quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Será que os livros desaparecerão?



Pergunta do dia: será que a versão hard copy dos livros estão com seus dias contados? Será que os iPad, Kindle, e-reader e outros gadgets do gênero farão estes objetos tácteis e colecionáveis desaparecerem de vez, como preveem alguns? Na minha opinião, a exemplo dos CDs e até mesmo LPs (que estão voltando `a moda), os livros ainda estarão por aqui por um bom tempo. Segue abaixo a letra de "Livros", canção linda de Caetano...

Livros

Composição: Caetano Veloso

Tropeçavas nos astros desastrada
Quase não tínhamos livros em casa
E a cidade não tinha livraria
Mas os livros que em nossa vida entraram
São como a radiação de um corpo negro
Apontando pra a expansão do Universo
Porque a frase, o conceito, o enredo, o verso
(E, sem dúvida, sobretudo o verso)
É o que pode lançar mundos no mundo.


Tropeçavas nos astros desastrada
Sem saber que a ventura e a desventura
Dessa estrada que vai do nada ao nada
São livros e o luar contra a cultura.


Os livros são objetos transcendentes
Mas podemos amá-los do amor táctil
Que votamos aos maços de cigarro
Domá-los, cultivá-los em aquários,
Em estantes, gaiolas, em fogueiras
Ou lançá-los pra fora das janelas
(Talvez isso nos livre de lançarmo-nos)
Ou ­ o que é muito pior ­ por odiarmo-los
Podemos simplesmente escrever um:


Encher de vãs palavras muitas páginas
E de mais confusão as prateleiras.
Tropeçavas nos astros desastrada
Mas pra mim foste a estrela entre as estrelas.

4 comentários:

Scylla Lage Neto disse...

Raul, eu sinto (e muito) a falta dos bons filmes fotográficos B&W, dos discos de vinil, dos CD's e até mesmo do carburador Weber.
Apesar de adorar a imagem digital, o i-pod e o controle eletrônico de tração e estabilidade do meu veículo automotivo, creio que perder o livro impresso seria um golpe duro demais.
Will I survive?
Abraços.

Anônimo disse...

Não, os livros não desaparecerão no entanto no longo prazo se tornarão artigos de luxo, de alto custo.

O desprezível custo de produção e distribuição das cópias eletrônicas rapidamente (suponho que nos próximos 30 anos no máximo) suplantará a versão mais comum nos dias de hoje.

Então chegará o tempo em que livros como a maioria conhece, em hard copy, serão elevados a categoria de um "prazer para poucos".

Edyr Augusto disse...

Amigos, também adoro todos eles, mas que venha também, o livro eletrônico e viva a Literatura!
Abraços
Edyr

Raul Reis disse...

Um grande SIM `a tecnologia e aos novos gadgets. Realmente o que importa é que mais livros sejam vendidos e lidos, seja no formato que for!