terça-feira, 14 de novembro de 2006

Operação Rêmora



Segundo a Polícia Federal, os capturados na Operação Rêmora, além de fraudarem a Previdência Social, também atuavam criminosamente em licitações com propostas ou execuções de contratos mais onerosas, maculando o caráter competitivo do processo licitatório da qual as empresas investigadas participavam. Várias pessoas e empresas alvos da Operação Rêmora já haviam sido investigadas nas operações Galiléia e Caronte e voltaram a atuar de forma transgressora.

Rêmora é referência a peixe que se aproveita dos restos alimentares que escapam da boca dos tubarões.

Bem sugestiva a escolha do nome.

---------------------------------------------------

Além do encarceramento dos acusados outras medidas foram tomadas pela força tarefa de 130 agentes federais, procedentes do Amapá, do Pará e do Maranhão: o cumprimento de 26 mandados de busca e apreensão em residências, escritórios de empresas e orgãos do governo paraense, dentre os quais SEDUC, COSANPA, IPASEP.

Os mandados judiciais foram expedidos na 3a. Vara Federal de Belém, e os acusados ficarão sob custódia pelo menos por 5 dias, para que não obstruam por qualquer expediente a condução do inquérito policial.

A Operação Remora representa um abalo sismológico sem precedentes para alguns personagens da política e da sociedade paraense. Há choro e ranger de dentes em algumas famílias alcançadas na carne pela investigação policial. É possível que outros figurões sejam citados após conclusão do inquérito. Mais que purgatório, sabem que doravante viverão o inferno da desmoralização pública.

----------------------------------------------------

Com os resultados da Operação Rêmora na mão, a Governadora eleita Ana Júlia estará politicamente fortalecida para fazer uma devassa sem precedentes nos doze anos de governo tucano, principalmente em orgãos e secretarias de governo denunciados na mídia como campo de gravíssimas irregularidades administrativas.

7 comentários:

Anônimo disse...

Rêmora é também chamado de "peixe-piolho" e "piolho-de-tubarão".
Tem também um disco adesivo sobre a cabeça, com o qual se prende aos tubarões para se locomover.
Já sabemos sobre os rêmoras, agora vamos esperar pelos tubarões!Quem são? quem são? quem são?

Anônimo disse...

Ô minino peralta!
Será que era esta a grana que financiava o ócio do mais velho, o violeiro e jipeiro Almirzinho? Aquele que chegou a pendurar-se numa rede na praça da República, pagando um vigoroso mico, enchendo de constrangimento toda a família Gabriel e até a mim, que nada tenho com isso?

Flanar disse...

Pôxa, Oliver. Escolheste um tubarão grande para ilustrar a nota, não é verdade?

Anônimo disse...

Enorme! E adequado...

Anônimo disse...

Ficaste chocado, e vi teus olhos se arregalando e a boca num óóoo... Mas, acho que o Oliver postou a imagem num tamanho que combinasse com o tamanho de todo esse estrume que atola de vez a tucanocracia do Pará.
E é bom refrigerar a memória, porque não é o primeiro "causo". Ou não te lembras dos precedentes, da prisão de outro tucano de peito estofado, o Flexa Ribeiro?
Ele também foi trazido para a Polícia Federal, não exatamente por estar doando hóstias para as paróquias do Pará, nem sopa pra asilo de mendigos.
Se liga, Flanar, que o "tubarãozão" do Oliver diz tudo!
Daí que lanço o Oliver pra Academia Paraense de Letras!
Ops... Desculpa, Oliver, que você não merece tal castigo.

Flanar disse...

Rsss...
Sem dúvida, anônimo. Mas não fiquei exatemente "chocado". E tudo já sabia.
Mas o Oliver tem sim qualidades de escritor. Mas não que exatamente a APL seja seu prêmio.
Mas vez por outra é bom provocar-lhe o bom humor.
Abs

oliver disse...

Ora, bolas, tudo isto por causa do peixão e peixinhos! Agradeço a lembrança para a APL, mas, como o Flanar corretamente lembrou, não faz mesmo o meu perfil.
Obrigado pela visita.