segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Será que o Dragão vai passar a perna no Saci Pererê?

(foto do site do Franco Dragone Entertainment Group)

É Carnaval e pouca gente no Brasil deve ter notado uma notícia que, caso seja confirmada, será um dos mais duros golpes contra a criatividade e competência verde-e-amarela. No final de semana passado, a imprensa européia anunciava que Franco Dragone, o diretor ítalo-belga, assinou contrato para dirigir a abertura e o encerramento da Copa do Mundo em 2014 no Brasil. Dragone, nascido na Itália, mas desde o sete anos de idade residente em La Louvière, Bélgica, é apontado como o responsável pelo "renascimento" do Cirque du Soleil, companhia canadense onde atuou como criador entre 1985 e 1998. No currículo do diretor estão ainda a criação e direção dos shows de (aargh!) Céline Dion em (argh, argh!!!) Las Vegas.
Perguntinha inoportuna: será que não há no Brasil gente capaz e criativa? E não me venham com aquele papo que "o Brasil abre a casa, mas quem dá a festa é a Fifa".
Nada contra o Dragone - aliás, chamado de "coreógrafo" pela Folha de S. Paulo. Só acho que depois de astronauta voando na Sapucaí, carros alegóricos de 30 metros de altura, e toda a tradição de espetáculos  teatrais de rua, o Brasil tem estofo suficiente de fazer a abertura e encerramento da Copa em casa.
Para quem quiser conhecer um pouco mais do estilo nada modesto de Dragone, recomendo o site do auto-denominado "The world's most spectacular showmaker" .  E vamos rezar para ele não escalar La Dion para cantar no Maracanã pois, my heart won't go on.

3 comentários:

Andrea filha do Pedro do Fusca disse...

Adorei o seu post.

Como diz a minha comadre Adelaide Oliveira "meus dentes cairam" quando soube da escolha do Dragone para a concepçao da abertuda da copa.

Uma pena/perda para todos os nossos artistas.

Um bom carnaval......estou indo buscar as minhas laranjas em Binche :))

Edvan Feitosa Coutinho disse...

Andrea, merci. Olha, curta os Gilles nós!!!! Abs.

Guilhermo Fáveri Artist and Company disse...

Em resposta ao post:

Por qual razão chamar um gringo para dirigir a abertura e encerramento, sendo que temos tanta gente criativa (só que não), no Brasil?

Primeiro irei dizer do que o Brasil tem: esqueça carnavalescos, só servem para o carnaval, desculpe-me. Você não pagaria R$600 para sentar na primeira fila que entraria alegoria e samba no palco do teatro. Temos uma galera do meio do teatro, tanto que estão produzindo coisas boas, mas não vejo teus nomes na Broadway, tão pouco nos grandes palcos de Las Vegas ou com repercussão internacional. Aí temos Deborah Colker, diretora, coreógrafa, ela tem até espetáculo com o Cirque du Soleil, igualzinho o Dragone, mas porque ela não foi escolhida? Eis a questão...Ela seria a única brasileira que eu pensaria para algo do gênero. Mas aí, eu lembro do Panamericano de 2007 no Rio...
http://www.youtube.com/watch?v=F530j9dA8E8(Estou vendo as vaias se repetirem...)
Aí lembro da Copa de 2010 na África do Sul ...http://www.youtube.com/watch?v=5659yAwBOFQ
Copa, sempre é algo tão mais simples comparado com as olimpíadas...Aí você lembra, que todos aqueles carnavalescos, aqueles diretores de teatro que ninguém conhece, até aquela diretora e coreógrafa que criou espetáculo para uma companhia canadense daria conta do recado. Agora, se fosse para as Olimpíadas, levando em consideração quão incrível e fodástico foi a abertura dos jogos de Londres (eles chamaram um diretor de cinema pra fazer a abertura), o Brasil terá que fazer muito, mas pra Copa, ainda não precisava tanto assim, mas, faremos um bom show, o povo brasileiro não deixará perder sua história, mesmo que dirigido por um gringo... Agora é esperar e ver o que sairá disso tudo...Espero mais pelas olimpíadas do que pela Copa do Mundo... Abraços e gratidão pela postagem!