quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Advogados

Treme o carioca quando tem uma notícia
Que se bacharelou mais um calouro ;
Já de advogados está cheio o Foro
E a porta dos xadrezes da Polícia.

Vivem menos das leis que da malícia,
Quanto a honorários são um sorvedouro;
E ai ! se o cliente lhes ceder o couro
Acabe na indigência vitalícia.

Julgam-se se logo Lessas, Evaristos !
Gabam-se à falta de intrujões que os gabem !
Tempos de audácia ! Tempos de anti-Cristos !

E embora, como nós, também acabem
Sofrendo arbítrios nunca outrora vistos,
Nem defender-se em causa própria sabem.

Otávio Rangel
in "Reportagens Cariocas em verso" - 1959

3 comentários:

Oliver disse...

Excelente. Não só de Bacharéis em Direito o Rio explodia, na época, enquanto outros estados da federação se ressentiam da presença desses profissionais. Os médicos, também. Houve época em que a cidade do Rio de Janeiro, a cidade!, tinha a maior concentração de médicos por km2 do país. Há que dar um basta nesta farra.

Francisco Rocha Junior disse...

Pois é, Oliver. E esta farra vem de tempos idos e, pelo jeito, a cada vez piora.

Oliver disse...

Só piora.