domingo, 13 de março de 2011

Culinária sem fricotes




Eu gosto das coisas simples, inclusive no quesito comida. Deliciosamente simples.
Talvez por este motivo eu acabe fugindo da cozinha fusion, do excesso de frescuras e da pretensão exagerada dos ditos restaurantes chiques.
Aqui em Belém, apesar da riqueza de matéria prima regional disponível (peixes como a pescada amarela e o filhote, chicória, pupunha, farinha "baguda" e as frutas exóticas, entre outros), poucos restaurantes exploram com ciência, dedicação e arte esse precioso substrato.
E, sem querer passar por profeta, eu gostaria de mencionar um nome para ser guardado pelos flâneurs e pelos leitores: José Bezerra.
Recém-chegado de um ano em Buenos Aires, dedicado exclusivamente ao alto estudo da culinária, o futuro chef ainda pratica o ofício como hobby, mas de olho em empreendimentos futuros.
E ontem eu fui "vítima" de um boeuf bourguignon fabricado chez lui, que fez com que me sentisse em Dijon ou em Beaune.
Torço para que José e outros novos cérebros amantes da boa cozinha invadam a cidade e elevem o nosso rango para onde ele deveria estar: no topo.

2 comentários:

JOSÉ DE ALENCAR disse...

Nham, nham, nham..
Não esqueça de indicar o endereço do futuro restaurante.
Estamos nessa.

Scylla Lage Neto disse...

Alencar, parece que a idéia do José seria abrir um lugar pequeno, tipo uns bares/bodeguitas que existem na Espanha.
Lhe avisarei.
Um abraço.