segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Primeiras 24 h com o iPhone 3G S

Finalmente neste sábado, pelo telefone fui avisado de que já poderia ir à loja de minha operadora para fazer o upgrade para meu novo iPhone 3G S.

Com 24 h de atraso em relação ao resto do país, após inacreditáveis 90 minutos na loja, pude botar as mãos no novo bichinho.

Em primeiro lugar, após a assinatura de um novo contrato de fidelização de 1 ano, o preço saiu bem camarada. Era o mínimo que a operadora poderia fazer para me manter como cliente.

Externamente, de acordo com post feito na data de seu lançamento nos EUA, o 3G S é rigorosamente igual ao modelo de segunda geração. Inclusive minha iSkin Solo utilizada no modelo anterior, serviu-lhe perfeitamente. Contudo, as semelhanças param por aí.

No cérebro o bichinho é visivelmente mais rápido. Os aplicativos abrem como mágica, em um piscar de olhos.

Se você observar bem no painel principal, no canto superior direito, a primeira diferença é totalmente sutil: ao lado do indicador do estado da bateria, agora vemos a informação da porcentagem de carga da bateria, indisponível no modelo de segunda geração.

Além disso, você pode notar a presença da bússola digital, uma das principais novidades que a Apple incluiu no 3G S. E ela funciona satisfatoriamente, e ainda dá a opção de você escolher entre o norte verdadeiro e o norte magnético (declinação).

A câmera, agora de 3 megapyxels, produz imagens legais com foco automático, que pode ser travado com os dedos em algum objeto.

Os vídeos a 30 frames por segundo são excepcionais, e parecem tirar proveito da nova capacidade de processamento do 3G S.

Enfim, até o momento, a certeza de mais um período de satisfação garantida. Pena que a operadora ainda deixe a desejar em um dos ítens mais elementares de toda esta tecnologia: a estabilidade das ligações de voz. Sobre a conexão a web, nem vou falar.

Mas ao cabo e ao fim, ainda resta toda uma gama de entretenimento que você poderá curtir com seu iPhone, enquanto "gira a manivela" para conseguir uma linha.

7 comentários:

Lafayette disse...

Barreto, em matéria de celulares, ter ou não ter (ainda) um Iphone é a minha dúvida cruel hamletianda.

Já tive PPC, e outros, agora uso um N95 8GB, que não tem teclado, mas dá pro gasto, já que tem uma câmera de 5mega, o que me satisfaz já que gosto de bater fotos por aí. Ia comprar um HTC TYTN Kaiser, mas não o fiz.

Minha(?) operadora é a Vivo (a navegação é razoável "menos pior" - em Sampa é muito, mas muito boa lá pela Paulista! - e o sinal de ligação até que não falha)...

Minha implicação era com a câmera, e por não ter, incrivilmente, a possibilidade de gravar vídeos... ultrapassada essas coisas...

...será que é o momento, finalmente?

Quanto será que a Vivo vai me oferecer, e o que ela vai querer em troca... será que a minha alma? Mas a minha alma ela já tem, todo mês, em forma de conta alta, já que uso pácas! rsrsrs

Será que ela vai querer outra coisa? Êpa, nem a pau, Juvenal! rsrsrsrs

Carlos Barretto disse...

Rapaz!
Que estás esperando?
HTC com Windows Mobile????
Valha-me Deus e N. Senhora!
Corre para a Vivo agora mesmo.

Itajaí de Albuquerque disse...

Continuarei com o meu Iphone 3G. Em termos incrementais, no meu caso, não vejo vantagem que justifique o custo de oportunidade. Mas de tudo o que escreveste, fiquei espantado com o nível de precariedade com que a Claro opera em Belém do Pará.

Carlos Barretto disse...

A jogada é a seguinte, Itajaí. Se a Esther namora o teu iPhone, pode ser uma boa comprar o 3G e dar a ela o teu de segunda geração.

Rsssss

Quanto à Claro, bem, não há do que se espantar. Tudo aqui continua como dantes no quartel de abrantes.

Itajaí de Albuquerque disse...

Eh, Eh, Eh. Ela não é uma gadjetaholic.

ASF disse...

Lafayete, me deixe meter o bedelho nesse papo. Vou ser curto e grosso:

O iPhone 3G S é uma obra prima da tecnologia moderna. A satisfação com o aparelho é garantida. Mas infelizmente nem tudo é perfeito, portanto aqui vão algumas ressalvas:

Para uma experiência completa com o iPhone, acredite, você vai querer acesso à App Store e aqui vem a primeira má notíca: a App Store brasileira não chega nem perto em variedade da versão norte-americana.

Acontece também que para acessá-la (a versão americana) você vai enfrentar alguma dificuldade e certamente não conseguirá comprar as aplicações diretamente, utilizando o seu cartão de crédito (mas lembre-se de que existe um universo bastante interessante de aplicações gratúitas disponíveis).

É sempre existem as alternativas: desbloquear o aparelho para instalar aplicações disponíveis através de outras fontes ou mesmo acessar a loja norte-americana utilizando alguns truques. Pesquise e você descobrirá rapidamente como fazer as duas coisas. Mas não vou entregar o jogo aqui, assim de mão beijada, sorry!)

Tem mais, se você gosta de tirar fotos com o telefone, melhor dizendo, se você gosta de andar por aí com uma câmera compacta que também faz ligações o N95 é um ótimo gadget. Agora se você quiser um gadget que faz coisas que parecem saídas de um filme de ficção científica, se deseja um telefone celular fino e elegante, capaz de produzir fotos de qualidade decente (muito melhores que na maioria dos celulares disponíveis no mercado), gravar vídeos de excelente qualidade, acessar a internet, assistir filmes, ouvir podcast, levar sua música para toda parte, gravar mensagens de voz, controlar o aparelho com a sua voz, localizar-se no mundo todo através de mapas e utilizando uma bússula eletrônica e o gps, de forma totalmente gratúita, além de organizar os seus compromissos, contatos pessoais e anotações, acessar o e-mail, e muito mais, tudo isso através de uma interface gráfica simples, bonita e intuitiva, bem então você deve sair correndo para a loja da operadora de sua preferência mais próxima de converter-se em um feliz proprietário do iPhone 3G S.

Folclórico disse...

Tô esperando meu Nokia N97... isso sim é que máquina!