segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Amazon lança o Kindle 2


Imagem: Amazon.com

Em evento ocorrido hoje de manhã na Morgan Library em NYC, a Amazon.com lança a segunda versão de seu leitor de e-books Kindle 2.
Vem com internet 3G onboard,(por enquanto, compatível coma rede Whispernet, disponível apenas nos EUA através da operadora Sprint) não dependendo mais de pontos de acesso sem fio para obter os e-books. Entre as principais características anunciadas hoje, o produto promete 25% mais de duração na bateria (leia seus livros por até 4 dias sem precisar recarregar), uma tela monocromática com 16 tons de cinza, (o que deixaria as imagens aceitáveis) e maior capacidade de armazenamento (cerca de 1,4 gigabytes, podendo carregar até 1500 e-books).


Imagem: Amazon.com

Tendo em vista o acordo fechado da Amazon.com com a rede 3G Sprint, para os brasileiros, restará o carregamento de e-books através da conexão USB com o PC.
Pesando menos de 300 gramas, o Kindle só deve pesar um pouquinho no bolso: sai por 360 dólares.
Disponível nos EUA a partir de 24 de fevereiro.
Para saber mais, é indispensável visitar o sítio do Kindle.

3 comentários:

Scylla Lage Neto disse...

Charley, qual a sua opinião pessoal sobre o Kindle?
Eu confesso que sempre hesitei, e ora me inclino a comprar, ora fujo da idéia.
Um abraço.

Carlos Barretto disse...

Do ponto de vista técnico, parece ser um produto maduro, Scylla. Principalmente para os EUA, com a disponibilidade pela própria Amazon.com de uma vasta quantidade de e-books para pronta aquisição.
Mas para títulos em Português, ainda vamos esperar um pouquinho.
Melhoraram o peso do produto, além de ele ser bem fininho. Isso traz facilidade de manuseio. Melhor do que alguns livros, portanto.
Quanto a proposta, como disse em post anterior, ainda estou resistente a idéia. Esses gadgets costumam ser temperamentais quando sofrem algum impacto acidental.
De repente, lá se vão 360 dólares em investimento.
Já os livros...
Eu esperaria um pouco mais antes de partir para o ataque. Até mesmo por que o preço, deve cair, assim que a Amazon, recuperar seus investimentos no desenvolvimento do produto, com a venda de e-books.
Penso que esta seja sua estratégia.

Itajaí de Albuquerque disse...

O século XX publicou muito, o XXI promete muito mais. Pouco, entretanto, restará.É nesse intervalo das mídias de registro do conhecimento que essa engenhoca se criará, certamente poupando o meio-ambiente. Entretanto, enquanto meio, se olharmos para trás, logo se desmanchará no ar pois nasce com limitações - de imagem, por exemplo.
Daí que, quando for importante, nada melhor que a prensa de Guttemberg e o papel, maravilha chinesa inventada (ainda bem) antes da globalização pós-Mao.