domingo, 30 de novembro de 2008

Marcou posição

O jornalista Mauro Bonna, em sua coluna de negócios do Diário do Pará, de hoje, escreveu que, segundo a revista Veja (olha a fonte de informação do rapaz...), a governadora Ana Júlia mandou à Polícia Militar "pegar leve" ao efetivar mandados de reintegração de posse, para não "arranhar sua imagem junto aos bichos-grilos que vêm para o Fórum Social Mundial".
Grosseiro e de péssimo gosto. Ao não fazer distinção de espécie alguma, o jornalista - talvez já acostumado demais a transitar pelos meios empresariais que bancam os elogios que escreve - tratou a todos os participantes do evento com menosprezo.
Segundo o Dicionário Houaiss, bicho-grilo é o "indivíduo que segue o estilo da contracultura (p.ex., no modo de agir e pensar, no vestuário)". Porém, como egresso da Universidade Federal do Pará, posso assegurar que não é nesse sentido que a palavra costuma ser empregada. O termo era usado em referência aos estudantes cabeludos, mal cuidados e em geral com aparência de quem não toma banho. Alguns cursos das ciências humanas eram tradicionalmente discriminados quanto a esse aspecto e havia uma presunção de bicho-grilagem contra seus acadêmicos.
Ignoro o real sentido da mensagem do jornalista, mas estou convencido de que foi ofensiva. Entendi que, para Bonna, assim como para muita gente dos círculos em que ele transita, o FSM é uma reunião de desocupados, de vagabundos, de rebeldes sem causa, que gostam de ser do contra e por isso criticam os grandes e visionários empresários e governos, que movimentam a riqueza do mundo. Penso que, como formador de opinião, ele deveria ao menos se informar melhor sobre o que o FSM é, antes de escrever suas mal traçadas linhas.
Detestável.

8 comentários:

Anônimo disse...

Mauro Bona,



jornalista?



Só prá quem acredita em Papai Noel...

malquenempicapau disse...

Pelas fotos que eu tenho visto do poster, o adjetivo parece cair como uma luva ao mesmo, sobretudo na parte que concerne à falta de banho, ahahahah.
E quanto ao tal do FSM, o que de bom irá trazer prá cá, além da fumaça do "preto", que vai rolar direto na orla do Guamá? Eu vou estar lá...
A propósito, sou a mesma "larva" que criticou o jabaculê da taberna da walda a alguns dias atrás, ahahah. Só que agora resolvi me identificar. Aliás, pra facilitar as coisas meu IP é 189.97.204.136. Se precisar do CPF é só publicar o comentário e pedir educadamente, ahahahah

Yúdice Andrade disse...

Anônimo, como ele escreve uma coluna periódica num jornal, chamei de jornalista. Posso estar equivocado, sem dúvida. Mas, cá entre nós, que nenhum jornalista me escute (leia), como se faz para diferenciá-los de outros profissionais, que atuam na imprensa? Não é o diploma, com certeza...
(Este comentário não é maldoso, ok?)

Anônimo (de fato), ao dizer que ia se identificar, pensei que ia mesmo, mas fornecer o IP não significa nada. Não sei se os demais confrades, que se aborreceram no comentário infeliz do outro dia, vão querer o seu CPF. De minha parte, dispenso. Considerando o teor do seu comentário hoje, de você quero apenas uma coisa: distância. Das grandes.

Carlos Barretto disse...

É claro, Yúdice. Ela teria que dar o CPF. Quem sabe assim, não se provaria realmente corajosa para si própria, é claro. Enquanto isso, deixa ela se borrar toda aí na frente de todo mundo.
Mas estou dispensando também.
Está dispensada!
Rssss....

Bia disse...

Boa tarde, meninos:

o que foi que eu perdi, caramba?

Abração procês (Yúdice e Carlos)

Yúdice Andrade disse...

Hmmmmm, então sabemos que é uma mulher? Interessante.

Anônimo disse...

Pode nem ser mulher, já que se trata de uma "larva". Mas. pela péssima escrita e pelo teor ridículo do comentário, trata-se de alguma pessoa descerebrada.

Carlos Barretto disse...

Posto que é larva, nada mais natural, anônimo das 12:50. E ela é ré confessa.
Rsss...