sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Mudança e festa

Nosso companheiro Carlos Barretto experimentou recentemente a trabalheira que é mudar de endereço.

Há exatos 20 dias estou absorvido pela tarefa que tinha que ser compatibilizada com a minha pesada carga horária de trabalho.

O mais angustiante é achar um novo espaço que comporte razoavelmente as tralhas que juntamos ao longo dos anos.

Como não me deixo abalar com pouca coisa. Procurei e achei o que considero, desde já, a melhor casa que poderia encontrar nesta que é uma das cidades mais caras do mundo.

Está quase tudo pronto. Os detalhes é que dão ainda mais trabalho. E aja detalhes.

Como já há convites formalizados aos amigos para curtirmos, juntos, a baita festa que será os 50 anos de Brasília, cuja programação não será abalada com os escândalos do DEMsalão e que você pode conferir aqui. Lúcia e eu, já estamos de braços abertos para receber nossos queridos.

Dois quartos estão preparados para meus convidados.

Carlos Barretto, Leiska, Lafayette Nunes e esposa.

Confirmado sir Paul MaCartney e nossa majestade, o Rei Roberto Carlos.

Continua as negociações com a cantora pop Beyouncé. Infelizmente o empresário do U2 não conseguiu reagendar as datas da turnê mundial para encaixar a banda no aniversário da mais charmosa cinquentona da América Latina.

Teremos um desfile jamais visto dos melhores artistas do Brasil.

Há segredos ainda não revelados.

A largada para os 50 anos de Brasília aconteceu no 12 de setembro próximo passado, quando foi comemorado os 107 anos de nascimento do ex-presidente Juscelino Kubitschek, o Governo do Distrito Federal deu início à contagem regressiva para o cinquentenário da cidade.

Na última reunião do Comitê Executivo do aniversário, na residência oficial de Águas Claras, o vice-governador e presidente do Comitê, Paulo Octávio, definiu os primeiros eventos na data. Foi realizada uma missa campal, celebrada pelo arcebispo de Brasília Dom João Braz de Aviz, em frente ao Memorial JK. Após a missa, o governador José Roberto Arruda assinou duas ordens de serviço, inaugurando a série de obras comemorativas do cinqüentenário: uma para a revitalização da Orla do Lago Paranoá (projeto Beira Lago), próximo à Ponte JK, e outra para a reforma da Torre de TV e construção do novo espaço para os artesãos.

À tarde foi lançado o projeto Viva Brasília, um tributo a JK que contará com uma série de eventos culturais, esportivos e cívicos durante uma semana, no gramado da Esplanada dos Ministérios, em frente à rodoviária do Plano Piloto. O ponto alto do Viva Brasília foi uma exposição sobre a saga da construção da cidade, com fotos, vídeos e materiais interativos que mostrou JK e a equipe que vivenciou a interiorização do Brasil.

Foi um espetáculo!

Ainda no aniversário do ex-presidente houve apresentação e shows de bandas locais, performances teatrais, campeonatos de futebol de areia, pista de patinação no gelo e muitas atrações para as crianças e para toda a família.

Ficou definido, naeuela ocasião, que entre os dias 18 e 20 de setembro a realização do festival musical Porão do Rock, como parte das comemorações do aniversário.

Assistí um Sepultura absolutamente irado e melhor do que nunca!

Durante esta reunião, também ficou definido que o GDF enviará cartas a várias entidades pedindo empenho nas comemorações dos 50 anos. Um ofício pediu à Casa da Moeda que cunhe uma moeda comemorativa da data. Os Correios também receberam pedido para lançar um selo especial do aniversário. O governo sugeriu à Caixa Econômica Federal que todos os papéis utilizados nos sorteios da loteria federal passem a receber o selo oficial dos 50 anos de Brasília. Todos os documentos serão encaminhados, na próxima semana, pela Casa Civil do DF.

Vários hotéis da cidade já não estão mais aceitando reservas. Estão lotados para o megaenvento que será um teste para a Copa do Mundo.

Pois bem, já estamos às vésperas do fuzuê e Brasília está prestes a passar por uma revolução urbana. Será a maior intervenção na capital da República desde que as linhas de Lucio Costa e Oscar Niemeyer saíram da prancheta e ganharam forma no planalto central do país.

Mas sem alterar a proposta original do Plano Piloto, considerado patrimônio cultural da humanidade. Um projeto saído da prancheta do arquiteto Jaime Lerner, também ele transformado numa referência mundial em planejamento urbano, depois de converter a cidade de Curitiba (PR) em sinônimo de qualidade de vida, em meados dos anos noventa.

Será também um projeto caro, mas também uma oportunidade de negócios. Até o fim deste 2009, algo em torno de R$ 900 milhões. Só a construção de um Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) está estimada em R$ 1,4 bilhão, dos quais R$ 600 milhões serão gastos até o fim do próximo ano, na execução da primeira fase das obras. Isso, claro, se Arruda conseguir reverter a cagada em que mergulhou seu governo com o festival de indícios de corrupação que abalam o seu governo.

Estão nos planos: a revitalização da W3 Sul, avenida pioneira e ponto de encontro da Brasília dos anos 1960, hoje uma área degradada e decadente.

O prazo para a conclusão da primeira fase é auto-explicativo: 2010.

A intervenção urbana é profunda porque não vai se limitar ao Plano Piloto de Brasília, assim conhecidas as duas asas (Norte e Sul) e os bairros residenciais chiques Lago Sul e Lago Norte.

A idéia é integrar Brasília e seus bairros a partir de uma via urbana chamada de Interbairros - não por acaso, o mesmo nome e modelo adotado em Curitiba. Em torno dela e nas bordas das áreas verdes e dos lagos é que devem surgir novos aglomerados urbanos. Na estimativa de Jaime Lerner e do governo de Brasília, a cidade deverá somar mais 300 mil habitantes à sua população.

Agora, corro atrás das credenciais para o backstage da onda.

Desde já, é a mais cobiçada credencial que já disputei.

Uma não. Seis!

3 comentários:

. disse...

Está confirmada a data? Já podemos reservar as passagens??

Tô no pique!!! Empolgadíssima!!!

Beijocas, André!

Val-André Mutran disse...

Querida.
Reserva logo, porque vai faltar avião.
Será um prazer pra gente recebê-los no nosso cantinho.
Beijos.

Lafayette disse...

Vou. Vamos.

Se faltar avião, vamos de carro, de canoa ou de cipó.