domingo, 25 de abril de 2010

Sábado de manhã



Mais uma vez o Nokia N95 ajuda a registrar uma cena belenense do cotidiano.
Habitual pedinte do sinal da Tv. Benjamin Constant com a Av. Conselheiro Furtado adota a cadeira sem rodas e cumpre a sua jornada de trabalho sentado no meio do trânsito.
E todos passamos pela cena exibindo pouca ou nenhuma estranheza.
Será normal?

7 comentários:

Alan Wantuir disse...

Que contraste, o belíssimo painel do New Civic e o cadeirante pedindo esmolas. Isso é Pará!

Anônimo disse...

Não, não é normal. Mas eu pergunto: onde estão os serviços de assistência social que são bancados por nossos impostos?

Onde estão os resultados das políticas públicas dos auto proclamados governos populares que poderiam e deveriam estar se ocupando concretamente mudar essa tragédia social?

Eu particularmente continuo ano após ano dando esmolas nos sinais, vendo minha família coagida por guardadores e carros e flanelinhas nas ruas, lendo nas manchetes sobre crimes e violência cometida contra e por menores de rua...

Onde estão sendo aplicadas e com qual eficácia as fórmulas mágicas que povoam os discursos de políticos com viés de esquerda em cada palanque a cada 2 anos? Fica apenas no populismo?

Lembro das tais escolas circo do prefeito Edmilson Rodrigues, desmanteladas pelo próprio governo dele pouco antes encerrar o mandanto? Qual o legado dessas escolas? Por que não seguiram adiante? Onde estão as outras propostas?

E o governo do estado? Limita-se a aplicar as políticas de inclusão do governo federal? Não dá para inovar? Para contribuir?

Eu faço a minha parte, estou tranqüilo com minha consciência. E a governadora? E o prefeito? Podem dizer o mesmo?

Val-André Mutran disse...

Caro Scylla.
Sua pergunta transcende a imagem.
Minha resposta:
-- Além de ser comum. Ninguém, exceto os eleitos de boa alma, tocam-se com tal cena.
Reformulo, com sua permissão, a pergunta:
-- O quê o governo faz quanto a isso?
O espeço está aberto para a manifestação das tres esferas do poder.
Nenhuma. Anotem. Nenhuma, acredito, e torço para está errado, manifestarar-se aqui.
O quê, você cidadão de bem, faz para mudar isso?
-- Suponho que poucos, Dr. Scylla, mas muito poucos (acho que ninguem), manofestarar-se-á sobre o assunto de sua triste foto.
Oxalá esteja errado.
Oxalá!

Scylla Lage Neto disse...

É, Alan, num país de contrastes como o Brasil parece que o nosso Pará está no ranking das disparidades.
Abs.

Scylla Lage Neto disse...

Antonio, eu tento não dar esmolas nos sinais mas acabo não conseguindo, mesmo sabendo que não é correto.
Não vejo solução a curto prazo.
Um abraço.

Scylla Lage Neto disse...

Val, é de se estranhar o silêncio ou a manifestação?
Eu já nem sei o que pensar.
Abs.

Lafayette disse...

"Pela janela do quarto, pela janela do carro
Pela tela, pela janela
Quem é ela, quem é ela?
Eu vejo tudo enquadrado
Remoto controle"

"... Região Norte, ferida aberta pelo progresso, sugada pelos sulistas e amputada pela consciência nacional..."

"M'boitatá nos espera
Na encruzilhada da noite sem luz
Com sua fome encantada
Fica na tua
Poetas loucos de cara
Soldados loucos de cara
Malditos loucos de cara
Ah, vamos sumir!"