domingo, 10 de abril de 2011

Convivência Cidadã

Organizações Pompílio
Recebi e-mail de meu irmão, André Barretto, psicólogo e vice-presidente da AMAMURUBIRA, sobre o post Sai o "Sítio da Ilha", ganha a AMAMURUBIRA, que publico na íntegra abaixo.

De fato, eu mesmo vi nesta última sexta-feira dia 8 de abril a faixa anunciando a "Festa de despedida" do Sítio da Ilha. Por curiosidade aproximei-me do local e vi o que poderia chamar de um ambiente mal cuidado. Meio destruído e acabado: reflexo da concepção de "investimento" aplicada ao local. Explorar até o máximo e depois simplesmente abandonar. Descartar, como uma fruta chupada e atirada ao lixo. Não fosse nossa reação, meio tardia, e estaríamos até hoje limitados em nossos direitos de usufruir dos resultados de nosso trabalho, com tranquilidade e bem estar. Houve algumas perdas no caminho. O caseiro e sua família que lá perto moravam, não resistiram e sairam de lá. Alguns de nós, se afastaram daquela área, passaram a frequentar menos suas próprias casas. A sensação era a que estávamos sendo expulsos de nosso território por forças que visam o lucro a qualquer custo. E de abusos praticados sem nenhuma ação dos orgãos fiscalizadores. Não deve ter sido "light" a última festa. O tom do abuso foi dado por uma aparelhagem, a Premier, (sic) cuja altura do som fica muito acima do chamado som ao vivo que o organizador da festa apregoava falsamente. Ainda temos o MURUBA`S, o ASA DELTA que devem infernizar os vizinhos que como nós são desrespeitados em seus direitos. A luta deve continuar. Outros cidadãos atingidos devem juntar-se a nós para prosseguir. A AMAMURUBIRA veio pra ficar. Cabe a nós mantê-la atuante em prol da luta pelos direitos ambientais e por uma ação educativa e fiscalizadora pelo respeito aos mínimos direitos ao sossego, ao lazer e a convivência cidadã.
Por ora, comemoremos essa etapa vencida. Parabéns a todos os que de alguma forma colaboraram com nosso movimento. 
E que este fim de etapa, seja o recomeço da outra.
Abraços amamurubirianos,

André Maurício Lima Barretto

5 comentários:

Val-André Mutran  disse...

É isso mesmo chara!
Minha sogra tem uma casa em Mosqueiro.
Lú e eu viramos o livro para demovê-la da idéia de vendê-la.
Foram 27 arrombamentos nos últimos dois anos.
Fica cada vez mais difícil não concordar que ela tem razão.

Yúdice Andrade disse...

A associação está de parabéns. É um alento ver quando as pessoas se mobilizam em torno de uma causa justa, ainda mais na capital mundial do egocentrismo.

Felipe Ericeira disse...

BEM QUE O DEPUTADO CELSO sABINO E O CONSELHEIRO CIPRIANO PODERIAM INTERFERIR JUNTO AOS SEUS FAMILIARES, PROPRIETÁRIOS DO IMÓVEL, PARA QUE ESCOLHESSEM SEUS INQUILINOS.

Carlos Barretto  disse...

Felipe

Parece haver uma senhora idosa, como beneficiária do imóvel. Temos que exercer a compreensão neste cenário. Contudo, acredito que a experiência, servirá para ensinar a todos, que há uma certa responsabilidade solidária na questão. Continuemos a acompanhar e exigir fiscalização.

Abs

Carlos Barretto  disse...

Ou estou enganado?