terça-feira, 7 de agosto de 2012

Caetano, 70 anos

Não recordarei Caetano Veloso, no dia de seus 70 anos, pelas inúmeras canções - que fazem parte da trilha sonora da nossas vidas - mas pelas palavras de discurso numa noite memorável em 1968. Vaiado pelo público do III Festival da MPB da TV Record, antes mesmo de começar a cantar É Proibido Proibir, Caetano Veloso fez um dos mais importantes manifestos  da História das Artes no Brasil do século XX. Transcrevo o discurso caetânico abaixo e acima postei o áudio. Para ler mais detalhes e ver fotos históricas, recomendo o excelente site  Tropicália, um projeto da pesquisadora Ana de Oliveira:

Mas é isso que é a juventude que diz quer tomar o poder?
Vocês têm coragem de aplaudir, este ano,  uma música,
um tipo de música que vocês não teriam coragem de aplaudir no ano passado.
São a mesma juventude que vão (sic) sempre, sempre
matar amanhã o velhote inimigo que morreu ontem.
Vocês não estão entendendo nada, nada, absolutamente nada.
Eu vim dizer aqui que quem teve coregem de assumir a estrutura de festival,
não com o medo que o senhor Chico de Assis pediu, mas com a coragem,
quem teve a coragem de assumir essa estrutura e fazê-la explodir foi Gilberto Gil e fui eu!
Não foi ninguém. Foi Gilberto Gil e fui eu!
Vocês estão por fora!
Vocês não dão (sic) pra entender.
Que juventude é essa?
Mas que juventude é essa? Que juventude é essa? Vocês jamais conterão ninguém. Vocês são iguais sabem a quem? São iguais sabem a quem? Tem som no microfone? Vocês são iguais sabem a quem? Àqueles que foram na Roda Viva e espancaram os atores! Vocês não diferem em nada deles, vocês não diferem em nada. E por falar nisso, viva Cacilda Becker! Viva Cacilda Becker! Eu tinha me comprometido a dar esse viva aqui, não tem nada a ver com vocês. O problema é o seguinte: vocês estão querendo policiar a música brasileira. O Maranhão apresentou, este ano, uma música com arranjo de charleston. Sabem o que foi? Foi a Gabriela do ano passado, que ele não teve coragem de, no ano passado, apresentar por ser americana. Mas eu e Gil já abrimos o caminho. O que é que vocês querem? Eu vim aqui para acabar com isso! Eu quero dizer ao júri: me desclassifique. Eu não tenho nada a ver com isso. Nada a ver com isso. Gilberto Gil. Gilberto Gil está comigo, para nós acabarmos com o festival e com toda a imbecilidade que reina no Brasil. Acabar com tudo isso de uma vez. Nós só entramos no festival pra isso. Não é Gil? Não fingimos. Não fingimos aqui que desconhecemos o que seja festival, não. Ninguém nunca me ouviu falar assim. Entendeu? Eu só queria dizer isso, baby. Sabe como é? Nós, eu e ele, tivemos coragem de entrar em todas as estruturas e sair de todas. E vocês? Se vocês forem… se vocês, em política, forem como são em estética, estamos feitos! Me desclassifiquem junto com o Gil! junto com ele, tá entendendo? E quanto a vocês… O júri é muito simpático, mas é incompetente. Deus está solto! Fora do tom, sem melodia. Como é júri? Não acertaram? Qualificaram a melodia de Gilberto Gil? Ficaram por fora. Gil fundiu a cuca de vocês, hein? É assim que eu quero ver.
Chega!

15 comentários:

Ronaldo Guilherme disse...

Dos que fazem o Flanar,a maioria se julga intelectual,mas infelizmente as vésperas de uma importante eleição,que vai definir os rumos de nossa cidade,nenhum comentarista se assumiu politicamente,ajem como se nada estivesse acontecendo,onde temos que ler,sobre o velhaco do Caetano e turismo em fortaleza,Putz!!!

sds,

Ronaldo Guilherme

Edvan Feitosa Coutinho disse...

