terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Prefiro putas do que drogados!

-------------------

Pensar onde se vive, e por que se vive ali, é no que estou a pensar neste momento. Vejam bem: moro no bairro da Campina. Histórico bairro das lavadeiras e das putas; e desde que Porto é Porto....Pois bem, este bairro está sendo  invadido  pelos crakeiros. Uma geração de loucos que os traficantes estão construindo para nós aturarmos e pagarmos com a vida e o trabalho os carros de luxo e as viagens. Diga-se de passagem: isto não tem repressão! O crack  decide quem vai virar  marginal: é a droga que já diz quem vai para a marginalidade e para a loucura. Crack: Morreu! Está morto! Uma população de mortos vivos está tomando conta do bairro da Campina. Não podemos permitir. E eu não posso ficar à margem; não posso!. É um bairro que, revitalizado,  pode gerar muitas ações importantes para a cidade. Aqui está o centro histórico de Belém. Aqui estão Igrejas importantes, o Arquivo Público do Estado, o casario que restou, e uma bela porta da baia do Guajará. Um mundo de memórias, que não pode se tornar o teatro da loucura. Não mesmo! Inclusive temos um espaço teatral no bairro que é  um ponto de cultura: o Teatro Cuíra. Não vai dar só para ficar lamentando. As ações para a retirada dos crakeiros, são prisões e policiamento ostensivo na área; com a prisão de toda a cadeia de indivíduos que querem  transformar a Campina em a Cracolândia de Belém. Nem morta Santa! Meu SLOGAN: PREFIRO PUTAS DO QUE DROGADOS!


Publicado no Jornal O Liberal, coluna de Bernardino Santos.

4 comentários:

Prof. Alan disse...

Isso aí só comprova que não adianta expulsar viciado de um lugar, ele se ajeita em outro rapidinho. Precisa é a PM e a Polícia Civil partirem pra um trabalho de inteligência: mapear quem fornece crack pra área, investir contra os traficantes. Sem isso qualquer outra medida vai ser só empurramento de craqueiro com a barriga...

Marise Rocha Morbach disse...

E o pior Prof. Alan é o teor de uma nota como esta aí: Triste. A própria nota já passa a acomodação que se espera diante do fato. Morei em São Paulo, vou sempre por lá, provavelmente meu filho vai morar prá lá. Não dá para comparar o que aconteceu na Cracolândia em termos urbanos; mas dá para comparar no empurra com a barriga; agora deixar que isto aconteça em uma cidade com as característica de Belém é simplesmente afundar o desenvolvimento cultural da cidade e as ações de preservação do patrimônio público. Eu continuo espantada com a minha cidade.

Edyr Augusto Proença disse...

Marise, as putas estão se afastando, também. Liguei para o Coronel Solano, tipo vice chefe da Polícia e tudo o que ouvi foram queixas de que o problema é social, que arrebenta na mão da PM e ao final, nada. Todos tiram o corpo fora.

Marise Rocha Morbach disse...

Curioso Edyr que o Coronel Solano tenha se saído com esta. Ele é de fato um dos responsáveis pelo controle das drogas, principalmente se elas se fazem nas ruas.E é o que pedimos: controle e justiça. Qual é?