quarta-feira, 24 de junho de 2009

Anonimato

Do blog do Luís Nassif, edição de hoje:

A lei Azeredo e os Blogs apócrifos

O principal inimigo da liberdade da Internet não é o dispositivo do Senador Eduardo Azeredo sobre o tema. São os crimes contra a honra cometidos no anonimato.

Esse é o ponto central de discussão de todos aqueles que acreditam e defendem a liberdade de expressão na Internet.

Um Blog apócrifo, cometendo assassinatos de reputação, spams com ataques difamadores, são a matéria prima da qual se alimentam aqueles que pretendem colocar um feio na liberdade da Internet.

Não se trata apenas da mancha da covardia, que marca todos os que se valem do anonimato para crimes contra a honra. Aí é um problema individual de cada um. A questão maior são os efeitos de tais atitudes sobre o conjunto da blogosfera.

A princípio, discordo de Nassif.

Nos tempos atuais, é difícil manter anonimato total via internet. No caso de cometimento de crimes, e com a devida autorização judicial, a quebra do sigilo dos provedores permite, por meio de ferramentas que conseguem localizar IPs em máquinas e no espaço geográfico, responsabilizar os meliantes que deles fazem uso para "assassinar reputações".

A se considerar o que o LN diz, teríamos também que tomar como risco à blogosfera os comentaristas anônimos. Estes, todos os que frequentam os blogs sabem, são essenciais ao caráter participativo do meio virtual.

Parece-me que o que falta, efetivamente, é uma cultura de uso das ferramentas de comunicação na internet - principalmente na moderação de comentários pelos editores e na não replicação de postagens apócrifas oriundas de blogs anônimos. Aos poucos, porém, isto vai sendo aperfeiçoado. Dia chegará em que este debate será desnecessário.

5 comentários:

Carlos Barretto disse...

Mal posso esperar por este momento. Onde não perderemos tempo ensinando o óbvio para os participantes.

Abs

Val-André Mutran disse...

Oportuno seu comentário caro Francisco. Afinal, Luis Nassif é vítima do anônimato também. Porém, tem ou pode se dar ao luxo de alguém (sn) que o paga muito bem para responder aos anônimos.
Estou contigo e não abro Carlos.
Afinal, quando, na história desse país, não mais teremos amarras a assombrar-nos com o simples fato de pensarmos, vestirmos algo exótico, termos a pele diferente, comermos algo repugnante aos olhos e hábitos de outras gentes, sermos mais ou menos feios que os outros; mais ou menos abastardos que os outros?...
Imagina então se um E.T. baixar por aqui?
A questão é que ainda somos um país de miseráveis que -- talvez -- jamais acessarão a internet.
E que a censura vá à P...#####!!!!
Bom. Deixa prá lá.

Francisco Rocha Junior disse...

Amigos,

Este momento virá. Estamos construindo-o, nós e todos os demais blogueiros que levam (um pouco que seja) a sério seu mister - seja ele a trabalho ou por diversão.
Como toda cultura, leva tempo para ser consolidada. Mas será.
Abraços em ambos.

Anônimo disse...

Esse papo do Nassif é coisa de que não lei o texto da lei, não conversou com especialistas (e também não é um deles) e principalmente é coisa de jornalista que quer se sair uma tiradinha inteligente só pra ver se cola.

Já escrevi bastante sobre o assunto no meu blog pessoal e aqui estão informações fresquinhas, direto da fonte e não me ocorre ter visto o Nassif por aqui!

Anônimo disse...

Esse papo de moderação e preocupação com relevância (ou não) de conteúdo apócrifo na Internet é coisa de gente com a cabeça jurássica. Ou no mínimo mal informada.

Será que o nobre jornalista já ouviu falar em Wikipedia, em produção de conteúdo colaborativo e em tecnologias de redes sociais? Uma dica, o termo chave é auto moderação.

Sobre essa tirada engraçadinha, sobre essa falta de atualização de um jornalista experimentado e conhecido como o Nassif, isso sim é perigoso para a liberdade.