quarta-feira, 27 de maio de 2009

La Habana: algumas dicas básicas


Cena típica em Habana Vieja.(Imagem: Carlos Barretto)

Cada qual tem a sua viagem. Alguns podem ter muitas outras sugestões a fazer. O que faremos agora, é tão somente elencar algumas informações que são elementares para quem desejar conhecer Havana com tranquilidade.

1. Grana

O dólar é cotado em Cuba a 0,8 pesos convertidos (lá conhecidos como CUC's). Isso significa dizer que se você levar mil dólares vai cambiar para apenas 800 CUC's . Já o Euro é valorizado. E mil Euros, lhe renderão no câmbio cerca de 1200 CUC's. Em outras palavras, esqueça o dólar e leve Euros.

Os cubanos utilizam os pesos cubanos comuns que valem bem menos que os CUC's . Os turistas, obrigatoriamente utilizam CUC's. É comum, nas calles, encontrar pessoas querendo trocar uma moeda de 3 pesos cubanos (que tem a esfíngie do Che) por CUC's. Vale a pena como prêmio de viagem. Mas não lhes dê mais que 1 CUC pelos 3 pesos. Eles ficarão felizes e você terá uma boa recordação.
Atenção com cédulas falsas. Algumas falsificações são grosseiras. Verifique a marca d'água, a textura do papel e a presença da tira de segurança. Costuma ser o bastante para garantir a autenticidade da cédula. Leia o post La Habana: canja não faz mal, publicado direto de Havana.

IMPORTANTE: em Cuba, quase não se aceita cartões de crédito. E o quase, se justifica pois só conseguimos utilizá-los na compra de charutos ou run Havana Club, em valor superior a 50 CUC's. American Express e Dinner's nem pensar. Apenas VISA ou Mastercard. E mesmo assim, com um acréscimo de quase 11% no valor original. Portanto, leve dinheiro.

2. Melhor trajeto

Partindo de Belém, não penso haver outra opção que não via Manaus --> Panamá --> Havana (Copa Airlines). É uma viagem cansativa com uma longa espera em Manaus, tanto na ida quanto na volta. A escala no Panamá é muito rápida (cerca de 1 hora). Pior para quem tiver planos de aproveitar um dos melhores e mais variados Duty Free Shoppings da América Latina. Mas se você deseja adquirir um produto específico (um iPod, por exemplo), é tempo suficiente. Mas seja rápido. Consulte, entretanto, seu agente de viagens. E lembre-se: você vai precisar de algum tempo na escala do Panamá. Leia o tópico abaixo.

3. Visto cubano

Sim. É imprescindível obter o visto cubano para entrar no país. Este visto, você adquire no aeroporto do Panamá, junto a empresa aérea. Basta preencher um formulário e pagar 20 dólares. Reserve então este valor em dólar para ir em frente sem dor de cabeça. E não o perca pois terá que apresentá-lo na volta. Anexe-o ao passaporte. Esta é uma informação importante que não nos foi fornecida pelo agente de viagens. Soubemos do detalhe já em Manaus, no balcão da Copa Airlines. Foi o que nos possibilitou antes de embarcar para o Panamá, trocar alguns reais pelos 20 dólares exigidos por pessoa. Anote-a portanto com cuidado.

4. Hotéis

O melhor hotel de Havana é, sem a menor sombra de dúvida, o Hotel Nacional de Cuba (HNC). Seja por sua estratégica localização, seja pelo primor de seus serviços, à altura de grandes e tradicionais hotéis 5 estrelas. Existem outros, tipo Meliá, etc. Mas localizam-se em Miramar, que é um bairro elegante porém um pouquinho afastado das principais atrações, o que vai obrigá-lo a usar os táxis. Mas lembre-se: táxis à noite em Havana são uma raridade.

As diárias do HNC dependem da alta ou baixa temporada. Mas agora em maio, um quarto double com 2 camas king size saiu por 170 dólares a diária, com café da manhã completíssimo incluído.

Próximo ao HNC, está o famoso Habana Libre (ex Habana Hilton, confiscado pela revolução). É um hotel que segue o estilo Hilton, com arquitetura modernosa e pesada. Alguns gostam.

Existem também outras opções para os viajantes de baixo orçamento (como nós). Procure o Hotel Victoria, e o Sevilla. O primeiro é digno e tem a vantagem de ficar tão bem localizado quanto o HNC e sair por apenas 60 dólares. O segundo, é uma beleza e está mais próximo de Habana Vieja, o que vai lhe economizar em táxis. Não temos informações sobre o valor de suas diárias.

