quarta-feira, 24 de novembro de 2010

O dono de Face

Mais um moleque
cheio da grana.
Mark Zuckerberg, 26, CEO da rede social Facebook, pediu e obteve do Escritório de Patentes dos Estados Unidos uma pré-notificação para registro da palavra "Face". Desde que ele, no período de três meses, pague a taxa correspondente, passará a ser o único indivíduo a ter o direito de usar "Face" em "serviços de telecomunicações que proporcionem a usuários de computadores salas de chat e murais eletrônicos para transmissão de mensagens de interesse geral e entretenimento social". É o que noticia o site TechCrunch, mas eu soube aqui.
Felizmente, os meros mortais poderão continuar utilizando a palavra em sua comunicação oral e escrita, sem ter que pagar royalties para um espertalhão. Trata-se, na verdade, de uma ação comercial. É bem menos danosa do que um japonês abusado registrar o nosso açaí e bem menos mal educado do que um palhaço registrar a canção "Parabéns a você".

14 comentários:

Carlos Barretto  disse...

Queres que eu te diga?
Este cara, apesar de algum sucesso pessoal com a criação de um negócio web, é um total idiota. Com todo o respeito, é claro.
Conheço outras historinhas recentes dele. Acho que o filme, lhe subiu a cabeça.
Humpf!

Luiza Duarte Leão disse...

Se ele é idiota, eu não faço a menor idéia, mas, na verdade, entendo que ele tem respaldo legal para o pedido. Como você mesmo disse, Yúdice, ele não pediu exclusividade do uso da palavra "Face" para todos os fins, mas somente para serviços de comunicação, área em que a palavra não é empregada, salvo para se referir a serviços/produtos criados por ele. Apesar de ser uma palavra de uso comum, no campo da comunicação, adquiriu elementos distintivos suficientes para identificar os serviços oriundos do Facebook.
Exemplo famoso é a queridinha do Barretto, a "Apple". Apesar do elemento genérico, no campo da tecnologia, é singular.
Simplificado: pelos acordos internacionais em matéria de marcas, ninguém pode pedir o registro de "Café" para designar um café, mas pode requerê-lo para identificar, por exemplo, uma marca de roupas (não sei que maluco faria isso, mas funcionou com "Apple", que é bem estranho, se pararmos pra pensar!).
Abraços

Luiza Duarte Leão disse...

Ah, lembrei de um exemplo nacional: "Fórum". Simples assim. "Fórum" é um elemento comum, mas foi registrado para uma famosa marca de roupas brasileira e cumpre o seu papel: ser um elemento distintivo, já que é possível ligar a marca à loja, sem fazer nenhuma confusão com outra loja que venda o mesmo produto.

Francisco Rocha Junior disse...

Se fosse o Steve Jobs, seria um jênio...

Tiago disse...

Concordo com o Francisco. Então o fantárdigo Steve Jobos patenteia até o multitouch e é genial! Só ele que pode?

Yúdice Andrade disse...

A questão foi muito bem interpretada pela querida Luiza, que fez uma análise técnico-jurídica do caso. Quanto ao Steve Jobs ou a qualquer outro biliardário da tecnologia, não terá em mim um advogado.
Aliás, a legenda da foto contém uma ironia evidente, não?

Carlos Barretto  disse...

Kkkkkkk.
Usuários de windows não se emendam.
Ahahahahahahah!

Francisco Rocha Junior disse...

Caríssimo Yúdice, pois eu advogaria tranquilamente para o Zuckerberg, para o Bill Gates e até mesmo para o Steve Jobs - mediante régio pagamento, obviamente, que honorários têm caráter alimentar.

Mais: faria uma parceria com a Luíza, que realmente entendeu muito bem o espírito da coisa.

Abs.

Luiza Duarte Leão disse...

Opa, convite aceito, Francisco! Rs

No mais, fiquei meio triste de saber que ele tem 26 anos. Sempre fico meio chocada quando vejo alguém da minha idade com a vida mais do que feita. Pelo menos esse botou a caixola pra funcionar. Pior quando é o Neymar, o Pato, o Adriano e outros enfezadinhos que gastam tudo com carros, divórcios e presentes para traficantes, respectivamente (ou, às vezes, com tudo isso junto!).

Luiza Duarte Leão disse...

Olha, se alguém quebrasse o sigilo fiscal do Barreto, ia descobrir que ele recebe dinheiro da Apple! Certeza! rs.

Carlos Barretto  disse...

30 segundinhos.
É o tempo de boot de minha máquina.
Há mais de 4 anos sem antivírus.
Certo?

Francisco Rocha Junior disse...

Marrapá, o cara se defende até quando não acusado...

Carlos Barretto  disse...

Me defender?
Ainda nem te mostrei os peixes.
Hehehehe
Abs, amigo.

Yúdice Andrade disse...

Francisco, advogar no sentido literal eu advogaria, claro! Sou besta, por acaso?! ;)

Luiza, quanto mais escreves, mais percebo que tenho inúmeras afinidades. Várias vezes constatei que pensamos do mesmo jeito.