sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Constatação poliânica

Uma chuva que não para, nem diminui sua intensidade, há 2 horas; a maior maré do ano em Belém; a cidade, abandonada por um prefeito que não existe, vê o trânsito caótico parar nas ruas alagadas; os canais, entupidos de fogões, geladeiras, televisores e tudo o que neles é jogado, não dão vazão à quantidade de água...

Em suma: Deus é paraense. Se não fosse, teríamos morros e deslizamentos aqui.

3 comentários:

Yúdice Andrade disse...

Muito boa, Francisco. Havemos de nos emocionar quando acordarmos de manhã. Estaremos vivos!

Maick William O. Costa disse...

Ainda bem...realmente seria tragédia demais para nossa Belém

Francisco Rocha Junior disse...

Yúdice,

Triste é saber que tem tanta gente que não tem como simplesmente curtir a chuva, na nossa cidade.

Maick,

Já bastam estas tragédias diárias que vivemos por aqui.

Abs.