5. Praias

Os Hotéis, através da estatal Havanatur, oferecem pacotes distintos para as diferentes e paradisíacas praias da ilha. Optamos por Varadero, pelo preço (60 dólares) e por recomendação de amigos.
No pacote estão incluídos 1 dia de permanência em um dos resorts de Varadero, com direito a café-da-manhã na chegada, almoço e toda e qualquer bebida que você conseguir botar goela a dentro. Varadero fica a cerca de 160 km de Havana o que deve dar umas 2 horas de viagem em boas rodovias, passando pela província de Matanzas, em micro-ônibus refrigerado. Terá que acordar cedo para estar por volta de 6:45 na porta do Hotel, de onde partem os ônibus.
Este e outros pacotes, você acerta nos próprios hotéis de Havana. Mas acerte logo quando chegar. Os pacotes são muito procurados e esgotam-se rapidamente, dependendo da temporada.

6. Segurança

A cidade de Havana é segura e muito bem policiada. Andamos o tempo todo com as câmeras penduradas no pescoço e não fomos importunados. Mas, como em todo lugar do mundo, não facilite e fique de olho em suas coisas.

7. Táxis

Leia o post La Habana: carros e transporte.

8. Programação cultural

É muito difícil obter estas informações em publicações oficiais. Mais fácil, é consultar a consejeria de seu hotel, ou buscar informações junto aos órgãos oficiais de turismo.
O Teatro Karl Marx e o Gran Teatro de La Habana possuem programações importantes. O primeiro, fica em Miramar. Já o segundo, em pleno centro da capital, próximo ao Capitólio Cubano. Na semana passada, no ótimo Teatro Karl Marx, assistimos ao encerramento do festival Cubadisco. Um evento anual que premia as principais produções musicais cubanas e latinas. Na oportunidade, assistimos a um inesquecível show com Danny Rivera acompanhado com Orquestra Sinfônica Nacional de Cuba, com cerca de 90 integrantes. Com direito a participação mais do que especial de Omara "Buena Vista Social Club" Portuondo. Magnífico espetáculo com mais um destes golpes de sorte que felizmente nos cercaram durante a permanência na ilha.

Existem atividades culturais para todos os gostos. A música oficial e popular da ilha, é na verdade a salsa. Um ritmo forte, percussivo e marcado, com uma dança insana, dominada por poucos. Mas adorada pelos cubanos. As músicas do filme Buena Vista Social Club, são consideradas tradicionais e de interesse turístico. Compay Segundo, Ruben Gonzales e Ibrahim Ferrer, infelizmente passarinharam. Mas você poderá encontrar quem toque o trabalho deles por todos os cantos da cidade, incluindo alguns restaurantes e hotéis. Nos primeiros, a preços convidativos. Já nos segundos, espere por algo semelhante a um "Tropicana" ou "Cubanacan", à preços insanos.
Para a quem deseja conhecer a boa e autêntica salsa, é obrigatória a visita a Casa de la Música de La Habana. Por apenas 10 dólares você vai a uma casa de danças muito popular, que abre as 17 h e fecha às 10. Pena que o atendimento não seja lá estas coisas. Mas vale a pena sentir o pulso da salsa.

8. Charutos

É claro que eles são a principal atração turística da ilha. Havana, é quase perfumada com o cheiro dos charutos. Sem exageros. Mesmo pelo simples fato de que, as sobras da produção de charutos, são utilizadas para fabricar os cigarros comuns cubanos. Sendo assim, se for fumante, você vai poder adquirir cigarros comuns de marcas como COHIBA e Romeu y Julieta. Que cheiram a tabaco de charutos.
Se você pretende adquirir bons charutos, compre sempre em lojas oficiais autorizadas (como a Tienda del Tabac em Habana Vieja) ou na fábrica da Partagás, localizada nos fundos do Capitólio. Não tem como errar. Lá entre todas as marcas produzidas pela estatal Habanos S/A, você vai encontrar os famosos Cohibas. Vou logo avisando que uma caixa de madeira com Cohibas Espléndidos sai por 439 CUC's no VISA ou Mastercard.
Nunca compre charutos espertamente oferecidos pelas calles a suposto bon precio, puritos habanos, etc. São falsos.

