sexta-feira, 15 de abril de 2011

Morre o ex-governador Hélio Gueiros

Morreu no início da tarde de hoje, em sua residência, o ex-governador do Pará Hélio Mota Gueiros. Hélio Gueiros tinha 85 anos e foi senador em 1983, governador de 1987 a 1990 e prefeito da capital de 1993 a 1996, quando então foi derrotado por Edmilson Rodrigues, na época, candidato do PT.
Cearense de nascimento, paraense de coração, Gueiros entrou para a política em 1958, pelas mãos do ex-interventor Magalhães Barata. 
Chegou a líder do governo Aurélio do Carmo de 62 a 64, quando então foi cassado pelo regime militar. Elegeu-se deputado federal em 1966 pelo MDB, sendo mais uma vez cassado pela ditadura militar. 
Marcou sua carreira política pelo discurso irreverente e irônico que fazia. Uma das vezes, quando ainda era Prefeito de Belém, enfrentando uma greve de médicos no Hospital do Pronto Socorro Municipal, chegou a afirmar que "médico é que nem sal. Branquinho e dá em todo lugar".
A informação de sua morte, chegou agora há pouco via twitter e já foi confirmada pelo Diário Online junto à família. Segundo consta, a morte foi algo súbita, uma vez que sua esposa Profa. Terezinha Gueiros, - atual Secretária Municipal de Educação - viajou hoje para São Paulo para tratamento de saúde.

5 comentários:

Prof. Alan disse...

Não foi só dos médicos do PSM que ele debochou: a carta que ele mandou ao Lúcio Flávio Pinto foi uma das coisas mais indecentes e truculentas que já vi nessa vida.

E eu lembro, faz tempo, mas eu lembro, de um episódio chamado guerra de São Bonifácio, 29/12/1987: até hoje não se sabe ao certo quantas pessoas morreram quando a PM avançou das duas cabeceiras da ponte sobre o rio Tocantins, perto de Marabá, e encurralou cerca de 300 garimpeiros no meio da ponte...

Que a terra lhe seja leve!

Carlos Barretto  disse...

Muito bem lembrado, Alan.

Tanto disse...

"...agora há pouco via twitter" = eu.

Carlos Barretto  disse...

Sim
"...agora há pouco via twitter" = >>> TU!

Carlos Barretto  disse...

Aliás, para quem desejar ler a carta que Hélio Gueiros, ainda governador, deixou ao jornalista Lúcio Flávio Pinto, citada pelo Alan em seu comentário, é bom arrumar bem o estômago, antes de clicar aqui:
http://vozes-militantes.blogspot.com/2009/12/carta-de-helio-gueiros-para-o.html