quinta-feira, 6 de outubro de 2011

iPhone 4S"teve"

Passei a noite de ontem, experimentando um momento difícil. Envolvido em um daqueles plantões que constituem minha atividade de médico intensivista, de um momento para o outro, me vi obrigado a usar o máximo de meu profissionalismo para lá permanecer, sem perder o foco. Soube da notícia da forma mais esquisita. Em uma mensagem cercada de ironia no Twitter, uma mention feita por uma amiga querida, chamava a atenção para um fato que se provou muito duro para mim. 
Apesar de esperada, a morte de Steven Paul Jobs caiu sobre mim como uma forte martelada no peito. Sem o menor exagero, a sensação que se abateu sobre mim foi avassaladora. Obrigado a refugiar-me por alguns momentos no conforto médico, não consegui evitar que rolassem lágrimas sinceras e profundas. Foi como se tivesse perdido aquele irmão, que via todos os dias.
Ainda agora, não consigo concatenar as idéias para fazer um texto menos emotivo e algo mais justo, talvez,  a maneira que Jobs gostaria de ser lembrado e reconhecido. Por esta razão, vou preferir deixar o tempo passar para digerir um pouco mais o fato. Só após esse período, começarei de maneira embutida em variados posts, a lembrar a falta que ele faz e o enorme impacto que ele foi capaz de gerar ao mundo. 
Em minha humilde opinião, este impacto existe, não importando se você é usuário de Mac ou Windows. Esta é precisamente uma das grandes conclusões que a trajetória histórica de Jobs revela, de maneira até constrangedora para muitos. Bill Gates, Mark Zuckberg e até o próprio Google que o digam. Todos eles, fizeram seus depoimentos, suas homenagens, cada qual a seu modo. O último, está representado na imagem que ilustra o post. Uma homenagem simples, sem Google Doodle, apenas com um link situado de forma discreta.
Resumi minhas emoções de ontem em um curto texto que fiz no Facebook. E é com ele que encerrarei este post.

"Quem me conhece, sabe e respeita o que sinto agora. Admiro SIM, e lamento do fundo do coração apertado, a perda de pessoas que sabem lutar o bom combate.

Descanse em paz, Steve Jobs!"

4 comentários:

Edyr Augusto Proença disse...

Steve foi um herói moderno. Também sinto muito seu falecimento. Morreu um dos bons. Já faz falta

Silvina disse...

Entendo tua dor e compartilho essas discretas e sentidas lagrimas.
Abraço, CarloS!

Prof. Alan disse...

Ele teve aquele feeling de enxergar o que ninguém mais via. Depois que a Apple fazia, parecia muito fácil e muito simples - tanto que todo mundo copiava. Mas ninguém pensava nas mesmas coisas antes dele...

Maick William O. Costa disse...

O mundo lamenta, amigo. Lamenta a perda de uma mente brilhante que ainda tinha muito a nos ensinar e ainda tinha muito a produzir. Mas o seu legado está escrito na história.