sábado, 22 de janeiro de 2011

Ignorância musical de acomodados

Ignorantes musicais representam a grande maioria da inculta população de um país que sequer domina, minimamente, o idioma pátrio.

O que mais impressionou-me no discurso de posse de nossa presidenta Dilma Roussef (não adianta presepeiro vir aqui malhar. Eu vou designá-la presidenta, sempre), foi a promessa de erradicar a extrema miséria nesse lado de baixo do Equador.

Desafio tremendo.

Se Dilma conseguir mitigar em dois anos esse descalabro; não seria exagero, adotar-mos a idéia de Heitor Villa-Lobos, transformar o Brasil, na maior Nação musical jamais vista na história da civilização humana.

Serão, Oxalá! Passos, após, passos.

Patetas aos borbotões, criticam o Melody Brega Paraense. Detonam as duplas sertanejas. Sejam elas quais forem. Disparam impropérios impublicáveis sobre os artistas do samba, da MPB, da música instrumental. Detestam a música clássica e nunca ouviram um Miles Davis ao trompete. Mesmo assim, consideram-no, um som de caretas.

Essa gente é mais do que 68% do público consumidor de música no Brasil.

A política cultural desse país, simplesmente, não forma. Não chega na ponta. Simples assim.

E é na música. Que somos considerados, um dos melhores do Mundo, em todos os tempos.

Vai entender.

4 comentários:

Homem do Norte disse...

Mutran,

Fiquei até com medo de me manifestar sobre o seu belo poster, haja vista que você, de imediato, já me chamou de PRESEPEIRO. Eu, hein!!! kkkk.

Val-André Mutran  disse...

O recado não foi pra você.
E deixa de tentar ser, mais presepeiro que eu, viu!?
Rsss.

Carlos Barretto  disse...

Mas rapá. Este Roger....
Rssss

Homem do Norte disse...

É que ainda estou muito mais preso ao Camões, Drummond e outros presepeiros que nem nós... eheheh.