quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

David Bowie Special Vol.1 e 2
















David Bowie é um dos artistas mais fantásticos do showbusiness, e ainda mais relevante para a história do rock.

É um tanto constrangedor não termos espaço suficiente para abordarmos a tumultuada vida desse pop star essencial para se entender a verdadeira revolução que Bowie ajudou a construir na história do Rock e, um pouco depois, do Pop.

Ouvir seus discos (Lp's) originais é uma experiência que recomendo para qualquer músico iniciante ou para os leitores interessados em algo que é sinônimo de ungerground, experimentalismos e muito criatividade em cada uma de suas fases. Apelidada, de maneira bastante adequada pela crítica especializada de: "as fases do camaleão". Ou simplesmente DV: o Camaleão.

Em 1971, DV lança seu 4º álbum, intitulado Hunky Dory, era conceitual. Um ano depois, o pop star declarou: "Eu vou ser importante, e isso é, de certa forma, assustador."

A declaração refletia um pouco o passado recente do artista. de muito aperto e dificuldades.

A frase diz muito sobre a loucura de ter a vida virada de cabeça pra baixo, como com um "estalo" de dedos de um gênio da lâmpada, nas remotas histórias das mil e uma noites.

O álbum acima, retratava a vida de um travesti de cabeça raspada. Vendo que o negócio tava pegando. O então desconhecido músico, declara para editores de fanzines (um blog com conceito diferente, mas com repercussão como os blog's de hoje) e pequenas publicações do underground mais obscuro de Londres que era gay. Omitindo que era além de cantor, compositor, multinstrumentista e ator.

O encândalo catapultou sua insípida carreira. Ele diz que isso tudo o divertiu imensamente. Ocorre que ele resolve investir no trabalho sobre canções que relatavam um personagem em moda, naquela época: os astronautas.
O herói era descrito, assim como sua Odisséia em "The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars", de 1972.

David Bowie não parou e numa sequência alucinante de show's, filmes e discos. Lançou para o mundo:

1973 Aladdin Sane
1973 Pin Ups
1974 Diamond Dogs
1975 Young Americans
1976 Station to Station
1977 Low
1977 "Heroes"
1979 Lodger
1980 Scary Monsters (and Super Creeps)
1983 Let's Dance
1984 Tonight

Antes:
1966 David Bowie
1970 The Man Who Sold the World
1972 The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars

E depois:
1987 Never Let Me Down
1989 Tin Machine (com a banda Tin Machine)
1991 Tin Machine II (com a banda Tin Machine)
1993 Black Tie White Noise
1995 Outside
1997 Earthling
1999 'Hours...'
2002 Heathen
2003 Reality

E ainda:
1971 David Live
1978 Stage
1983 Ziggy Stardust: The Motion Picture
1992 Tin Machine Live: Oy Vey, Baby
1994 Santa Monica '72
2008 Glass Spider Live
2009 VH1 Storytellers
2010 A Reality Tour

Mais as trilhas sonoras de:

1981 Christiane F.
1986 Labyrinth (com Trevor Jones)
1993 The Buddha of Suburbia

Há a produção do Bowie como ator:

O primeiro grande papel de Bowie, em O homem que caiu na Terra, foi muito aclamado. Na década de 1960 fez aparições em filmes de vanguarda, principalmente em papéis secundários. Desde então, sua carreira foi bastante esporádica. O filme Furyo, em nome da honra (Merry Christmas, Mr. Lawrence), de Nagisa Oshima, baseado na novela de Laurens van der Post, foi lançado em 1983. Bowie interpretou o major Jack Celliers, um prisioneiro de guerra em um acampamento japonês. Outro músico famoso, Ryuichi Sakamoto, interpretou o comandante do acampamento. No mesmo ano interpretou um vampiro em The Hunger. Bowie também fez o papel de Pôncio Pilatos em A última tentação de Cristo (The last temptation of Christ), de Martin Scorsese e atuou em Zoolander (2001) ao lado de Ben Stiller

Furyo impressionou alguns críticos, mas o projeto seguinte, o musical de rock Absolute beginners (1986), decepcionou tanto a crítica quanto o público. No mesmo ano atuou em Labirinto, a magia do tempo, interpretando Jareth, o Rei dos Duendes.

Sua última atuação foi interpretando Nikola Tesla em O grande truque (The prestige), de 2006. Em 2007 cedeu sua voz para o personagem Maltazar na animação Arthur e os Minimoys (Arthur and the Mininoys / Arthur et les Minimoys). Seu próximo filme é 'August' onde atua ao lado do ator Josh Hartnet ainda sem data de estreia.

Em 2009 teve participação especial como ele mesmo no musical de rock independente chamado Bandslam. (Wikipédia).

