domingo, 27 de janeiro de 2008

Quantos Eldorados?

A jornalista Rejane Barros avalia no encarte Tropo de O Liberal uma solução para o caos visto na Presidente Vargas, e vã a si interroga:
Será que vai ter que nascer o clone do Magalhães Barata para dar um jeitinho nisso?
Pela sugestão à truculência com que o caudilho paraense resolvia conflitos sociais, Barros merece com fanfarra e foguetório o Troféu Umbigo de Vedete da semana. Mais por fora impossível.

4 comentários:

Anônimo disse...

Esperar o quê, vindo d'O Liberal?

Anônimo disse...

O PREFEITO É O GRANDE VILÃO NESTA HISTORIA TODA, APROVEITOU UMA ORDEM JUDICIAL FEDERAL PARA DESOBSTRUIR A FRENTE DOS CORREIOS, E TIROU LOGO TODO MUNDO NA MARRA.

Flanar disse...

Duciomar sempre foi e continuará sendo um péssimo prefeito, anônimo.
Mesmo quando faz exatamente isso que vc afirma.
Muito embora, eu parabenize a Justiça Federal pela medida acertada em ordenar a retirada dos abusados de todo o perímetro da Presidente Vargas.
Não há mais espaço para o comércio informal nas principais artérias da cidade. Espero mesmo que alguém estenda a medida para a Padre Eutíquio também.
E que os camelôs aceitem os lugares alternativos que lhes são apresentados, a exemplo do que vem acontecendo nas principais capitais do país.
E por favor, evite escrever em caixa alta da próxima vez que aparecer por aqui.

Val-André Mutran disse...

Não é essa moça que escreve em sua c(ú)luna que o povo da Presidente Vargas é feio?

Se for ela já é objeto bem conhecido até aqui em Brasília nas aulas de jornalismo das Faculdades.

Jornalismo não: antijornalismo.