quinta-feira, 3 de março de 2011

Apple lança iPad 2 em evento memorável

Expectativas mil, corações acelerados, The Beatles como fundo musical e a presença surpreendente de iGod, em pessoa. Foi assim mesmo, com a participação do próprio Steve Jobs, que a Apple lançou ontem a segunda geração do iPad, oficialmente nomeada de iPad 2.
De antemão - reafirmando a frase que ouvi ontem no Twitter de outro aficcionado - nasceu ontem o verdadeiro iPad killer, lançado pela pioneira no conceito de tablet always conected. O resto, vai continuar mesmo correndo atrás do prejuízo, por não terem tido melhor idéia, além de idealizar computadores de hardware modesto com alguma versão do Windows. E mesmo o promissor Android, com seus até então 300 aplicativos, ainda não faz frente a imensidão de opções disponíveis na iTunes App Store. E também não se trata mais de elencar prováveis concorrentes em uma tabela de especificações, na tentativa de mostrar uma suposta isenção. A concorrência, escorada em anos de cômoda transfiguração de elementos focados na "plataforma" Wintel, simplesmente continua a mover a pesada massa inercial de sempre. Mesmo quando recebe a oportunidade de surpreender com a inovação, utilizando um mobile OS respeitável como o Android, mal consegue soletrar o bê-a-bá.  É o vício do lucro fácil, produzindo espelhos para os aborígenes, e a boca torta com o peso do cachimbo. Mas deixemos estas considerações preliminares e vamos conferir o que de fato foi lançado ontem.

Para começar, quase tudo o que vinha sendo especulado na mídia especializada foi confirmado. Quase tudo.  A nova versão do Mobile Me não se confirmou. O slot de leitura para cartões de memória SD também não. O atual usuário de iPad, se desejar, vai continuar precisando de um simples acessório para estes préstimos, chamado iPad Camera Conection Kit (U$ 30,00). Lembrando que tentar atrair ao iPad, funções de computador portátil, é um erro comum, que leva as pessoas a fazerem as avaliações erradas de sempre. E as compras erradas de outrora. Portanto, fotógrafos profissionais, vocês vão sim continuar precisando de notebooks. E os amadores, podem ir logo pensando num Macbook Air, se de fato necessitarem de algo leve e transportável para transferir imagens de suas prováveis coleções de cybershots. Hehe. Perdôem as ironias. Mas elas são cabíveis e atuais.
E o iPad 2 já nasceu com os avanços que deveriam ser feitos, no ritmo certo, no bater inevitável de tambores do mercado. E neste sentido, não exatamente estamos felizes ou tristes. Apenas cientes deste poder. Se alguém ainda duvida do poder da indústria e do mercado, por favor, como dizia minha avó, vá me comprar um bode. Por trás de tudo há sim estratégias de mercado. Sempre houve e sempre haverá. E que ninguém se engane mais, que tudo aquilo que chegou aos nossos lares, surgiu da força poderosa das leis de mercado. Ponto.

Mas o que exatamente foi lançado ontem? Vamos aos detalhes.
  • Mais leve (601 g/ 15%)  e mais fino (8,8 mm/ 33%);
  • 2 vezes mais poderoso (processador A5 dual core 1 ghz, desenhado por encomenda para a Apple). O desempenho gráfico do novo chip é nove vezes mais rápido que o A4 da versão anterior;
  • 1 câmera frontal VGA para o FaceTime e uma traseira em HD (720 p);
  • Giroscópio de 3 eixos;
Smart Cover em poliuretano
  • Smart Covers em poliuretano (U$ 39,00) ou couro (U$ 69,00) - "cases" multicoloridas para iPad com acoplamento magnético ao gadget;
iPad Digital AV Adapter

  • Apple Digital AV Adapter (U$ 39,00) - acessório que ligado ao conector de 30 pinos, oferece uma extraordinária saída HDMI e outro conector de 30 pinos. Em outras palavras, você pode ver conteúdo de seu iPad na TV com entradas HDMI, e de quebra, continuar a carregar a bateria. Um pequeno e precioso detalhe: o acessório é totalmente retrocompatível com o iPad 1, iPhone 4 e iPod Touch de quarta geração;
Novo iPad 2 Dock
  • Novo dock específico para o iPad 2 (U$ 30,00)
  • Photo Boot for iPad - obviamente só vai fazer sentido no iPad 2 com câmeras;
  • iMovie e Garage Band for iPad, que agora vão se utilizar do incremento na capacidade de processamento do produto;
  • iOs 4.3 - disponível para download gratuito no próximo dia 11 de março;
Preços divulgados na keynote de ontem (Imagem: Engadget)
  • Mesmos preços das versões anteriores,  disponível em WiFi, WiFi/GSM e WiFi/CDMA (16, 32 e 64 gbytes);
  • Agora em duas cores: preto e branco.
  • Apesar do incremento no poder de processamento, a mesma autonomia de bateria de 10 h está mantida. De fato, eles precisaram aumentá-la de tamanho, com a mágica de não incrementar o peso e ainda diminuí-lo de tamanho !!!!!!!
Muito bem. Foi isso que Steve Jobs anunciou ontem. E já começaram a surgir - a exemplo do que aconteceu no lançamento do iPad 1 - comentários de entendidos (as), supostamente isentos, na verdade escrachados blackberristas. Não sou afeito a isenção. Meu perfil e minha assinatura nos posts deixam isso bem claro. Além do mais, não faço jornalismo. Apenas um blog pessoal. E nem o jornalismo, obrigatoriamente se propõe a isso. Há controvérsias poderosas e antigas nesta seara. Mas daí a afirmar que tudo o que foi lançado é o mesmo iPad com 2 câmeras, é no mínimo um despautério. Até mesmo pelo fato, voltando ao início do texto, que o iPad desde o nascedouro, jamais foi algo para ser comparado, analisado ou adquirido, baseado em supostas tabelas comparativas de hardware, de um suposto mal nascido "mercado de tablets". Tudo o que existe até o momento é uma imitação pirotécnica de iPad, computação gráfica e planilhas de especificações técnicas. Ele, simplesmente, continua um produto único. Não pelo aspecto ou aparência. Mas especialmente pelo conjunto da obra.
Sendo assim, nasceu ontem o verdadeiro iPad killer. O iPad 2. 
E vamos em frente!

Para mais informações:

4 comentários:

Maick William O. Costa disse...

Minha opinião é de que o smart cover é quem realmente vai dar a base para um maior e melhor uso do facetime no ipad. Pra mim uma das grandes jogadas de mestre.

Yúdice Andrade disse...

"iGod"?...

Carlos Barretto  disse...

Sim. Já digo logo assim, em atitude defensiva, pra num ter que ouvir aquelas piadinhas de sempre sabe, Yúdice.
Abs

Carlos Barretto  disse...

Sim, Maick.
De fato, "embalar" o iPad sem acrescentar-lhe tanto peso e ainda permitir o funcionamento da câmera traseira, foi uma boa idéia.
Muito embora, eu ache que a parte traseira, subitamente, ficou sem proteção, entende? Mas logo logo, vão surgir produtos de terceiros pra resolver este problema. Pode anotar.

Abs