quarta-feira, 27 de maio de 2009

Critérios

A coluna Repórter Diário, há vários dias, tem-se dedicado a vergastar o governo do Estado batendo numa mesma tecla: os cargos do PMDB, principal moeda com que se movimenta esse partido, cujas práticas são de todos conhecidas. Dia desses, publicou o lamento de um desses oportunistas, que se queixava que o partido não tinha "cargos" no governo, mas apenas "empregos", ou seja, postos de menor visibilidade, com menor remuneração e menos possibilidades de servir de trampolim político.
Hoje, publica uma crítica ao critério para nomeações no governo, que seria "a lógica da amizade". Com efeito, um péssimo jeito de escolher. O sintomático é que, para a coluna, o critério correto seria a "governabilidade". Eu, como leigo, penso que os critérios deveriam ser competência técnica e honestidade. Porque o obscuro termo "governabilidade" pode dar margem a fisiologismos, não pode? Um Estado pode ser altamente governável se todos os seus prepostos forem igualmente safados e atuarem como uma verdadeira camarilha dilapidadora.
E o PMDB não iria querer uma coisas dessas, iria?

3 comentários:

Anônimo disse...

Iria, sim, doutor.

Anônimo disse...

Amizade na escolha das pessoas é o que prevalece nestas horas. Vou dar somente um exemplo: A COSANPA é do PMDB e seu Presidente é um irmão do homem que carregava a pasta (a parrudinha) do Jader para toda parte o ex Suplente de Senador Fernando Ribeiro, O Diretor que faz licitações é cunhado do Dr. Jader, as outras diretorias são todos de apadrinhados do PMDB ou melhor dizendo puxa sacos do Jader. Ai a população é que sofre com estes incopetentes.

Juvencio de Arruda disse...

rsrs..Prof, é isso mesmo!