domingo, 21 de novembro de 2010

Natação paraense


Imagem: Scylla Lage Neto

O Pará já teve uma natação forte há algumas décadas e os mais antigos certamente lembram de nomes como o de Renée Carrapatoso, Mônica Rezende e do sobrenome Carepa.
O tempo passou, as piscinas secaram e como no futebol, no basquete e em outros esportes, as vacas magras proliferam em investimentos, na descoberta e no amadurecimento de novos talentos e consequentemente nos resultados.
Ontem eu tive um lampejo de esperança ao passar a tarde vendo a molecada competindo na Escola Superior de Educação Física, no Torneio Mônica Rezende de Natação, uma competição para atletas não-federados, destinada a descoberta de talentos.
Saí já à noite, meio pensativo sobre uma cidade cercada de água por quase todos os lados e cujo números de piscinas para treinamento da natação cabe certamente nos dedos das mãos.
E talvez ainda sobre dedo.

11 comentários:

Luiza Duarte Leão disse...

Scylla, fui atleta de natação federada pelo Clube do Remo entre 1994 e 2002, além de integrar a seleção paraense entre 1997 e 2002. Tive a Mônica como treinadora, inclusive. Posso dizer que, àquela época, os nadadores do estado se destacavam nas competições até cerca de 12, 13 anos. A partir daí, a diferença nos treinamentos e na infra-estrutura, em relação ao sul/sudeste, fazia diferença, até que, aos 17 anos, todos paravam para prestar vestibular, entrar na faculdade e estagiar, já que não podiam ter grandes pretensões com a natação. Muitos talentos se perderam dessa forma e, ao que sei, ainda se perdem.
Sou da época de Thiago Pereira, Rebeca Gusmão, Joana Maranhão, Caio Márcio e até Cesar Cielo (um pouco mais novo). Eu e meus amigos competíamos nas mesmas piscinas que eles, nadávamos os mesmos campeonatos, mas era impossível termos o mesmo destino. Destaco aqui os nadadores remistas Thaissa Arruda e Thiago Abreu, que foram campeões brasileiros e integrantes da seleção juvenil nacional, na mesma época que esses atletas, que hoje se destacam mundialmente.

ASF disse...

Cabe um registro histórico: o legado do nome Carepa dentro d'água é um pouco diferente daquele para além das bordas das piscinas paraenses. O velho Carepa foi um dos piores presidentes que já comandaram a Federaçāo Parense de Nataçāo (como se chamava na época).

Digo isso porque presenciei o legado desastroso dele para os esportes aquáticos no Pará. Deixou a federaçāo completamente quebrada e prejudicou até mesmo a realizaçāo das competiçōes do calendário anual do campeonato parense a nataçāo na época.

Scylla Lage Neto disse...

Luiza e ASF, obrigado pelas contribuições.
Ainda ontem conversei com um engenheiro que participou de muitas obras públicas ligadas ao esporte e ele me deu a triste notícia de que os trampolins da Escola de Educação Física foram retirados na reforma feita no parque aquático, neste último governo.
Além da natação, portanto, os saltos ornamentais perdem espaço na nossa cidade.
O que restará?
Abraços.

André Batista disse...

Será que o problema é o sobrenome? rs

Scylla Lage Neto disse...

Qual sobrenome, André? Rezende?
Rs

Raul Reis  disse...

Otimo post, Scylla. Nadei no Remo dos 7 aos 15 anos, com o grande treinador Ferreira, que e um batalhador pela natacao paraense. Ferreira inclusive ainda treina a mais nova safra dos mehores atletas do Remo, onde eu mesmo ainda treino cada vez que vou a Belem.

Diga-se de passagem, a natacao e uma das minhas grandes paixoes. Voltei a nadar ha 6 anos, e agora nado com um time de Masters aqui em Long Beach. Ja fomos competir em todo canto aqui na California, e ate mesmo na Dinamarca e Alemanha.

Mais do que nunca, o esporte amador no Brasil tem que ser incentivado, e os atletas, principalmente criancas, tem que receber todo o apoio que merecem!

Raul Reis  disse...

Acabei de notar que a foto no meu perfil foi tirada numa competicao de natacao em Copenhagen no ano passado. Da ate pra ver um nadador na minha camiseta :)

Scylla Lage Neto disse...

Raul, obrigado pelas palavras gentis.
Acho que na próxima vez que você vier à Belém ou que eu for à Califórnia vou te presentear com uma touca do glorioso Clube do Remo, para te dar sorte nas competições internacionais...
Abs.

Anônimo disse...

Natação é um esporte maravilhoso, mas que exige infra-estrutura, conhecimento (biomecânica, etc) e muito, muito treinamento.

Para piorar, o crescimento das cidades brasileiras torna as piscinas alvo de especulação imobiliária. Nadei em Salvador um tempo e uma piscina Olímpica foi aterrada para dar lugar a um condomínio. Motivo: dívidas do clube.

Pra não deixar só coisa negativa, informo que Belém está com calendário cheio: campeonato de masters.

Para mais informações: http://www.apamn.com.br/

Scylla Lage Neto disse...

Anônimo, você resgatou o objetivo do post, que era o de mostrar o lado positivo da natação para a molecada.
Ainda há esperanças.
Abs.

Raul Reis  disse...

Obrigado, Scylla. Vou gostar muito da touca, que usarei na competicao de Masters sugerida por anonimo!