quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

A deliciosa ironia do Yúdice


Acho que já falei em outros tempos do quanto estimo e aprecio nosso parceiro e blogueiro Yúdice Andrade (na imagem, Yúdice com sua querida Júlia). Seus textos, especialmente quando recheados daquela fina ironia, me levam frequentemente às gargalhadas. Mas este aqui, está insuperável. Clique no link e entenda o que eu digo.
Kkkkkkkkkkkk!

5 comentários:

Yúdice Andrade disse...

Agradeço toda essa gentileza, Barretto, que a Waleiska também teve em seu próprio blog. Não sabia que tinha ficado engraçado, mas me animo que o texto tenha alguma repercussão.

Carlos Barretto  disse...

Ficou muito engraçado. E o que é melhor: sem perder a força de uma opinião.

Abs

Alan Souza disse...

Esse Yúdice faz bochecho com chá de navalha e gilete. Só isso explica que ele tenha uma língua tão afiada. Nem precisa de porte de arma, já tem a caneta!

Há algum tempo que eu não via um texto assim, leve, engraçado e ao mesmo tempo instigante. Parabéns, Yúdice!

Lafayette Nunes disse...

Apesar de achar/querer/sonhar/ter esperança/apostar/ficar cuíra/acreditar que o Jatene está mesmo interessado em sacudir (algo que nunca foi feito, até então, desde de 1996) a questão da Kandir x Pará x Mineradoras x União x Vale, e botar em pauta as questões relevantes desta intrincada matéria, concordo com o que o Barreto destacou: O texto está insuperável, diria magistralmente até.

Ps.: Já fui lá cutucar o Yúdice, e torço para que ele pegue "corda" na corda que lancei por lá!

Yúdice Andrade disse...

Meus amigos, vocês são ótimos! Agradeço, de coração. Espero que os ventos da inspiração soprem de novo, para outros textos assim.