quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Mac OS Leopard: instalado e operante

Esta talvez seja a última "revisão" de sistema operacional do ano. Nada melhor do que fazê-la com o Mac OS.

Após cerca de 35 minutos de instalação, finalmente pude ver a nova interface bem cuidada do Mac OS Leopard, a nova versão do sistema operacional da Apple.
Recebi pelo correio na última terça-feira e iniciei o processo de instalação no mesmo dia.
O show já começa pela embalagem, primorosamente manufaturada, com efeitos holográficos.

Como recomendado em diversos sítios especializados, reformatei o HD e comecei tudo do zero, tomando o cuidado de exceutar o backup de dados previamente.


Nova área de trabalho do Leopard com as stacks.

Na primeira inicialização, a surpresa com um belíssimo vídeo de apresentação da Apple, sempre cuidadosa com seus recursos gráficos.
A segunda surpresa, nada agradável, é que o SO vem "pelado". Ou seja, os recursos do iLife não estão embutidos no DVD do Leopard. Ele terá que ser adquirido à parte. Já providenciei pois o iLife é uma suíte que reúne excelentes aplicativos para lidar com arquivos multimídia no computador.

De cara, observa-se logo o nôvo Dock desenhado em 3D com perspectiva, os novos ícones de Preferências do Sistema, da Time Machine (que por enquanto, optei por manter desativada) e do novíssimo recurso de stacks que deixa acessível ao usuário seus documentos contidos no Finder (gerenciador de arquivos do Mac). Aliás, no Finder, pude testar o Cover Flow. Nele, podemos visualizar o conteúdo de nossos documentos com animação gráfica. Muito bonito e de grande utilidade.
Tudo o que está na área de trabalho tem um leve efeito de transparência e o papel de parede default agora é púrpura.


Dock em 3D

Foram menos de 48 h de uso e pouco ainda posso dizer das novas funcionalidades do Leopard, restando apenas este post, com as primeiras impressões subjetivas.
Como tenho necessidade de ter o Windows Vista instalado junto com o Mac OS na mesma máquina, minha expectativa era pelo funcionamento do nôvo Boot Camp (software que permite a dupla instalação).
Pois ele melhorou muito. Antes, éramos levados a gravar um CD com drivers (softwares que tornam os dispositivos de hardware agregados a máquina, reconhecíveis pelo sistema operacional) antes de iniciar o particionamento do HD e instalação do Vista. Agora isto não é mais necessário. Os drivers já estão gravados no próprio DVD do Leopard, que é solicitado após a instalação do Vista.
A mera inserção do DVD do Mac OS, dá início ao script de instalação de drivers pelo Boot Camp. Ótimo! O que já era simples ficou melhor.

Quanto ao funcionamento do sistema, ele mantém a rápida inicialização que antes o Tiger já tinha: cerca de 30 segundos. Nisto, o Mac OS é absolutamente imbatível.
Já o Vista, no mesmo hardware, mais de 1 minuto.
Nenhum contratempo, nenhum aborrecimento, nenhuma mensagem de erro, nada!
Tudo funcionando na mais perfeita harmonia. Um presente de Natal que ninguém me daria.
Mas como disse no início, é muito pouco tempo para concluir qualquer coisa. E a Apple já corrigiu algumas falhas que são de imediato "baixadas" após a primeira inicialização.
Só o tempo irá dizer o restante. E eu estarei aqui para relatá-las, tão logo seja necessário.

5 comentários:

Bia disse...

Boa noite, Flanar:

uma insônia - acho que é a ansiedade do final do ano - e fico aqui "babando" nas coisas bonitas que um Mac oferece.

Minha neta, quando senta aqui, do alto dos seus seis anos usa a máquina como quem brinca: com tranquilidade, curiosidade e nenhum medo.

Eu, por meu lado, continuo usando um micro como quem usa uma máquina de escrever avançada...rsrsrs... e não consigo ousar nem tenho mais paciência para aprender. Acho que isso é "privilégio" dos quase-velhos.

Não. O que eu sinto lendo seu post não é inveja. É admiração.

Boa noite.

Abração

Flanar disse...

Generosas suas palavras, Bia.
Ah! Vc também tem insônia?
Após mais de 13 anos vivendo em plantões com alta octagagem de adrenalina (indo e vindo, diga-se), meu sono fisiológico perdeu-se nos tempos.
Nisto estamos juntos.
Seus filhos começam a lhe dar uma sova no computador?
Aqui em casa, embora ouse afirmar que talvez saiba um pouco mais do que a média sobre microinformática, meu filho de 16 anos começa a inverter as posições. E começo a aprender muito com ele, em especial durante a instalação e operação de jogos. Nisso, eu sou pouco mais que uma anta. Resta-me ainda para me dar alguma sensação de estar ensinando alguma coisa, o menor, de adoráveis 11 anos.
Portanto, nisso também, já estamos quase juntos.
Ser velho parece ser acima de tudo, um estado de espírito. Nada que nossos analistas não possam nos ajudar a enfrentar. Embora aos 45 anos, que cronologicamente parece ser a tal da meia idade, para algumas coisas sinto-me um velho em estado acelerado. Já para outras um adolescente.
Em todos estes instantes, como vc muito bem afirma, parecem haver sim privilégios.
E esta foi uma expressão extremamente feliz sua.
Daí porque, finalizando, retribuo a admiração. Empatia e troca de emoções.
Nada mais bonito.
Bjs

Flanar disse...

Esqueci uma coisinha.
Para equilibrar minha vida maluca, embrenhado nas UTIs da cidade, incialmente dediquei-me a informática por mero diletantismo.
Ultimamente, venho curtindo de montão a jardinagem.
Olha! Deixa eu dar um depoimento: depois que passei a encaminhar um certo relacionamento com as plantas, suas exigêcias, e principalmente sua maravilhosa resposta aos bons tratos, até meu sono ensaia melhoras.
Minha tolerância com as pessoas e suas vicissitudes também.
Vou escrever um dia sobre jardinagem. Mas não sobre técnicas, adubos, fertilizantes e estas coisas chatas. Mas sobre seus efeitos na alma.
É só eu me encontrar mais um pouquinho nesta "nova onda" para após depurar e amadurecer, relatar alguma coisa que o valha aos leitores.
Abs

Bia disse...

Flanar,

tenho com as plantas uma convivência amorosa. Cuido delas - não tenho muitas numa pequena varanda - vejo-as ragir ao meu carinho e ressentir-se do meu abandono quando o tempo não permite mimá-las.

Escreva sobre a arte de amar as plantas e seus benefícios sobre a nossa alma às vezes tão gasta. Você certamente vai ser tão bom quanto nas matérias sobre informática.

Já que é assim, muitas flores para você e seus meninos neste Natal. E que em cada botão delas se abra uma perspectiva nova e bela para 2008.

Abraço grande.

Flanar disse...

Obrigadíssimo, querida.
Foi ótimo conhecê-la pela blogosfera, neste ano de 2007.
Grande abraço.