosa demais para ficarmos aqui com nossas torpezas. Tolerancia e solidariedade sao obrigatórias e até naturais em ambiente hostil. Mas nada tao selvagem assim. Afinal, ao lado de todo este cenário supostamente Antártico que descrevo, existe uma grande estrutura de apoio ao turista, de maneira que chega a ser irritante.
E no meio disso tudo me lembro: Brasil deu de 4 a 1 no Japao!
Quase me esqueco: Viva Brasil!!!
Mas como nao poderia deixar de ser, vale um pequeno comentário:
1) Comer boa carne argentina = 40 pesos
2) Beber um bom Malbec Terrazas ou Trapiche = 40 pesos
3) Ver o Brasil dar um baile no japao de 4 a 1 em pleno território argentino = NAO TEM PRECO !

Hasta la vitoria!

4 comentários:

Juvencio de Arruda disse...

Delícia de post...brrrrr
Abs

Anônimo disse...

Aguardo as fotos!

Flanar disse...

Com toda certeza, anônimo. Assim que chegar por aí, por volta do dia 10 de Julho, começarei a postá-las. Adianto que estao muito legais.

Abs

Barretto "Polar"

Val-André Mutran disse...

Tá ruim aí heim mano!?
Aproveite bastante.