Ronaldo Guilherme, creio que nenhum de nós de auto-declarou intelectual. O fato de trabalharmos mais com o pensamento talvez o leve a pensar assim, mas eu te garanto: depois de colocar um telejornal no ar, escrever um roteiro, dirigir uma transmissão ao vivo, produzir um documentário, fazer um paper na pós-gradução me sinto tão cansado quanto um estivador que descarregou um caminhão de lenha. Então, me considero trabalhador acima de outros títulos.
"Se assumir politicamente"...O que isso quer dizer? Resido do outro lado do Atlântico, não sou mais eleitor em Belém, e tento o máximo acompanhar o que se passa na minha cidade natal, mas hoje, só posso gritar daqui: Fora Duciomar!!! Quem seria o menos pior para prefeito de Belém? Não tenho idéia, pois estou há quasde 6 anos fora do meu país de origem. Bem, sobre Caetano, você pode taxá-lo do que quiser, aliás, acho ótimo que aos 70 anos, um dos maiores artistas brasileiros de todos os tempo ainda desperte esse tipo de reação que nega a importância dele na História do Brasil. Mas fica aqui minha recomendação: releia o texto-manifesto do velhaco, e vá ao Google e procure lá o sentido para a expressão patrulha ideológica.

Marise Rocha Morbach disse...

Eu, voce, nos dois, já temos um passado meu amor, um violao guardado, aquela flor, e outras milongas mais. Eu, voce, Joao tocando na vitrola sem parar; eu fico comovido de lembrar do tempo, do sonho. Ah, como era bom, mas chega de saudade, a realidade, é que aprendemos com Joao pra sempre ser desafinados, ser desafinados....chega de saudade, chega de saudade. Bjs Edvan daqui de onde estou a flanar...

Marise Rocha Morbach disse...

Ronaldo Guilherme, me metendo na postagem do Edvan, quero lhe dizer que eu me julgo uma intelectual; me julgo mesmo. Gosto imensamente do Caetano Veloso, desde que coloquei os olhos no baiano quando eu tinha lá meus oito anos.As praias do Ceará são belíssimas e nós aqui no Flanar temos um grande apreço pela natureza. E, quando o Caetano falou todas essas coisas que o Edvan reproduziu aqui, eu vi e ouvi, não entendi muito, mas jamais esqueci de que é proibido proibir: é proíbido proibir! Quanto a declinar meu voto: não entendi em que isto vai acrescentar ao cenário político de Belém: não somos formadores de opinião; muito menos em contextos eleitorais. Fique tranquilo quanto a isto! Um abraço, e vá conhecer as belíssimas praias do Ceará.

Carlos Barretto  disse...

É!
Começou a campanha. E com ela, vem a patrulha.
Isso na melhor das hipóteses.

Silvina disse...

Ronaldo, o Flanar lê quem quer... Quem tem diversidade de opinião. Em algum lugar voce leu que o Flanar é um blog políticopartidário, ou mesmo exclusivamente político?
Onde queres revolver, sou coqueiro!!!
E coqueiro do Ceará... Hahaha

Francisco Rocha Junior disse...

Ronaldo Guilherme (prenome de cantor de brega, assim como o meu), deixa de ser chato.

Quer pautar os escritos de alguém, vá trabalhar de editor em algum jornalão da terra.

Yúdice Andrade disse...

Ronaldo Guilherme (isto consegue ser pior que "Yúdice Randol"):

1. Já que, de uma hora para outra, virei intelectual autoproclamado, porém falso, por fatos conhecidos por você mas não por mim, permita que eu lhe recomende a leitura da dialética erística de Schopenhauer. Foi a minha leitura de julho. Na obra ("Como vencer um debate sem precisar ter razão"), Schops coleciona 38 estratagemas por meio dos quais o indivíduo pode vencer uma discussão, a forceps, porque interessa apenas o resultado, não a verdade.
Um dos estratagemas consiste em inventar uma premissa - p. ex. "Dos que fazem o Flanar, a maioria se julga intelectual". Um leitor ou ouvinte descuidado se preocupará tanto em rebater o argumento que se esquecerá de atentar para a falsidade e desonestidade da premissa.
Para seu infortúnio, não somos tão desatentos assim. O seu recurso retórico foi bem ruim. Até mesmo um falso intelectual como eu consegue percebê-lo de imediato.

