terça-feira, 23 de março de 2010

A conjectura de Poincaré e as baratas


Rara foto de Perelman (Reuters)

Um dos sete enigmas matemáticos, a famosa conjectura de Poincaré, foi finalmente desvendado pelo russo Grigory Perelman, de 44 anos.
O gênio da matemática conseguiu uma prova algébrica sólida que permite elevar a secular conjectura (qualquer espaço tridimensional sem furos seria equivalente a uma esfera esticada) à categoria de teorema.
Pelo feito Perelman tem direito a um prêmio de US$ 1,000,000.00 oferecido pelo U.S. Clay Mathematics Institute.
O recluso gênio, no entanto, já declarou não ter qualquer interesse em receber o prêmio, conforme notícia veiculada hoje no periódico britânico Daily Mail.
Segundo uma vizinha do cientista em St. Petersburg, o mesmo vive num modesto apartamento infestado por baratas, com "apenas uma mesa, um banquinho e uma cama com um lençol sujo que foi deixado ali pelos antigos donos – uns bêbados que venderam o apartamento para ele...".
Há quatro anos Perelman já havia recusado outro prêmio, a medalha Fields da União Internacional de Matemática, quando declarou: "I'm not interested in money or fame. I don't want to be on display like an animal in a zoo".

21 comentários:

Itajaí de Albuquerque disse...

abe quem a fisionomia dele lembra, Scylla? O nosso falecido colega de faculdade Fernando "Arara", filho da escritora Lindanor Celina; inteligentíssimo, mas infelizmente portador de transtorno mental que o encapacitou para a profissão.

Scylla Lage Neto disse...

É verdade, Itajaí. O russo tem um visual "schizo", de olhos esbugalhados, que lembra muito o Fernando Arara.
Me pergunto se as baratas reais não convivem outras criaturas imginárias no apê do Grigory?...

Tanto disse...

Se ele for tão inteligente quanto é assustador...

Prof. Alan disse...

Olha, entendo certas excentridades dos gênios - embora não tolere a maioria delas.

Mas o cara estudar tanto, ter pós-doutorado, desvendar mistérios da física, enfim, ser uma das maiores mentes humanas, pra no fim viver igual a um bicho, num pulgueiro infestado de baratas?

Caramba, pra quê serviu tanto estudo e tanto conhecimento? Se a vantagem do saber é justamente fazer a gente se distanciar da irracionalidade e progredir, o cara estuda tanto pra regredir...

Carlos Barretto disse...

Sobre o "Fernando"- quase uma lenda de nossa geração de médicos, que na verdade parecíamos ser mais "alguns" que cruzaram a sua trajetória - ouvi hoje de Aristóteles Guillioud uma história interessantíssima. Ele teria sido elogiado por Lúcio Flávio Pinto, numa citação em um artigo para alguns dos jornais de uma época que não soubemos definir bem.
Ari, se aqui ainda estivesse, poderia contar esta história que me contou hoje pela manhã, no intervalo entre uma internação e outra no Hospital Universitário.

Abs

Scylla Lage Neto disse...

Tanto, parece que sim. O Daily Mail de ontem o chamava na manchete de "o homem mais inteligente do mundo".
Abs.

Scylla Lage Neto disse...

Prof. Alan, parece que essas pessoas vivem absolutamente dissociadas da "nossa" realidade de tempo e espaço, focadas 100% nos seus objetivos.
Entender, nós tentamos, mas aceitar, não é fácil.
Um abraço.

Scylla Lage Neto disse...

Charlie, o Fernando Arara merecia ter as histórias compiladas e publicadas.
Vários colegas da faculdade poderiam contribuir, já que o mesmo entrou em 1971 e morreu lá por 90 ou 91, influenciando gerações de médicos formados pela UFPa..
Abs.

Lafayette disse...

Prof. Alan, estes, a maioria, são assim mesmo... se dedicam tanto (raros, mas raros mesmo foram aqueles que simplesmente tiveram o "clique" sem suar antes), que esquecem de si, dos outros.

Kepler passava dias, semanas no seu gabinete, pensando e querendo entender a "Harmonia do Mundo (livro do Marcelo Gleiser, Cia das Letras, que recomendo).