O set list abaixo obedece a ordem da turnê mundial de 2003, batizada de: "A Reality Tour". Com mídia no formato dois cd's ou dvd do show. Mas, só lançado este ano.
O álbum traz as apresentações de 22 e 23 de novembro de 2003, em Dublin, durante o andamento da turnê. Esta é uma versão em áudio do vídeo show de mesmo nome, exceto que ele adiciona três faixas bônus. O download digital no iTunes acrescenta mais duas faixas bônus.

Mais uma exclusividade do Flanar, para os amantes da boa música.

Set List 1
  1. "Rebel Rebel" - 3:30
  2. "New Killer Star" - 4:59
  3. "Reality" - 5:08
  4. "Fame" (Bowie, John Lennon, Carlos Alomar) - 4:12
  5. "Cactus" (Black Francis) - 3:01
  6. "Sister Midnight" (Bowie, Alomar, Iggy Pop) - 4:37
  7. "Afraid" - 3:28
  8. "All the Young Dudes" - 3:48
  9. "Be My Wife" - 3:15
  10. "The Loneliest Guy" - 3:58
  11. "The Man Who Sold the World" - 4:18
  12. "Fantastic Voyage" (Bowie, Brian Eno) - 3:13
  13. "Hallo Spaceboy" (Bowie, Eno) - 5:28
  14. "Sunday" - 7:56
  15. "Under Pressure" (Bowie, Freddie Mercury, John Deacon, Brian May, Roger Taylor) - 4:18
  16. "Life on Mars?" - 4:40
  17. "Battle for Britain (The Letter)" (Bowie, Reeves Gabrels, Mark Plati) - 4:55

Set List 2

  1. "Ashes to Ashes" - 5:46
  2. "The Motel" - 5:44
  3. "Loving the Alien" - 5:17
  4. "Never Get Old" - 4:18
  5. "Changes" - 3:51
  6. "I'm Afraid of Americans" (Bowie, Eno) - 5:17
  7. "Heroes" (Bowie, Eno) - 6:58
  8. "Bring Me the Disco King" - 7:56
  9. "Slip Away" - 5:56
  10. "Heathen (The Rays)" - 6:24
  11. "Five Years" - 4:19
  12. "Hang on to Yourself" - 2:50
  13. "Ziggy Stardust" - 3:44
  14. "Fall Dog Bombs the Moon" - 4:11
  15. "Breaking Glass" (Bowie, Dennis Davis, George Murray) - 2:27
  16. "China Girl" (Bowie, Pop) - 4:18

As faixas 14–16 não estão incluídas no vídeo concerto.

Faixas bônus no download digital (iTunes)

  1. "5:15 The Angels Have Gone" - 5:22
  2. "Days" - 3:25
Ah! só mais uma pequena lembrança.

David Bowie foi o 1º artista a lançar sua produção e obra completa na bolsa de valores, de Londres e do Mundo.

Você sabia que você pode ser sócio dos lucros do Camaleão?

3 comentários:

Itajaí de Albuquerque  disse...

Lembro, Val-André, que a música de Bowie compõe a trilha sonora de uma das mais bem sucedidas mini-séries inglesas: "Life on Mars". Ela também está presente no "spin-off" sucedâneo dessa série, "Ashes to Ashes", que não até o momento não foi comercializada no Brasil.
As músicas de Bowie estão incluídas entre as 500 mais representativas do rock´n roll pela "Rolling Stone".
Realmente pela diversidade de campos artísticos em que Bowie tem contribuído exige espaço.

Val-André Mutran  disse...

Você, como sempre, um observador d'álem Terra.

David é um grande mulitmídia.

A cena em The Hungry -- meu filme predileto em todos os tempos --, tocando cantrabaixo acústico ao lado de Catherine, me estimula.

Apesar do Debussy apontar, nas notas, um mundo sem futuro. As cenas, posteriores; inclusive a necessidade e torpor pela morte certa de um ente "imortal", é simplesmente insubstituível.

As séries que você citou são campeãs!

Que tal a gente se encontrar na frente do Púlpito, depois, de amnhã? Na posse de nossa Presidenta?

Itajaí de Albuquerque  disse...

Muitíssimo bem recordado Fome de Viver, que é um dos grandes filmes de David Bowie. Sou fã do cara que, além de tudo é casado com uma das mais belas modelos da África: Ima.
Quanto ao encontro proposto, aqui decidimos nos fazer representar pela sogra e a sobrinha na transmissão do cargo presidencial. Elas passam férias conosco e será uma oportunidade única, em especial para a pequena.
Compareceremos, contudo, na recepção do Itamaraty. Se estiveres por pá, nos achamos com certeza.
Um excelente ano para você e família.