sábado, 21 de fevereiro de 2009

Inferno Astral

Pô! Carnaval, viroses respiratórias, enteroviroses, dengue rondando, chuva quase contínua. Putz!
Sem chance. Melhor ficar em casa, com TV à cabo, DVD e internet.
Tudo isso, acompanhado de um arsenal de analgésicos, antihistamínicos e outros sintomáticos.

Alea jacta est.

4 comentários:

Yúdice Andrade disse...

Por favor, já pedi isso antes a amigos médicos e não me atenderam: que itens devemos ter em nossa farmácia doméstica básica? O que chamas de "viroses respiratórias" já me pegaram de jeito. Estou quase um caco.
Devo chamar o tabelião?

Carlos Barretto disse...

Ahahahahah!
Só vc, Yúdice, para me tirar desta modorra. Em primeiro lugar, ressalto que não aconselho a automedicação. Mas sendo prático e entendendo o que vc refere como farmácia doméstica básica, acho que não seria assim tão difícil atendê-lo. Vamos lá. De doente para doente, certo?

1) Analgésicos / antitérmicos (por favor, esqueça o AAS para esta propósito). Vale paracetamol e a popular dipirona. Esqueça o acetaminofen também. Lembremos da dengue.

2) Solução fisiológica para narizes entupidos. Nada de vasoconstritores nasais, pelo amor de Deus! Os produtos comerciais à base de solução fisiológica a 3%, são baratos, disponiveis e devem ser usados com bastante frequência até produzirem o alívio desejado. Os vsaoconstritores são rápidos, aparentemente mágicos, mas destroem seu nariz, prolongando o quadro clínico e até agravando-o.

3) Um antihistamínico associado a um descongestionante (via oral), à base de loratadina + pseudoefedrina (por exemplo), pode ajudar nos narizes mais rebeldes e proporcionar o alívio para uma razoável noite de sono.

4) Antieméticos à base de bromoprida (para náuseas e vômitos). Esqueça aqueles à base de metoclopramida.

5) Um antiespasmódico à base de butilescopolamina é popular no combate às cólicas. Mas existem outras opções e até preferências.

6) Para diarréias, falando de modo bem genérico, nenhum sintomático é recomendável além boa hidratação oral e de paciência. Se agravada por intensa desidratação, resistente às tentativas de hidratação oral, procurar hospitais para hidratação venosa. Há que se pesquisar as causas exatas, para só então proceder algum tratamento específico quando necessário. Lembremos que a diarréia, apesar do desconforto, é um fenômeno normalmente autolimitado, sendo uma tentativa do organismo em eliminar um elemento ou agente tóxico. Por conceito, deixemos que o organismo os elimine.

7) Antiácidos em solução oral à base de hidróxido de alumínio e magnésio para alívio rápido de azias, associados ou não a inibidores da bomba de prótons à base de omeprazol, e similares.

8) Básicos para primeiros socorros como algodão, gazes estéreis, esparadrapos anti-alérgicos, curativos prontos, álcool a 70 ou iodo-povidona para limpeza de feridas.

É o que me passa pela cabeça neste momento.
Todos os produtos citados acima, devem ser utilizados com cautela, evitando-se o uso continuado, sendo tão somente elementos eliminadores de sintomas. Ninguém fica desobrigado de procurar o quanto antes o seu médico de maneira a obter o diagnóstico e o tratamento definitivo.
É óbvio que esta não é uma lista definitiva. Cada indivíduo possui suas particularidades que só podem ser detectadas após uma boa consulta médica. Outros ítens poderão ser adotados pelas pessoas dependendo de suas particularidades. Hipertensos, por exemplo, deverão ter antihipertensivos recomendados por seu cardiologista. Diabéticos, um bom estoque de insulina. Coronariopatas, os inseparáveis comprimidos de nitratos. E por aí vai.
É importante que se diga que muitas pessoas apresentam alergias aos mais variados e inesperados tipos de fármacos. Em caso de reações alérgicas, procure um pronto-socorro de imediato. E em seguida, visite um especialista para que lhe sejam indicados outros fármacos alternativos.
Nao sou exatamente um especialista neste tipo de aconselhamento, tendo em vista que minha especialidade é algo mais "hardcore", digamos. Passei parte de minha vida (18 anos) pondo tubos, cateteres, medindo pressões intravasculares, ventilando pulmões, e até mesmo executando pequenas cirurgias em caráter extremamente emergencial, que não poderiam aguardar a chegada de um cirurgião. Minha atitude diante das doenças, por dever da especialidade, é agressiva. Certamente existem médicos muito mais experientes e afeitos à práticas mais cotidianas, preventivas e/ou curativas, capazes de formular listas de uma farmácia doméstica básica.

Por enquanto, é só o que me passa pela cabeça. Quem sabe os demais médicos não acrescentariam alguma coisa.

Desejo nossas melhoras.

Abs

Val-André Mutran disse...

Minha receita é baixar os dois volumes do Genesis, se agasalhar, ficar em repouso e ficar curado rapidinho! Hehehhehe.
Um bom feriado aos amigos e estimo melhoras.

Yúdice Andrade disse...

Agradeço os bons votos de ambos. E, Barretto, eu perguntei justamente para fugir da automedicação! Sabes como é: médicos nos deixam horas a fio mofando em salas de espera!
A lista foi boa. Vou providenciar.