sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Natal no Iraque

Sabemos que nas guerras as mariores vítimas são os civis, especialmente as crianças e os idosos. Hoje a UNICEF divulgou relatório sobre a situação social de 2 milhões de meninos e meninas iraquianos, expostos à doenças, falta de escolas e violência. Detalhes na BBC-Brasil.

3 comentários:

Anônimo disse...

Imagine as autoridades brasileiras no Iraque, considerando o ocorrido em Abaetetuba, porém, ninguem fala de milhares de crianças que morrem nos hospitais públicos e dos políticos corruptos. Só falamos o que é conveniente, e vem gente de Brasília mandar aqui, e ficamos calados, somos idiotas mesmo.

Oliver disse...

Anônimo,
Garcia Morente escreveu um livro clássico de introdução ao pensamento filosófico - Fundamentos de Filosofia. Logo no início o autor faz uma distinção magistral entre o que é opinião (doxa em grego) e o que é conhecimento. Diz ele: "uma pessoa pode estudar minuciosamente o mapa de Paris; estudá-lo muito bem; observar um por um os diferentes nomes das suas; estudar suas direções; depois pode estudar os monumentos que há em cada rua; ´pde estudar os planos desses monumentos; pode revistar as séries das fotografais do Museu do Louvre, uma por uma. Depois de ter estudado o mapa e os monumentos pode este homem procurar para si uma visão das perspectivas de Paris mediante uma série de fotografias tomadas de múltiplos pontos. Pode chegar dessa maneira a ter uma idéia bastante clara, muito clara, claríssima, pormenorizadíssima, de París. Semelhante idéia poderá ir aperfeiçoando-se cada vez mais, à medida que os estudos deste homem forem cada vez mais minuciosos; mas sempre será uma SIMPLES IDÉIA. Ao contrário, vinte minutos de passeio a pé por Paris são uma VIVÊNCIA.
Entre vinte minutos de passeio a pé por uma rua de Paris e a mais vasta e minuciosa coleção de fotografia, há um abismo".
Quando tu falas de "milhares de crianças mortas nos hospítais brasileiros", tenho certeza que estou diante a um tipo de abismo bem pior, aquele deslustrado de idéia e de vivência, mas iridescente de uma cegueira ideológica que te impede reconhecer que a realidade da mortalidade infantil brasileira vem obtendo progressos sustentados, reconhecidos por OMS, OPAS, UNICEF e Banco MUndial.
Teu comentário chega a tamanho absurdo de distorcer a realidade brasíleira, e de estupidamente desfocar o foco sobre a situação das crianças nas guerras, que ao final do comentário, tive vergonha de ilustrá-lo com uma citação do mestre Morente.
Mas, mesmo assim te publiquei para demonstrar às pessoas sérias que frequentam este blogue a baixa qualidade de alguns comentários que temos de moderar por respeito a filosofia do Flanar e, principalmente, a elas...
Mas, quem sabe, sendo tempo de Natal e de chegada de ano novo, não te estimulo, anônimo, a ler e a melhor formar tuas idéias. O blogue penhoradamente ficará agradecido.

Cris Moreno disse...

Caramba, Oliver. Você não mata, esfola.

Beijos.