quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Nada de novo no front

O Senado tem novo presidente: eleito com o voto de 68 de seus pares, Garibaldi Alves (PMDB/RN) assume a cadeira de Renan Calheiros – aquele das vacas de ouro e do laranjal midiático – para um mandato tampão que se estenderá até fevereiro de 2009.

No entanto, o quarto cidadão na linha de sucessão da Presidência da República já assume o posto vergastado por denúncias de utilização de caixa dois na campanha de 2002. As acusações fomentam denúncia formulada pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte, que indica que R$ 210.000,00 saíram do orçamento da Secretaria Estadual de Defesa Social e foram parar nas contas da empresa Polis Propaganda e Publicidade, de João Santana, ex-sócio de Duda Mendonça e responsável pela campanha vitoriosa de Garibaldi Alves ao senado.

Ou seja, mais do mesmo vem aí. E ainda dizem que o país tem instituições sólidas; de fancaria, isto sim.

Um comentário:

Oliver disse...

Se não fosse trágico, seria engraçado, considerando o conjunto heterogêneo de partidos flagrados em ilícitos/ilegalidades de campanha.
Mas a situação apenas reflete o que é de domínio público: ou mudamos a legislação eleitoral, totalmente frágil para permitir esse tipo de situação, ou veremos a democracia brasileira se tornar má caricatura do que nossas gerações um dia desejaram.