quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Uma das mulheres da minha vida



Com o avanço das técnicas de registro do funcionamento cerebral, especificamente através da Ressonância Magnética Funcional (Functional-MRI), as nossas emoções e os nossos anteriormente secretíssimos pensamentos começam a ser devassados, ainda que de forma rudimentar.

As áreas do córtex e do sub-córtex evocadas por palavras, imagens ou emoções já encontram-se mapeadas, num esboço semelhante aos mapas do século XVI.

É de se imaginar que, em algumas (poucas) décadas, a fisiologia das emoções esteja dominada, e que a nossa última reserva de informação confidencial, ou seja, de quem (e/ou do que) nós gostamos (ou não), possa ser revelada em milisegundos.

Espero que eu pereça antes destes momentos terríveis da aniquilação da liberdade do pensar, mesmo porque a minha esposa, filha, avó e mãe não suportariam a idéia de que algumas poetas ocupam enorme espaço nos meus neurônios relacionados à afetividade.

É algo que eu não posso evitar! Emily Dickinson, Gabriela Mistral, Florbela Espanca, Cecília Meireles... elas estão todas lá, prontas para o "Mapeamento Cerebral Emocional Holodimensional" (nome inventado neste segundo).

Quem gosta e lê poesia, sabe exatamente o que tento dizer: quem pode lê-las, sem querer amá-las; quem pode amá-las, sem morrer de amor (adaptação livre de "Formosa", de Maciel Monteiro).

Compartilho com vocês um pedacinho de Emily Dikinson, um dos amores da minha vida!


"I see thee better - in Dark -
I do not need a Light -
The love of Thee - a Prism be -
Excelling Violet -

I see thee better for the Years
That hunch themselves between -
The Miner's lamp - sufficient be -
To nullify the Mine -

And in the Grave - I see Thee best -
Its little Panels be
Aglow - All ruddy - with the Light
I held so high, for Thee -

What need of Day -
To Those whose Dark - hath so - surpassing Sun -
It deem it be - continually -
At the Meridian?"

2 comentários:

Val-André Mutran disse...

One crush of postage. Gostei demais!

Scylla Lage Neto disse...

Thanks for your commentary. Fico feliz que tenha gostado.
Um abraço.