Mas sei que é mesmo, até, revoltante o 'estilo'. Acontece que tais mentes são de monges, repara só.

Mas, quanto esta formulação, agora resolvida, tempos atrás, estava lendo sobre o Poincaré e outros matemáticos-loucos. Lembro de ter tentando, mentalmente, "ver" um objeto em três dimessões sem furo ser uma esfera esticada...

...putz, como agora, só consigo "ver" a porra da esfera esticada! rsrsrsrs

Ah, estes:

Videntes loucos de cara
Descrentes loucos de cara
Pirados loucos de cara
...
Latinos, deuses, gênios, santos,
podres Ateus, imundos e limpos
Moleques loucos de cara
...
Gigantes, tolos, monges, monstros,
Sábios Bardos, anjos rudes, cheios do saco,
Fantasmas loucos de cara
...
Vamos sumir"

Yúdice Andrade disse...

Assim como o Prof. Alan, não tenho a menor paciência para excentricidades. Há algo de farsante nesse tipo de atitude. Compreendo perfeitamente que uma pessoa não deseje ser rica e muito menos famosa (eu, p. ex., adoraria ser rico e anônimo), mas viver no lixo, para marcar posição sabe-se lá do quê, é uma imbecilidade.
A ciência existe para o progresso da humanidade. O cientista que faz descobertas e se desvincula do aspecto humano disso pode ser um gênio, mas não é um verdadeiro cientista. Pode ser admirado, mas não merece respeito.

Scylla Lage Neto disse...

Lafayette, pirei!
Rssss.

Scylla Lage Neto disse...

Yúdice, concordo que a convivência com a excentricidade extrema e/ou doença mental é dificílima.
Existem os que são gênios e doidos (como o nosso Grigory, provavelmente), os gênios que se fazem de doidos (estes são sempre achados pelo "pau") e os gênios ditos normais.
Os últimos gozam de toda a minha simpatia.
Abs.

Lafayette disse...

Scylla, não houve, não há e nunca haverá gênio não-louco, dito normal.

Acredito que a mente de um gênio chega a tal nível de pensamento que o cérebro, simplesmente, funciona "diferente" (não estou falando sobre diferença morfológica, pois parece que não há, o que faz o resto, corpo e comportamento, também agir diferente.

Aliás, será que você poderia, claro pincelando, pois acho que seria algo para milhares de páginas - inconclusivas! rsrs - , nos dizer qual a diferença entre "mente", "pensamento" e "cérebro"?

Você viu uma postagem que fiz, hoje, chamada "A mente, mente"? É impressionante!

Raul Reis disse...

Quando vi o post sobre Perelman, lembrei de um profile dele que li no "New Yorker" há uns dois anos. O Daily Mail não é o único a pintar Perelman como "excêntrico", mas Sylvia Nasar, que co-escreveu o profile para o "New Yorker", disse que ele foi muito cordial e franco, quando ela o visitou em seu apartamento em Moscou.

BTW, o profile do New Yorker é fantástico, porque tb explica em detahes a Poincaré conjecture e sua história conturbada.

A co-autora do profile, Sylvia Nasar, tb é autora do livro "A Beautiful Mind", sobre John Nash, que acabou fazendo muito sucesso como filme.

Aqui vai o link: http://www.newyorker.com/archive/2006/08/28/060828fa_fact2?currentPage=1

Scylla Lage Neto disse...

Lafayette, lamento não poder responder a sua pergunta em menos de 2 encarnações.
Rsss.
Abs.

Scylla Lage Neto disse...

Raul, grande dica - valeu!

Scylla Lage Neto disse...

Raul, grande dica - valeu!

Scylla Lage Neto disse...

Raul, grande dica - valeu!

Lafayette disse...

rsrsrsrs

Pergunta de pós-pós-pós-pós-phd! rsrsrs

Scylla Lage Neto disse...

Ponha pós-pós nisso, Lafayette!

Lafayette disse...

O cérebro, que antes me parecia ser só a 'máquina', por onde a mente atua, gerando o pensamento, já não é tão-somente assim.

Parece-me que há, realmente, um união, uma fusão estranha entre matéria e abstrato, entre massa e eletricidade entres estes elementos.

Não seria só conexões e as ...imas e ...inas da vida (ps.: nada de sobrenatural, bem entendido!).