quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Não Terminou o Golpe no Equador

No twitter há informação de que o golpe militar no Equador chegou ao fim. Mas o gravíssimo fato comprova que a extrema-direita não respeita nada nem ninguém. Lembro que depois de Allende essa foi a primeira vez que os fascistas latino-americanos tentaram derrubar um governo constitucionalmente eleito e com amplo apoio popular.
Para aqueles que desdenham a possibilidade de ocorrência de golpes contra a democracia na América Latina, esses fatos convidam a refletir sobre as consequências de apoiar atitudes irresponsáveis como aquelas que teem sido praticadas nessas eleições sob o pálio da grande imprensa e de algumas autoridades identificadas com setores conservadores e com passado notoriamente golpista na história recente do Brasil. Aliás, a esse respeito, convem a leitura da coluna Andante Mosso da Carta Capital publicada esta semana, antes desse grave fato acontecido hoje no Equador.
Twitter na Radio del Sur, o presidente Rafael Correa trava o seguinte diálogo, há poucos minutos:
Não vou assinar nada sob pressão.
Nada está garantido, vários membros de minha guarda pessoal foram gravemente feridos
Estou sequestrado neste hospital.
Informa-se que dois helicópteros militares tentaram resgatar o presidente mas não obtiveram sucesso. A situação, portanto, segue gravíssima especialmente por conta do amplo apoio popular que o presidente possui. Apesar do alto comando militar equatoriano protestar apoio ao presidente consituticional é estranho que ainda não tenham efetivamente intervido e garantido que os rebeldes não prossigam na tomada das rádios e emissoras de televisão. Espero que Rafael Correa não esteja iludido, como Goulart foi ao acreditar que teria um " esquema militar" que dissuadiria os golpistas de 64 de intentar em definitivo contra o seu governo constitucional. Ele estava irremediavelmente errado.

2 comentários:

Anônimo disse...

Interessante um golpe militar que é dado contra a autoridade constituída em que se exige a assinatura de uma LEI. Terá sido mesmo um golpe? E se considerarmos que o Excelentissimo presidente sequestrado, cuja patria está em risco pelo GOLPE, ainda tem acesso ao, veja só!, TWITTER.
Que beleza! O golpe é tão virtual quanto mensagens de presidentes Twiteiro.

Acredito que isso é coisa de Foro de São Paulo... vamos ver.

Abraços.

Itajaí de Albuquerque  disse...

O presidente estava em um hospital cercado por tropas golpistas. Daí porque pode usar o twitter. Acho que de fato faltou aos golpistas - e ainda bem - maior competência. Mas não ironize coisa séria: pessoas morreram nesse lamentável episódio.