sexta-feira, 26 de janeiro de 2007

Flanando pelo Centro de Belém



Em foto de telefone móvel, flagrante desrespeito ao código de posturas do município. O proprietário desta casa na Pe. Prudêncio quase na esquina com a Rua Carlos Gomes, reservou a calçada para depositar o entulho de possível obra de reforma. Há mais de 3 semanas, não existe nehuma providência para punir o infrator. Um pouco antes, na esquina com a rua Henrique Gurjão, outro infrator deposita DIARIAMENTE uma grande quantidade de entulho, sem que seja incomodado.
O combate a este tipo de atitude - especialmente reveladora de maus hábitos possivelmente associados a mais absoluta impunidade - deve ser implacável e faz parte do tópico ações públicas recomendado pelo Ministério da Saúde no combate à Dengue.

3 comentários:

citadinokane disse...

Barretto,
Já bati a cabeça com relação ao que foi postado, é irritante!!!
Fora os entulhos, temos o abandono de patrimônios tombados, que com o passar do tempo e o abandono vão deteriorando, oferecendo riscos para os transeuntes...
Te lembras onde funcionava o restaurante "Lá em casa"? Ficava na Av. José Malcher, quase em frente ao Colégio Cearense, ao lado do edifício Fernando Guilhon, o belíssimo palacete, sairam de lá, abandonando-o, porque era tombado pelo Patrimônio Público, qual o objetivo: derrubá-lo para construir um prédio de apartamentos.
Com tristeza,constato o silêncio das autoridades responsáveis pela fiscalização, inclusive, poderiam obrigar os proprietários a cuidar do palacete.
Resumindo, já existe um tapume de construtora cercando o palacete, um pouco da nossa história se perdendo, foi assim com o palacete da família Chermont, levantaram duas torres da Leal Moreira, numa morava o ex-governador Almir Gabriel...
O que podemos fazer?!
Abraços,
Pedro

Flanar disse...

Denunciar e pressionar, Pedro.
Talvez não seja muito mas é melhor do que nada fazer.
Lembro sim daquela bela casa.

oliver disse...

Resistir é preciso. Mas fique a certeza: o maior entulho da cidade não está nas ruas, mas em um dos mais importantes prédios históricos da municipalidade. Sem ser carta postada, tem nome, sobrenome e uma extensa lista de incompetências administrativas.