sexta-feira, 24 de novembro de 2006

Polêmica

Sobre o caso do oftalmologista que cobrou honorários de um paciente do SUS por uma cirurgia de transplante de córnea (mostrado no Jornal Nacional), o G1 afirma:

O Ministério Público Estadual, que investiga a denúncia, já descobriu que nem o médico nem a clínica onde ele trabalha estão autorizados a realizar transplantes.

O Ministério Público Estadual também quer saber por que a córnea foi enviada para um médico e uma clínica que não estavam autorizados a fazer o transplante.

Já o Diário do Pará publica hoje que a Assessoria Jurídica do Sindicato dos Médicos que acompanha o caso do oftalmologista se pronunciou da seguinte maneira:

É importante esclarecer que o Banco de Olhos credencia tanto profissionais da área pública como privada. O repasse da córnea é gratuito mas o procedimento de transplante é cobrado ou não, dependendo de quem faz o transplante”, informou, acrescentando que o oftalmologista usou o direito de cobrar os honorários médicos, pois não estava vinculado ao SUS. “O médico não cobrou pela córnea. Tanto é verdade que devolveu a córnea imediatamente, em tempo hábil, para ela ser transplantada em outra pessoa.

É preciso ter calma com o andor porque assim como existem bons médicos existem também bons jornalistas. O blog aguarda as investigações.

Leia mais no G1 e no Diário do Pará.

2 comentários:

Anônimo disse...

Pelo jeito a turma de branco nunca virá a ter manchas no jaleco. Mas todos nós sabemos. Êta espírito de porco, êpa corpo.

Flanar disse...

Tem muito corporativismo em qualquer profissão, anônimo. E tem muitos "linchadores" também. Que é o outro extremo da questão. Ambas as situações nos transportam a idade medieval.
Abs e obrigado pela visita.