sábado, 25 de setembro de 2010

O Vale Tudo Eleitoral em Quatro Pontos

1. Tuma não morreu. Ontem o portal UOL, de propriedade do jornal Folha de São Paulo, noticiou o falecimento do senador e candidato a reeleição Romeu Tuma (PTB/SP). O boato da UOL viajou com a velocidade incendiária de um rastilho de pólvora até que o Hospital Sírio-Libanês, onde o senador se encontra internado para tratamento, desmentiu peremptoriamente a (des) informação. Hoje o Portal Terra publica matéria em que a assessoria do candidato petebista avalia matéria da Folha como desonesta e desumana.

2. Aliás, no Conversa Afiada, Paulo Henrique Amorim publicou postagem onde a defesa de José Serra reconhece na Justiça Eleitoral que Dilma nada tem a ver com as falcatruas relacionadas a demissão da ex-ministra Erenice Guerra. Textualmente, com base no publicado no Blogue do Saraiva, eis a confissão da defesa serráquea para que o juiz eleitoral negasse o direito de resposta solicitado pelo PT:

Não há, nem na revista, nem na propaganda a mais remota sugestão de que Dilma estivesse envolvida nos supostos ilícitos descritos.


3. Por sua vez, o blogue "Vi o mundo - o que você não vê na mídia" traz importante contextualização sobre a tentativa de José Serra desequilibrar Dilma, a partir de ataque contra o Ministério da Saúde. E olha que o Azenha não transcreve essa pérola que a Veja (incrível!) publicou em 24/10/2001: O Baú do Lobista. Aliás não deixem de clicar e ampliar as imagens anexadas na matéria; elas trazem informações interessantíssimas sobre algumas figuras políticas, como Pedro Parente, que à época foi ministro-chefe da Casa Civil de FHC e hoje é presidente da filial brasileira da multinacional holandesa Bunge, gigante do setor agrícola e transgênicos ao lado da Cargill.


4. Já há indícios de que não vendo chances de chegar ao segundo turno, a entourage da campanha de José Serra manobra sua "invencível armada" para apoiar Marina Silva. O truque é fazer uma aliança branca e levá-la a um segundo turno com Dilma. Na minha opinião se trata de manobra arriscadíssima em termos pessoais para a ex-ministra do Meio Ambiente, mas de forma alguma nem para o vice de Marina, o industrial proprietário da Natura, nem para a ávida banda fisiológica do PV, onde atualmente ela está filiada.

8 comentários:

Val-André Mutran  disse...

Marina não morderá a isca.
Ela será convidada para importante cargo no governo da nossa presidenta Dilma Roussef.
Aceitar ou não, é com a Marina.
Pode espernear.
Não tem jeito. É Dilma lá e Júlia aqui.

Itajaí de Albuquerque  disse...

Conjecturas. Não há discussão oficial sobre a composição do possível ministério do governo Dilma. Antes disso, porém, a única certeza é de termos que trabalhar duro, se quisermos ganhar as eleições em outubro.

Val-André Mutran  disse...

Até parece que você não sabe como se dá o processo Itajaí.
Vou te poupar de aborrecimentos que tive aqui, no que se refere a "trabalhar duro".
Eu sei muito bem o que tive que fazer para empurrar certos trabalhadores moles nessa campanha. Do PT, para ficar bem claro.
Mas, no final, o prognóstico é satisfatório para o nosso trabalho e dos demais partidos aliados.
Trabalho feito de verdade.
Difícil será a constatação desse reconhecimento por parte de certos trabalhadores duros.
Voltarei oportunamente ao tema.

Itajaí de Albuquerque  disse...

De fato eu sei, mas minha experiência de PT aí é outra. Lamento por seus aborrecimentos, mas tenho certeza que eles não são nessa altura só seus. Chega uma fase nas eleições em que todos se queixam de todos na ordem de algumas toneladas. Só sei de uma coisa: sem trabalho e paciência não há voto, nem vitoriosos.

Luiza Montenegro Duarte disse...

Val-André, desculpe, mas a frase "Não tem jeito. É Dilma lá e Júlia aqui" foi engraçada. Imagino que não tenha sido essa a sua intenção, mas foi.
Sim, a Dilma está garantida, mas os mesmos institutos que dão como certa a vitória dela dão como certa a vitória do Jatene. O percentual é quase o mesmo, diga-se de passagem.
Então, entendo que você está desqualificando as pesquisas sobre as eleições estaduais, apenas porque elas não lhe favorecem. Já para as pesquisas nacionais, você dá crédito. Isso não me parece muito honesto, desculpe.
Pode até ser que a Ana Julia reverta a situação, mas isso está muito longe de ser uma coisa óbvia, que "não tem jeito".
Do jeito que está HOJE, "não tem jeito", é Dilma lá e Jatene aqui.

Val-André Mutran  disse...

Pesquisas são apenas um indicador Luiza. Não acredite tanto nelas.
Em nenhum lugar de meu comentário disse que aprovo ou aprovei qualquer pesquisa.
Você colocou palavras em meu texto que simplesmente não existem.
Agora, se você quiser fazer uma aposta de quem ganhará as eleições, eu topo.
A minha candidata você já sabe quem é.

Luiza Montenegro Duarte disse...

Bom, desculpe, então. É que, como mera espectadora, só tenho as pesquisas e elas me parecem uma fonte razoável. Você deve ter dados que eu desconheço.
De qualquer forma, acredito que a Dilma e o Jatene irão ganhar em primeiro turno, independente das minhas preferências.
Se for só uma aposta simbólica, eu topo; mais que isso eu não posso, estou falida! Rs.
Abraços.

Itajaí de Albuquerque  disse...

Lembro-lhe Val-André que o atual administrador de Belém, por exemplo, chegou ao poder com os cérebros, os músculos e o apoio financeiro de gente que ostenta ao lado de seus nomes alguns d-erres. É bom lembrar que a classe média, que não e iletrada, respondeu decisivamente ao apelo desses fomentadores das campanhas do Sr. Duciomar Costa, elegendo-o por duas vezes. Então não só educação é importante, não só o povo ignaro é o culpado de tudo; existe algo a mais que move as pessoas em direção a essa tragédia vivida hoje por Belém. A isso dou o nome de ideologia.