domingo, 27 de novembro de 2011

Cara de pau

Rita Soares

A mulher do cara no banheiro, ele dando uma de galã, pedindo meu telefone. Fiz cara de solidária e perguntei? Alguma emergência? Claro pode usar à vontade. E entreguei o aparelho para ele. 
A cara de ódio dele não paga minhas contas, mas vai me fazer rir uns três dias. Ai, ai tem dias que fico tão orgulhosa de mim.

* Rita Soares é jornalista do Diário do Pará. E gentilmente, autorizou a publicação deste texto no Flanar.  Meu sincero agradecimento a amiga, com votos de vê-la mais vezes por aqui.

3 comentários:

Marise Rocha Morbach disse...

Seja dura com eles!
Bom vê-la aqui!
Bj.

RS disse...

Ai Marise, a paciência é uma das coisas que tou perdendo com a idade, diferente do que sempre me falaram
Bjus procê

Alan Souza disse...

Uma amiga minha estava num pagode, aqui em Brasília. Um cara se aproxima dela e fala: "se você não me der seu telefone agora eu juro que vou embora dessa festa!".

Ela olhou abismada pro sujeito e disse: "credo, é a primeira vez que eu vejo merda querendo subir de cotação..."