domingo, 13 de janeiro de 2008

Do vinil para o Ipod num toque de mágica


Isso tem nome. Chama-se LP Dock da Ion Audio e custa 300 dólares nos EUA. Foi uma das sensações da Feira CES 2008 em Las Vegas. Com este equipamento, você pluga seu iPod, põe seu vinil preferido e passa o conteúdo direto para o mp3 player da Apple.

Por falar nisso, alguém tem um tocador de vinil para vender?
Compro um sem pestanejar. De preferência, aqueles profissionais, com conexões do tipo RCA.
Mas atenção: compro apenas o "prato". Não me venha com sua "radiola Philips" que eu tô fora. Se alguém puder dar uma indicação de onde ainda se pode adquirir estes pratos, pode ir comentando. Absorvemos o produto de segunda, desde que em perfeito funcionamento.

Estou com uma centena de vinis aqui, há muito esperando uma solução tecnológica para voltar a ouvi-los.

5 comentários:

Cris Moreno disse...

Adoro vinil tb... rsrs

Essa coisa de jogar o tempo contra o tempo, sabes? Faz pulsar!

É a vida! rsrs

Beijos.
Saudades.
Bom domingo.

Ah, como vai a sua plantinha, aquela que seus filhos queriam alimantá-la? rsrs

Estou te devendo um texto. Você vai se surpreender!

:)

Oliver disse...

Se te oferecerem dois, compro o segundo.
Abs.

Flanar disse...

Sim, Cris. Ainda mais quando temos em vinil, músicas antológicas que nenhum relançamento conseguiu reproduzir.
Quanto as plantinhas carnívoras? Bem. Elas se foram há muito tempo. Talvez minha casa não tenha fornecido uma dieta de moscas suficiente. Ao menos por enquanto. Mas não foi pela carninha que as crianças tentaram dar a elas.
Rssss
Sim ainda estou aguardando seu texto sobre o Ubuntu.
E também estava sentindo sua falta.
Bjs, querida.

Flanar disse...

Huumm, Oliver.
Sinal de que há demanda reprimida e pouca oferta.
Prepare-se para o preço.
Abs

Oliver disse...

Se for muito caro, devemos recomendar ao vendedor que deposite a antiqualha no cofre da Caixa Econômica. Afinal existe quem faça transcrição dos discos, por preços bem convidativos.Além do que por 600 contos se pode comprar nos EUA a engenhoca que comentaste. É bom não confundir demanda reprimida com capricho saudosista.