2. Não compreendo por que razão nós, editores de um blog que trata de tudo um pouco e que não é nenhum fenômeno mundial de audiência, precisaríamos declarar publicamente as nossas inclinações quanto ao ano eleitoral. A liberdade de expressão não nos dá, também, o direito ao silêncio?
Eu, p. ex., detesto escrever sobre assuntos em relação aos quais Deus e o mundo está escrevendo. Sou assim. Fazer o quê?

3. Não entendo o que você espera como esse "se assumir politicamente". Seja lá o que for, minha posição à esquerda sempre foi declarada em meus dois blogs. Saber disso faz você se sentir melhor?

E agora, qual a sua demanda?

PS - Você é um chato, mesmo. Um sem noção. Muito mais do que um falso intelectual.

Geraldo Roger Normando Jr disse...

"Eu tava encostad'ali minha guitarra
No quadrado branco vídeo papelão
Eu era o enigma, uma interrogação
Olha que coisa mais que coisa à toa, boa
Eu tava com graça...
Tava por acaso ali, não era nada
Bunda de mulata, muque de peão
Tava em Madureira, tava na bahia
No Beaubourg no Bronx, no Brás"
É isso aí meu caro Ronaldo Guilherme, acabei de descobrir que o Caetano também gosta de Flanar.

Scylla Lage Neto disse...

Será o verdadeiro Ronaldo Guilherme um leitor voraz de Leon Trótski ou um fã incondicional do Chapolin Colorado?
Será o Benedito?!?!...

Silvina disse...

Nao, Scylla! Nao é o Benedito (que diga-se, era intelectual dos bons).... É o Ronaaaaaaaaaldo (a la Gavião Bueno)
Rssssss

Scylla Lage Neto disse...

Kkkk.
Silvina, você é terrivi!!!!

Ronaldo Guilherme disse...

Gosto de acessar o blog flanar,inclusive está entre meus favoritos.Quando falo "assumir politicamente",estou me referindo ao blog e extensivamente aos seus colaboradores,por ser sim,formador de opinião.A minha angustia era exatamente a de não ter voz em nenhum veiculo de comunicação,até a saida da primeira pesquisa,que nos mostra que o eleitorado está no rumo certo(no meu ponto de vista).No mais,saudações

Ronaldo Guilherme

Edvan Feitosa Coutinho disse...

Ronaldo Guilherme, grato pela audiência, mas nenhum de nós se arvora como formador de opinião, se o somos, isso se deve aos leitores, mas por outro lado não nos obriga a aceitar essa etiqueta. Bem, quanto à falta de voz na mídia, procure se inspirar na Primavera Árabe: sem mídia tradicional derrubaram ditaduras seculares. Quanto ao "rumo certo", tenho de cá minhas dúvidas. Principalmente pela ficha judicial de improbidade administrativa do candidato na dianteira das pesquisas. Sds.

Ronaldo Guilherme disse...

Edvan,todos nós sabemos que qualquer um que ocupe um cargo de executivo,dificilmente saira incólume de uma ação judicial.Mas,conheço a familia e pessoalmente o candidato que está na dianteira,e posso lhe garantir,que apesar de ter sido prefeito por duas legislaturas e ter sido e ser deputado,seu patrimonio permanece o mesmo,e apesar de ter tido a oportunidade de assumir algum cargo público no governo Lula,como todos os politicos fazem para enriquecer,desfiliou-se do PT e foi estudar em São Paulo.Certamente estamos no rumo certo(no meu ponto de vista)

no mais,,

Saudações

Ronaldo Guilherme