segunda-feira, 2 de maio de 2011

Quem matou Osama bin Laden?

Os primeiros comunicados oficiais do governo americano esclarecem que foi um grupo especial apoiado por agentes da CIA que executou o terrorista Osama bin Laden. São os US NAVY SEALS, uma das unidades mais letais de forças especiais que um exército pode ter.

Histórico do SEAL – Em 1941, depois que os japoneses bombardearam Pearl Harbor, as tropas norte-americanas foram forçadas a invadir território japonês pelo mar, freqüentemente encarando áreas minadas e ataques de inimigos não-vistos. Como contramedida para esses riscos, a Marinha Norte-Americana criou equipes especialmente treinadas para se infiltrar o território inimigo em direção à costa e liberar o caminho de obstáculos e outros riscos. Essas equipes de seis homens eram chamadas Unidades de Demolição de Combate Naval. Seu treinamento era intenso em fortalecimento físico e incluía levantamento de peso, natação, corrida e manobra de pequenos barcos. O treinamento também incluía manuseio de explosivos. Eventualmente, realizavam treinamentos em Equipes de Demolição Subaquáticas (UDT - Underwater Demolition Teams).

As UDTs foram organizadas em 1943. Também conhecidos como homens-rã, foram responsáveis durante a Guerra da Coréia por nadar até a costa antes de uma invasão e explodir obstáculos em seu caminho, abrindo caminho para a invasão dos anfíbios norte-americanos. Também destruíram alvos importantes como pontes e túneis.

Na década de 60, o aliado da União Soviética, Vietnã do Norte, estava lutando contra um aliado norte-americano, Vietnã do Sul. O presidente Kennedy enviou, em pequenas equipes de guerrilha, combatentes para ajudar o Vietnã do Sul. Com os Boinas Verdes do Exército já estabelecidos, era hora da Marinha criar sua própria unidade de Operações Especiais. Fundamentado no treinamento dos UDTs, os SEALs da Marinha foram criados. Seu treinamento os preparou para trabalhar nas selvas, costas e rios do Vietnã. Sua tarefa era ficar atrás das linhas inimigas e atacar de surpresa acampamentos de inimigos, sabotar suprimentos, cortar comunicações inimigas e destruir munições armazenadas. Eles foram bem sucedidos em suas missões.















Fotografia cedida pela Administração Nacional de Arquivos e Registros (NARA - National Archives and Records Administration) dos EUA
Fotógrafo: J.D. Randal, JO1


República do Vietnã, novembro de 1967: membros da SEALs da Marinha Norte-Americana se movimentaram para o Rio Bassac em um barco de assalto (STAB - Seal Team Assault Boat) durante operações ao longo do rio ao sul de Saigon.

Com a Guerra do Vietnã terminando sem vitória, muitos cortes foram feitos nas despesas militares, e o número de unidades das Forças Especiais foi, em muitos casos, cortado pela metade. O sucesso dos SEALs no Vietnã, contudo, provou seu valor.

Treinamento – O treinamento do SEAL é brutal. Leva mais de 30 meses para treinar um SEAL da Marinha até o ponto no qual estará pronto para posicionamento. Os SEALs que emergem estão prontos para lidar com qualquer tarefa que possam ser chamados para executar, incluindo mergulho, natação de combate, navegação, demolições, armas e pára-quedismo. O treinamento os leva ao limite, tanto mental quanto fisicamente para eliminar aqueles que possam não ser capazes de completar com êxito as exigentes missões e operações que os SEALs enfrentam. Os tipos de estresses que encaram durante o BUD/S (Demolição Subaquática Básica/SEAL) são os mesmos que encaram em missões reais. Se não podem resistir a isso quando não há vidas na linha, há boas chances de que não sejam capazes de resistir a isso quando vidas em jogo.

A partir do primeiro dia no treinamento, os recrutas são ensinados da importância do trabalho de equipe. O foco não é no indivíduo. O fato de que nenhum SEAL tenha sido deixado para trás em uma missão é uma prova do sucesso deste sistema. Durante todo seu treinamento, aprendem porque o trabalho de equipe é necessário no tipo de tarefa em que estarão sendo inseridos. Os SEALs estão realizando tarefas que podem não ser possíveis para um único homem realizar, mas pode ser realizado para uma equipe composta de homens que têm o mesmo treinamento e habilidades. Seu sucesso depende do que podem fazer juntos como uma equipe.

8 comentários:

Prof. Alan disse...

Seal significa sea, air and land, um indicativo da especialização dos caras, que são treinados para atuar em qualquer lugar e sob quaisquer condições.

Na Escala Nascimento de Caveiragem acho que eles só perdem pros conterrâneos da Delta Force e pros russos da Spetsnaz.

ASF disse...

O verbete sobre eles na Wikipedia é bastante completo, vale dar uma olhada: http://en.wikipedia.org/wiki/United_States_Navy_SEALs

Val-André Mutran  disse...

Acrescentaria o pessoal do servico secreto de Israel. Perigosíssimos, Alan.

Prof. Alan disse...

Tens razão, Val, o povo do Mossad e as tropas Sayeret Matkal são capazes de matar até o Hulk.

No filme Munique aparece uma operação conjunta Sayeret/Mossad, na qual eles invadiram o Líbano e mataram líderes do Setembro Negro (Operação Primavera da Juventude).

Entre aportar no Líbano por mar (em Beirute e Sidon), localizar e abater os alvos e fugir foram apenas 35 minutos.

ASF disse...

Mossad é o serviço secreto israelense. Mas não se trata de uma força militar de elite. Ela seria o equivalente a CIA.

No rol das principais e mais respeitáveis forças militares de elite não pode faltar a SAS britânica: http://en.wikipedia.org/wiki/Special_Air_Service

Uma curiosidade: Bear Grylls, estrela do programa do programa "À Prova de Tudo" do canal Discovery é um ex-SAS (http://en.wikipedia.org/wiki/Bear_Grylls).

Lafayette Nunes disse...

Nenhum deles supera o PODEOPRA - Policiamento Desinibido para Operações na Pratinha.

São uns feras!

É propina. É "colheita". É "paquerar as nativas". É blitz "pra arrumar o da cerveja".

Uma beleza! rs

Val-André Mutran  disse...

ASF o SAS é igualmente preparadíssimo.

Val-André Mutran  disse...

Laffa o PODEOPRA é facil de ser neutralizado.
Não precisa sequer disparar um tiro para dar cabo desses traquinos.