quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Cresce o "mercado de tablets". Mas por enquanto, só no papel

TouchPad, Xoom, Playbook, Galaxy Tab, etc. A cada novo raiar do sol parece surgir um outro suposto concorrente do pioneiro iPad. E todos os dias eu me lembro daqueles que duvidaram de seu sucesso, no dia do lançamento, atribuindo-lhe futuros pouco honrosos. Pois ontem não foi diferente.
Desta vez quem entra no chamado "mercado de tablets" é a HTC que anunciou o seu Flyer. Fico realmente impressionado com os nomes que vão surgindo. Xoom já foi uma benção, não é verdade? Agora avaliem Flyer!
Mas ironias à parte, vamos as especificações:

  • Tela de 7 polegadas com 1024 por 600 pixels (concorre com o Galaxy Tab, Hehehe);
  • Processador single-core Qualcomm MSM8255 Snapdragon com 1,5 GHz (Bom!);
  • Sistema operacional Android 2.4 (os "outros" já estão vindo com Android 3.0 ??????);
  • 1 GB de memória RAM;
  • 32 gbytes de memória interna;
  • Câmera traseira de 5 megapyxels e frontal de 1,3 megapyxels (Sim! Câmeras! Muitas câmeras!!);
  • Conectividade HSPA+ (também conhecida como 3G PP), WiFi e Bluetooth.
Preço? Ainda não sabemos. Mas a exemplo da maioria dos outros supostos concorrentes do iPad, ele por enquanto, não passa de mais uma planilha de especificações, com previsão de venda a partir do segundo semestre de 2011.

[Via Tecnoblog]

5 comentários:

Patrícia disse...

Um comentário do mundo real: ah, como eh bom usar um teclado swype, navegar em páginas com flash, fazer vídeo-chamadas, poder ler meus cartões de memória, levar em minha bolsa um dispositivo com menos de 400 gramas... isso eh muito importante pra uma mulher. Enfim, navegar em 3G como eu faço agora. Isso pra mim eh real com meu Galaxy Tab.
Meu marido ficou com o trambolho de 10"...

Carlos Barretto  disse...

Sim.
Eu também percebi inicialmente, estas aparentes vantagens do Galaxy. Mas depois, imaginei que para ter todas estas características de hardware, melhor mesmo é um Macbook Air. Rssss.
Mas como sempre digo, o melhor produto é aquele que atende sua demanda pessoal. Se vc está satisfeita, é o que realmente importa.
Abs

Patrícia disse...

Não, meu caro, essas vantagens não são somente aparentes, são reais de fato. E eu que pensei que a postagem fosse sobre tablets e não sobre notebooks. Mesmo assim, nada se compara aa funcionalidade de um dispositivo de 7"... Lamento que sua obsessão não lhe permita observar o óbvio.
Abraços.

Carlos Barretto  disse...

Realmente, taxar-me de obsessivo é desnecessário.

Temos opiniões diferentes. Não há dúvida. Mas nem por isso apliquei a você qualquer adjetivo. Restringi-me a mostrar, a trajetória que me levou ao atual ponto de vista. Exatamente como você fez, explicando o uso que faz de seu Galaxy Tab. E nem vou me ater aos aspectos técnicos, já amplamente criticados em outros posts deste blog, sobre o Galaxy Tab, na atual configuração.

Costumo dar opiniões sobre produtos, calcado não exatamente na suposta classificação que a indústria e a mídia costumam fornecer, em alguns casos com objetivos meramente didáticos, mas muitas vezes entretanto, com mal disfarçados intuitos mercadológicos.

Um produto, é um produto. Eu, procuro obter o ponto de vista de usuários finais. Aqueles que vão chegar na loja, comprar o produto e pagar. Estou portanto, focado no uso que faremos deste produto. Como ele vai se enquadrar no seu cotidiano. Quais as necessidades que temos.

Sendo assim, qual exatamente a diferença entre um produto como o Macbook Air (MBA), de tamanho tão diminuto e pesando tão pouco, com alguns dos tablets atuais? Ele chega quase a concorrer com o próprio iPad. Eu disse quase, pelo simples fato de que um pequeno boot é necessário ao se ligar o MBA. Só isso. Mas que é fácilmente resolvido utilizando-o em modo hibernação, a exemplo da esmagadora maioria dos produtos da Apple.

Em meu cotidiano, quando preciso de webcam e portas USB, levo o Macbook Pro. Ele possui um HD de 500 gbytes para armazenar fotos. Por esta razão, é imbatível neste sentido, até pelo fato de que nenhum tablet chega aos pés na capacidade de armazenamento que um notebook possui. E se levarmos emconta que, pelo perfil deste tipo de produto, costumamos enchê-los também com aplicativos e músicas, logo sobrará pouco espaço para as imagens. Isso pode até ser resolvido com a aquisição de um tablet de até 64 gbytes. Ainda assim, este perfil não costuma atrair fotógrafos profissionais, que ainda preferem os notebooks. O iPad possui um acessório que se chama iPad Camera Conection Kit. Ele fornece um leitor de cartões SD e abre uma porta USB para simplesmente vc transferir suas imagens. Só isso. Nada mais. Comprei-o recentemente apenas para avaliar sua funcionalidade. Pelo baixo custo, não pude resistir. Mas continuo sem usá-lo. Pelo simples fato de que antes, não sentia falta de portas USB, e muito menos de leitor de cartões SD.

Como você pode ver, depende do cotidiano de uso de cada um.

Quer saber uma coisa que eu realmente sinto falta no iPad? A câmera. Esta sim, acho que bem que poderia ter sido incluída logo na primeira versão. Virá na segunda. Pode anotar.

Mas no caso do Galaxy, temos ainda mais alguns senões a observar, O Android que o equipa, na versão que vc tem nas mãos, é tão somente a mesma existente nos telefones com Android. Foi simplesmente portada para um hardware de maior tamanho. O que não é a mesma coisa que acontece com o iPad, que possui um sistema operacional desenvolvido só para ele. Isso traz algumas diferenças importantes. Talvez a próxima versão do Galaxy Tab resolva isso. Mas não esta que vc possue agora.
Além disso, o Android Market ainda precisa crescer para se comparar a iTunes App Store. E muito.

Cheguei a escrever um texto sobre o Galaxy Tab, quando ele ainda nem estava disponível para aquisição no Brasil. Naquela oportunidade, salientei que, em terras brasileiras, ele seria mesmo visto como um forte concorrente ao iPad. E cheguei a apontar que principalmente o preço, seria o principal motor para isso, além da exuberância de outros atrativos inegáveis. Sabia que no BR isso iria acontecer. E isso, não desmerece o produto. Apenas, não é a minha maneira de adquirir um produto. E ela não é melhor ou pior que a sua e a de qualquer outro usuário. É tão somente a minha.

E eu não estaria satisfeito com o Galaxy Tab. Mas você está.

Estamos felizes, é o que importa.

Carlos Barretto  disse...

A propósito, leia o que escrevi sobre o Galaxy Tab, quando ele ainda nem estava disponível para venda.
http://blogflanar.blogspot.com/2010/11/ipad-e-seu-mais-importante-concorrente.html