quarta-feira, 30 de junho de 2010

O Vice de Serra e a Ficha Limpa

Ele não desceu de nenhuma estrela colorida, nem brilhante. Difícil crê-lo também como alguém impávido que nem Mohammed Ali. Ou infalível como Bruce Lee. Mas veio e eu o vi anunciado como um político novo, relator do Projeto Fichas Limpa no Congresso Nacional. A verdade é que o índio de José Serra tem lá democraticamente seus pés de barro. Até gente com mandato político do PSDB, decepcionada, não faz segredo aqui.

12 comentários:

Anônimo disse...

Quem é mesmo o vice de Dilma? De que matéria são seus pés?

Anônimo disse...

O PSDB se fosse boleiro diria :
"estou dando o máximo de si para a gente perdermos no primeiro tempo segundo as intrução do professô".
Abs
Tadeu

Itajaí de Albuquerque disse...

Ora anônimo, quem sabe a resposta não faz a pergunta (copyright by general Geraldo Daltro da Silveira)! Não era para se ofender...

Itajaí de Albuquerque disse...

Perfeita sua analogia, Tadeu.

Anônimo disse...

Ninguém se sentiu ofendido, Itajaí, é apenas divertido ver o roto falando do esfarrapado, até porque, pra mim, PSDB e PT são gêmeos univitelinos separados aos nascer.

Itajaí de Albuquerque disse...

Eu respeito as minorias. Mas vais assistir o jogo amanhã, torcendo por quem? E, por favor, não digas que não gostas de futebol, pois aí já vou ficar preocupado também com o teu pé! Rsrsrsrsrs.

Anônimo disse...

Não era pra se ofender, Itajaí, nem pra reagir como o Dunga. Cadê o debate de idéias, ou temos que dizer amém? E teu pés. são perfeitos?

Anônimo disse...

Aliás, gostar de futebol é a medida do caráter das pessoas?

Itajaí de Albuquerque disse...

A associação entre medida de caráter e futebol é um pensamento seu. Não escrevi, nem sequer sugeri tal despropósito, quando brinquei consigo em comentário anterior. Se você precisa de quem lhe responda essa pergunta, por favor procure ajuda especializada.
Quanto a sua idéia sobre PT-PSDB ela foi registrada para leitura, seguida de comentário meu de que a respeitava, embora a considerasse expressão de uma minoria.
Você não contraprovou minha afirmação e preferiu mudar o rumo da prosa com foco na ironia sobre o futebol, e por fim reclamar quanto a não existir debate de idéias (!).
Ora, se você preferiu escolher a azeitona e abandonar a empada, não cabe a mim discordar. De novo terei de respeitar a sua escolha.

Carlos Barretto  disse...

Exatamente, Itajaí. Foi a mesma percepção que tive sobre os comentários do anônimo. Até agora, ainda não disse a que veio. Certamente, debater é o que ele não pretende até o momento. Tão somente marcar posição. Sendo assim, respeitemos.

Abs

Anônimo disse...

A minha posição foi clara desde o começo: critiquei a tendência partidária de apontar a maçã podre na fruteira do vizinho, pra esconder a maçã podre em casa. Impressionante é a capacidade de responder com agressões e gracinhas desviantes, só pra ter a última palavra. Isso sim, é marcar posição. Num blog que se pretende defensor da diversidade, soa bizarro. Enfim, o dono da palavra decide onde está a azeitona, onde está a empada (por baixo da azeitona, não?). Mas este é o ônus de se ser minoria entre a maioria esfuziante.

Itajaí de Albuquerque disse...

Obrigado por sua participação.