9. Run

O Havana Club é o melhor do mundo e pode ser facilmente adquirido em qualquer boteco. Recomendamos uma visita a boutique da distilaria Havana Club, também localizada em Habana Vieja (vê como é importante hospedar-se próximo de lá?). Lá, além de adquirir seu run, pode fazer uma visita guiada ao Museu do Run, com direito a degustação no final. Se pensar em adquirir, compare os preços. Eles variam um pouquinho de um lugar para o outro. Mas não muito. Coisa de 1 a 1,50 CUC's. E não são caros. Uma garrafa de 1 litro de Havana Club Anejo 7 anos sai em torno de 8 CUC's. O anejo Blanco (1 ano) sai por cerca de 3 CUC's. Nem pense 2 vezes. Compre o Anejo 7 anos, ou então meta o pé na jaca e adquira os modelos mais caros, envelhecidos 15 anos, como o Gran Reserva. Para quem quer presentear sem aumentar o peso da bagagem (1 litro = 1 kg), eles tem o Havana Club naquelas garrafinhas de "bebum", que cabem nos bolsos dos paletós.

10. Artesanato e souvenirs

Quem não gosta de uma boa lembrança?
O artesanato cubano é rico e atraente. Bonequinhas de cerâmica multicoloridas, trabalhos em madeira como caixas de cedro para charutos, trabalhos em metal, pinturas, chapéus, belas e caras jóias em coral negro (típico da ilha) abundam pela cidade.
Bem como quepes do comandante-en-jefe, boinas de compañeros, camisetas (remeras) del Che, pinturas, entre outras coisas.
Escolha uma feira a céu aberto para fazer este tipo de compras. A melhor e com melhores preços, é a Feira de Artesanato de Habana Vieja (olha ela novo aí). Não compre nada na feirinha próxima ao Hotel Nacional de Cuba. Sai tudo mais caro.

11. Guia

Adquira já o Guia Visual CUBA da Publifolha. É simplesmente indispensável. Aliás, estes guias, os coleciono com prazer. São caros. Mas valem cada folha ricamente ilustrada e impressa em papel de boa qualidade. Uma lembrança para o resto da vida. Pena que ainda não existam Guias do National Geographic ou do Discovery Channel para a ilha. Eles são igualmente recomendáveis para outras grandes cidades do mundo.

O que já publicamos sobre a viagem a Cuba

8 comentários:

Anônimo disse...

Oi, Flanar.
Obrigada pelas dicas valorosas.
Agora, de uma nota p sua viagem de 1 a 10.

Carlos Barretto disse...

Dar notas é sempre algo muito pessoal, anônima.
Mas, levando em conta minha melhor viagem ter sido à Europa em 2001 (nota 10), daria para Cuba nota 8.
O que não é nada mal, não?

Abs e obrigado.

Anônimo disse...

estou fazendo uma pesquisa sobre o pais de cuba, vc tem algum cuc's que pude-se me vender para acrescentar a minha pesquisa, ou onde poderia adquirir aqui em belem, se puder deixe seu contato como posso localiza-lo.

Carlos Barretto disse...

Lamento, amigo.
Nenhum "CUC".

Abs

Ana Bethânia disse...

OI Carlos! Procurando informação sobre Cuba, encontrei seu blog. Li que a malhor opção foi a saída por Belém. Moro em Belém. Queria saber se manaus faz vôo direto, pois fiz orçamento em 3 empresas diferentes e todas saíam do Rio ou São Paulo.. Atenciosamente, Ana

Carlos Barretto disse...

Oi Bethania
Não existem voos diretos de Manaus - Havana. Obrigatoriamente, vc terá que fazer a escala no Panamá.
As opções via SP, Rio, existem. Mas possivelmente não são as mais econômicas.

Abs

Anônimo disse...

Ola.Estou indo para Havana dia 16 de dezembro,mas ja vi que a passagem e cara o os hoteis tambem nao facilitam.Quero saber onde comer bem nas proximidades do Hotel Victoria e casas de salsa para noites agitadas,se possivel dicas de praias tambem.Obrigada.Grandes dicas para nos viajantes.Abraco.Zenaide Storino.

Carlos Barretto disse...

Amiga.
Boa Tarde.
Vc está indo em alta estação, Acredito não haver alívio financeiro neste período quanto a estadia.
Comer BEM em Cuba é difícil. Mas os Hotéis gabaritados de Havana oferecem bom paladar. No Habana Libre, Por exemplo, é excelente em qualquer estação. No mais, apenas aquela comidinha mais ou menos caseira de habana vieja.
Praias? Varadero é absolutamente recomendável. Nos próprios hotéis, vc acerta os pacotes para lá.

Abs