quinta-feira, 22 de abril de 2010

Como Gray Powell entra para a história do mundo da Tecnologia

Esta história, passadas as primeiras 48 horas, já é velha. Velhíssima! E ninguém melhor que o Gizmodo poderá contá-la mais detalhadamente. Mas este poster também a repercutiu na última terça-feira (20 de abril de 2010). Um fenômeno inusitado, quase inacreditável. O suposto vazamento de um grande segredo industrial da Apple.
Justamente a Apple, que cerca seus produtos em desenvolvimento, com os mais avançados recursos de segurança que inclui salas-cofre com senhas que mudam em curtos períodos, equipes treinadas de homens de preto, vigiando seus funcionários, entre outras medidas obviamente não publicadas. De fato, o campus de Cupertino, o The Infinite Loop, é um local de áreas muito restritas. Um templo tecnológico de uma empresa que há décadas se dedica a inovação, em um ambiente de ferrenha concorrência. E já faz parte da lenda, saber a fúria com que Steve Jobs costuma reagir a "vazamentos" de informações críticas sobre os produtos em desenvolvimento. Muito embora, muitas vezes, estes supostos "vazamentos", pareçam fazer parte de meticulosas estratégias promocionais da empresa. Contudo, o fato que aconteceu esta semana, aparenta estar longe de ser algo exatamente premeditado. Ou no mínimo, não tem a "assinatura habitual" que o possa qualificar como premeditado.
Planejado ou não, trata-se neste momento de uma boa história, que o mundo dos sempre frenéticos blogs de tecnologia - muitas vezes assemelhados a "rumorlândia" (termo que já sacramentei por aqui) - está explorando até a última gota. E quando parte de seus incontáveis capítulos (tudo em menos de 48 h) acaba na CNN, no mínimo denota uma pista quente. Quentíssima!
Pois saibam que o protótipo de iPhone de quarta geração encontrado no início desta semana em uma cervejaria, já é a notícia mais quente do semestre. E, sendo assim é improvável que o jovem engenheiro da Apple, Gray Powell, mantenha seu emprego. Se mantiver, por si só, dará combustível a enorme repercussão que o assunto vem ganhando na mídia especializada.
De acordo com o que o próprio Gizmodo relata neste post, Gray foi a uma cervejaria comemorar seu aniversário, com o tal "protótipo", disfarçado de iPhone 3G S, no bolso. Lá chegando, dizem que nem teria ingerido mais do que duas cervejas. Mas cometeu o impensável: esqueceu o modelo na banqueta. Alguém pegou, e tudo começou.
No momento seguinte, o mundo todo já sabia. E desta feita, não eram aquelas imagens inexplicavelmente desfocadas, de baixa resolução. Eram imagens de um verdadeiro hands on, de um dos mais ferozes blogs de tecnologia da internet. Eles literalmente desmontaram o produto, para em seguida, provocados por uma suposta carta da poderosa assessoria jurídica da Apple, serem instados a devolver "objeto de propriedade da empresa". O passo final, que deveria trazer a credibilidade definitiva da história.
E tudo isso, até saiu baratinho. Segundo a CNN, o Gizmodo teria desembolsado meros 5000 dólares pela informação mais desejada do mundo. Tão barato, que trazem à tona as inevitáveis desconfianças de golpe promocional.
De qualquer maneira, Gray Powell agora é uma celebridade instantânea. Daquelas com um pouco mais do que os mágicos 15 minutos, que uma vez afirmou Andy Wahrol. Com efeito, o assunto rende demasiadamente. Até pelo simples fato, de que o Gizmodo agora entra numa espécie campanha pela manutenção do emprego do jovem engenheiro na Apple.
Como diria o titular do Espaço Aberto: Putz!
Cliquem em todos os links embutidos no texto, e saibam mais pelos seus principais protagonistas. Quanto a mim, já redecorei o camarote (que eu imaginava preparado) para o lançamento de final de junho. Uma terça-feira, provavelmente. Um dia onde todos nós saberemos se tudo de fato se encaixa. Ou se todos nós fomos enganados.
Mas pensemos o seguinte: será mesmo que a Apple deixaria o "design" definitivo de um de seus "protótipos", circular animadamente no bolso de um de seus jovens engenheiros?
Hehe!

2 comentários:

Anônimo disse...

Não se engane, o jovem fanfarrão será convidado educadamente a deixar a empresa assim que a poeira baixar. E com razão.

Quanto a aparência final do novo iPhone acho que só conheceremos isso no dia do lançamento (provavelmente em 22 de junho). A razão é simples, quem conhece a forma como a Apple desenvolve seus produtos sabe que pouquíssimas pessoas na empresa tem acesso a novos modelos completamente montados e em sua versão final antes do lançamento. Por exemplo, durante o processo de desenvolvimento é comum que engenheiros do hardware não tenham acesso a todos os recursos do software e vice-versa.

Como Powell trabalhava na baseband (software do rádio para rede celular), é muito provável que o protótipo não possuísse todas as funcionalidades ativadas e que também não estivesse com sua a aparência final (mas é bastante provável também que o modelo final possua as mesmas dimensões do protótipo). Um indício que reforça essa linha de raciocínio e a informação de que a pessoa que o encontrou tentou usar as câmera mais de uma vez e não consegui nada além de um crash no software.

Carlos Barretto disse...

Sim.
Na verdade, um grande festival de fanfarronices.
À conferir.