domingo, 25 de março de 2007

Titanic dos céus



A revista Popular Mechanics esteve à bordo do último vôo de testes do Airbus A380 em Nova Iorque no último dia 21 de março. O gigante de 2 andares decolou do aeroporto JFK após uma corrida de 16 segundos pela pista, mostrando toda a força de suas 4 turbinas Rolls Royce com 70000 libras de potência cada uma.
Na reportagem, um interessante vídeo da experiência de voar no A380.
Clique aqui para ver tudo.

Leia mais sobre o A380 na Wikipedia, no Airbus Navigator e no website oficial da Airbus.

12 comentários:

oliver disse...

O problema é esse gigante dos ares sobreviver a onda energeticamente correta dos próximos 50 anos. Será ele, nos ares, o Galaxy e o Maverick da primeira crise do petróleo?

Flanar disse...

Salve, oliver.
Pelo visto estamos sozinhos na alta madrugada postando no blog.
Pois é. Pelo mesmo motivo o Concorde se foi. Muito embora seus custos operacionais se devessem a pequena quantidade de passageiros que levava, em contraste com o enorme consumo de combustível para simples decolagem. Isso sem falar no acidente terrível no aeroporto Charles de Gaulle, que mais tarde concluiu-se, ter se originado por uma simples peça (deixada na pista por um 747) ter atingido os tanques de combustível após a decolagem.
Contudo, a Airbus parece confiante que a capacidade de transportar mais de 500 passageiros, pagar a viagem, digamos assim.
Vejamos então.

oliver disse...

Duvido que a Comunidade Européia, com base na proposta que apresentou para os próximos 30 anos, tope essa usina de CO2 flanando em seus céus.

Yúdice Randol disse...

Fiquei impressionado ao ler que um boeing, no ar, produz poluição equivalente ao que um automóvel produziria em 50 anos. Em um só vôo, por causa do tipo de combustível e da quantidade queimada, mesmo que o trajeto não seja assim tão longo.
Portanto, penso que o "Titanic dos céus" pode ter futuro se a matemática provar que os custos - ambientais incluídos - forem favoráveis, p. ex. reduzindo a quantidade de vôos de uma mesma companhia, já que ele sozinho transporta mais passageiros. Mas não tenho dados quanto a isso; é apenas uma especulação. Nestes tempos em que o aquecimento global é o assunto, creio que o gigante terá problemas de aceitação em alguns países. Por outro lado, a empresa não investiria bilhões de dólares no projeto se não estivesse confiante.

oliver disse...

É, Yúdice, tenho a mesma opinião. A Boeing foi apanhada no meio de uma mudança de cenário. Mas, certamente, terá o seu plano B para emplacar o novo avião.
Enquanto isso parece que a EMBRAER vai de vento em popa no difícil mercado internacional de aeronaves.

Flanar disse...

Aconteceu o mesmo na época do Concorde. Só que os motivos eram diferentes. Ele não pousava em alguns aeroportos pela poluição sonora que causava durante a decolagem.
Acabou finado por elevados custos operacionais.

Cris Moreno disse...

Flanar, você já prestou atenção nesta foto? Tem uma pessoa de boné, tirando fotos de celular.
Bjs
Cris M oreno

Flanar disse...

Realmente, Cris. Observadora, hein!

Cris Moreno disse...

É você?
Bjs
Cris Moreno

Flanar disse...

Eu???
Quem me dera, Cris. Olha que eu flano pra valer. Mas ainda não tive tanta sorte assim. A única, foi ver a Rainha da Inglaterra em Londres em 14 de setembro de 2001. Indo para a Abadia de Westminster na cerimônia de pêsames ao 11 de setembro. Passou com o carro a 1 metro de nosso táxi. Não deu tempo de tirar fotos. O motora começou a gritar repentinamente:
- The queen! The queen! The queen!
Bem vc sabe, né. A gente demora pra sacar por que um motora de táxi londrino pôe-se a gritar histéricamente de repente. O primeiro reflexo é abrir a porta e sair correndo. Quando caiu a nossa ficha, ela estava passando bem ao lado. Branquinha, branquinha. E a câmera dentro de bolsas.
Mas ficou na memória.
Abs

Cris Moreno disse...

Então valeu!
Eu estava acompanhando o bate-papo de vocês(Oliver x Flanar), naquela noite. Nunca estamos sozinhos na rede.
Bjs
Cris Moreno

Flanar disse...

Bem vinda, Cris.
Sempre!