sexta-feira, 23 de fevereiro de 2007

Desgoverno

O Repórter Diário acerta em cheio hoje aquilo que o blog já alertou em pelo menos 3 oportunidades. O estado de má conservação das ruas da zona central. Em especial a rua General Gurjão e suas transversais. Na esquina com a Tv. Padre Prudêncio por exemplo, o mato cresceu tanto nas calçadas que os pedestres são obrigados a andar pela rua. E como já dissemos anteriormente, todos os dias "animais" despejam naquela esquina entulho de demolição. O que força mais uma vez os pedestres a andarem perigosamente pela rua. Possivelmente o local foi eleito há anos para este fim. E ninguém faz uma campana para descobrir os meliantes.

A rua General Gurjão, próximo a Presidente Vargas, no centro de Belém, não poderia estar pior: de um lado, camelôs transformaram a calçada em depósito de barracas de ferro, bloqueando o caminho de pedestres; de outro, a lama e os sacos de lixo já dificultam até a passagem de carros.

5 comentários:

Anônimo disse...

Nunca havia acontecido: Interromper o tráfego na principal artéria do centro da cidade. Foi o que aconteceu com a Manuel Barata, entre a Presidente Vargas e a Assis de Vasconcelos. Rompeu um bueiro e fecharam a rua ao longo de semanas! Congestionando ainda mais a Presidente Vargas.
Seria típico trabalho emergencial, para acontecer dia e noite, sem interrupção!

Flanar disse...

Excelente lembrança, anônimo. Realmente é um buraco que já merecia até nome de batismo.
E o pior é que os desavisados que entrassem pela Manoel Barata a partir da Presidente Vargas, viam-se numa espécie de arapuca, obrigados a cortar pela Frei Gil de Vilanova para continuar seu caminho pela Aristides Lobo. Uma chateação sem tamanho.

Anônimo disse...

Que tal um registro fotográfico aqui no blog dessas tais preciosidades em nossa cidade?

Quem sabe, como já diz o ditado, uma imagem (ou várias delas) realmente possam sensibilizar as pessoas para a real (e horrível) dimensão desse problema!

Flanar disse...

Boa idéia!
Hoje em dia, com um celular com recursos de fotografia é o suficiente para viabilizar isso.
Quem desejar, pode mandar para o blog em carloseduardobarretto@gmail.com.
Publicaremos sem o menor problema.
E com o título "Flanando por Belém mal tratada".

Anônimo disse...

Ótimo!