sábado, 11 de setembro de 2010

As Fúrias Tropicais























A farsa montada em torno da tentativa de um escroque de violar o sigilo fiscal de Verônica Serra e do marido desmorona dia a dia. Do episódio tiram os tucanos a lição de que o eleitor brasileiro está de saco cheio de pegadinhas em política. Restam contudo as fúrias globais: arnaldipólita, merval e luporcina, incansáveis no despejar o fel diário do sub-jornalismo que produzem.

Fúrias ou Erínias: Na mitologia greco-romana, são as deusas vingativas do mundo inferior. Seriam Alecto, ou a impiedosa; Tisífone, a vingativa, e Megera, a invejosa. Surgiram das gotas de sangue de Urano, mortalmente ferido por Cronos (governava o tempo), quando essas caíram sobre o globo terrestre (Gaia). Cf. Lurker, M. Dicionário dos Deuses e Demônios.Martins Fontes, 1993.

5 comentários:

Saul Carneiro disse...

Caro Itajaí, não creio que a vila vai poder passear na floresta sem medo, eu enquanto amazônida temo muito tanto Serra quanto Dilma.

Um tem amplo e irrestrito apoio da bancada ruralista e a outra quer enfiar goela abaixo uma Belo Monte exatamente como fizeram com a Belém-Brasília, transamazônica dentre outros projetos para o "desenvolvimento" da Amazônia.

Sei não... acho que quem deve se preocupar somos nós, a Floresta.

Abraços

Itajaí de Albuquerque disse...

Caro Saul,
Os projetos citados teem distintas inspirações ideológicas, diferenças temporais e desiguais resultados práticos, sendo que um deles sequer saiu do papel.
Apesar dessas cautelas, temos que reconhecer que a história é escrita sempre arriscada. No caso da Amazônia, há o vazio do território e o homem disperso e concentrado na miséria, imobilizado por gerações pela exclusão social, situação de desfavorecimento em que tudo é risco e obriga-nos decidir pelo centro: longe e bem longe da fornalha neoliberal, mas também à distância dos santuários messiânicos, que, diz o ditado, a mim parecem arriscar inscrição no rol das boas intenções que no inferno costumam se encontrar em silêncio.
Abs.
Itajaí

Anônimo disse...

Longe, bem longe, graças a Deus, dos "santuários messiânicos" que não sabem o que dizem, coitados, ainda que cheios de boas intenções, mas no colo da fornalha neoliberal que manda ao inferno os "ignocentes" e faz a festa das empreiteiras, acabando assim com o vazio do território e a exclusão social, cumprindo a profecia medicilânia de "terra sem homens para homens sem terra". A isso hoje chamam, alguns, "esquerda"!

Itajaí de Albuquerque disse...

Assim como o esquerdismo foi definido por Lênin como a doença infantil do comunismo, na direita também existe correspondente "ismo". Obrigado pela contribuição do seu "estudo dirigido".

Anônimo disse...

Qual a tua opinião sobre a seguinte afirmação:
Lula é aquilo que, abusando do jargão, se passou a chamar de “força da natureza”. É uma esplêndida culminação de instintos vitais. Mas sem a menor condição de autoconhecimento, de reflexão e de análise.Sua maior malignidade está em se infiltrar sem ser percebido. E, mesmo sendo impossível, passar a ser aceito como normal.???