sábado, 18 de setembro de 2010

O Cansaço do Futuro do Pretérito

Na TV, pivô de denúncias contra Erenice admite chantagem e entra em contradição.

É o que informa o Portal do Luis Nassif. Mas vocês sabem quem anda cansadíssimo nesses últimos dias? É o futuro do préterito, com os abusos da mídia brasileira em "afirmar sem afirmar" que um tal fulano teria feito isso ou aquilo, que cicrana teria agido de modo assado e cozido...
Para não serem traídos com o que informam, os espertos nessa altura decidiram flertar com aquele tempo verbal da língua portuguesa . É fácil, sabe? Além da cara de pau midiática, basta separar a raiz verbal e somar aria, eria e iria aos verbos terminados em ar, er e ir. Depois é por na tv, no rádio, na internete, nos jornais e revistas, e mandar o eleitor se queixar ao Bispo, pois nesses tempos não há quase risco de encontrar os chamados padres melancias*...
Mas onde está Bart Simpson ?! O moleque deve estar vesgo com tanto futuro do pretérito saltando das folhas a sua frente.



*Pejorativo dado pela imprensa brasileira e membros da ditadura militar de 64 aos religiosos da Igreja Católica , alinhados com a Teologia da Libertação, por serem verdes (nacionalistas) por fora e vermelhos (c0munistas) por dentro.

3 comentários:

Eu disse...

Itajaí, essa tua retórica significa, nada mais, nada menos, do que desespero. Sabe, a Petronice; não! como é que é? Berenice? Não! Erenice... braço direito da Dilama!Não Dilma! É uma santa, pelo amor de Deus!

Você que mora em Brasília, sabe? Não! Você nunca sabe. Até porquê, você faz parte da máquina, né, não?

Não coloque o Bart Simpson, na tua onda, porque a tua onda não chega aos pés do "Bart". O "Bart" é maior do que esse governo.

Sabe por quê?

Ele é autêntico! Coisa que falta e muito no teu medíocre dicionário.

Então, aprende, a ouvir o contraditório e cala-te ou, no mínimo te reduz a tua insignificância. Que, aliás, é proporcional a tua beleza.

*Não precisa publicar, basta a tua parca audição, ou, vista; pra perceber como tu és um merda!

Itajaí de Albuquerque disse...

Anônimo, tu compareces aqui com o linguajar próprio dos lambe-botas, de quem estás acostumados a ser rabo de rato, embora pretendas que este evolua para elefante.
De antemão te aviso do teu vão desejo: a evolução nega tal salto de qualidade. Continuarás assim a ser rabo de rato, e dos esgotos bem nutridos de Belém do Pará.
Por fim, ratazana, só o teu juízo murino poderia te enganar que não serias publicado. Pedido feito, pedido negado, pois com tuas palavras foste apanhado e em condição pronto para ser empalhado. Pena que não te identificaste, pois aí sim na vitrine, onde agora te exponho, posarias melhor com as fuças arreganhadas.
Vou te dar contudo um nome novo, uma repaginação para espécie velha:
Ratus vanus velissimus.
Você deveria ter percebido que eu adoro escrever e quanto mais me provocam mais eu tenho prazer em fazê-lo. Devo portanto te agradecer pelo convite, malcriado é certo, mas que aceitei de bom grado.
E agora uma dose única letal, sob forma de aviso: Essa é a tua última passagem por aqui; não permitiremos que transplantes para o Flanar a imundície da tua colônia. Portanto, já de volta pro esgoto!

Carlos Barretto  disse...

É o cúmulo que este "serviçal" que nos ataca covardemente, venha se valer de sua anonimidade para rasgar-se desavergonhadamente como vem fazendo sistematicamente. E marcando presença em séries de comentários feitos em momentos próximos, em vários posts.
Pois saibam todos que nos leiam, qual é o perfil das pessoas que só aqui comparecem em época de eleição, para minar pensamento alheio e marcar posição à soldo vergonhoso de canalhas.
Pois canalhas, é o que de fato são.
E ainda ousa autoinflingir-se a condição de quem estaria exercendo a nobre intenção do contraditório.
Reafirmo aqui minha solidariedade ao Itajaí, que acho que é devida por todos os posters deste blog.
Se abraçamos a verdadeira diversidade de opinião, não podemos admitir condutas deste calado. Se alguns acham que aqui é cada um por si Deus por todos, enganam-se.
Assim não procedo, sob pena de corroborar num crescente, este tipo de participação infecta e cabível de processo legal. Pena que falte sempre a coragem de quem sabe praticar o crime, e não sabe responder legalmente pro ele.